quarta-feira, 10 de outubro de 2018

O INIMIGO MORA AO SEU LADO...Flúor Literalmente Transforma a Glândula Pineal em Pedra.



Resultado de imagem para OS MALES DO fLUOR FOTOS


Flúor Literalmente Transforma a Glândula Pineal em Pedra


Você pode não ouvir muito sobre a glândula pineal, mas isso não significa que esta parte do seu corpo não seja importante. Na verdade, é tão essencial para o seu bem-estar geral que às vezes é referida como o “assento da alma”. Esta glândula do tamanho de uma ervilha é encontrada entre os dois hemisférios do cérebro, mas não é protegida pela barreira hematoencefálica, o que a torna muito vulnerável a toxinas.
Esse órgão produtor de hormônios é responsável pela produção de melatonina, que regula o sono e a vigília do seu corpo, ou o ritmo circadiano. Quando você pensa em como é essencial conseguir um sono adequado para uma saúde ideal, fica claro que você deve estar fazendo tudo ao seu alcance para cuidar de sua glândula pineal.

Resultado de imagem para OS MALES DO fLUOR FOTOS

Infelizmente, muitas pessoas sofrem de uma glândula pineal calcificada. É claro, essa glândula não deve calcificar, mas anos de exposição a pesticidas, aditivos presentes nos alimentos, radiação e outras toxinas podem fazer com que isso aconteça sem que você perceba.

Um dos maiores culpados, no entanto, é o flúor.

O consumo de flúor pode inibir a capacidade da glândula de produzir melatonina, não apenas interrompendo o ciclo do sono, mas também interferindo na puberdade das mulheres. Estudos mostraram que os depósitos de flúor na glândula à medida que as pessoas envelhecem, levam à calcificação, com estudos em cadáveres mostrando uma correlação positiva entre a calcificação pineal e o flúor.

Resultado de imagem para OS MALES DO fLUOR FOTOS

Por que você não quer que sua glândula pineal se calcifique?

O que pode acontecer se sua glândula pineal se calcificar? De acordo com a literatura médica, isso tem sido associado a doenças como Alzheimer, insônia, mal de Parkinson, transtorno bipolar, esquizofrenia, distúrbios do sono, desequilíbrios hormonais, desregulação circadiana e acidente vascular cerebral.

É por isso que é tão importante tomar medidas para reduzir sua exposição ao flúor. Infelizmente, ele é encontrado em muitas fontes em nossa vida cotidiana, desde água da torneira e fórmula infantil até creme dental, Teflon e alimentos e bebidas feitos com água municipal.

Resultado de imagem para OS MALES DO fLUOR FOTOS


Se a sua área tiver flúor na água da torneira, fervê-la não ajudará. Em vez disso, você precisará investir em um filtro de água que usa osmose reversa. Fique atento para o café e sopa feita em restaurantes, já que provavelmente foram feitos usando água fluoretada.

Mesmo se você não tiver flúor na água, ainda estará vulnerável. Também é encontrado em muitos medicamentos. O Prozac, por exemplo, cujo nome químico é Fluoxetina, é cerca de 30% de flúor, e alguns acreditam que ele provoca seus efeitos envenenando essencialmente a glândula pineal. De fato, os estudos em animais mostraram que camundongos que tiveram suas glândulas pineais removidas param de responder ao Prozac.

Procure por creme dental que não contenha flúor como ingrediente; considere fazer seu próprio com ingredientes como óleo de coco orgânico. Pergunte ao seu dentista para não lhe dar tratamentos com gel de flúor, pois a forma torna extremamente difícil evitar de engoli-lo. Isto é especialmente importante para as crianças.

Leia todos os rótulos dos alimentos com cuidado e escolha alimentos frescos sempre que possível. Alimentos processados ​​podem conter quantidades muito altas de flúor.

Se você está preocupado com sua exposição ao flúor, você pode tentar desintoxicar sua glândula pineal. Alguns dos alimentos e suplementos que podem ajudar com este tipo de desintoxicação incluem alho, vinagre de maçã e óleo de orégano. Passar algum tempo no sol também ajuda a glândula pineal.
Imagem relacionada

Este é apenas o mais recente de uma longa lista de razões para evitar o flúor, unindo problemas como um maior risco de hipotireoidismo, menor QI, câncer de bexiga e ósseo, morte celular e alterações na expressão gênica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário