segunda-feira, 13 de julho de 2015

Você duvida? Não perca seu tempo. Veja....10 Evidências da Existência de Jesus Cristo...




10 Evidências da Existência de Jesus Cristo


Hildeberto Aquino, em uma matéria da Revista Época, escreveu: “Jesus é a maior ilusão da humanidade…”. Será isso verdade? É claro que não! Há provas devastadoras da existência de Jesus Cristo, tanto na história secular quanto bíblica, que veremos a seguir.
1° A Bíblia
A Bíblia
A Bíblia é a principal evidência da existência de Jesus Cristo na Terra, pois é um livro histórico que conta vários momentos marcantes da população da Palestina, do Egito, da Assíria, do Império Romano e, claro, de Jesus Cristo.
2° Obra Antiguidades Judaicas

Antiguidades Judaicas

O historiador judeu Flávio Josefo viveu na época de Jesus Cristo e, em sua obra “Antiguidades Judaicas”, mais precisamente no capítulo terceiro do volume XVIII, diz:
“… entretanto existia, naquele tempo, um certo Jesus, homem sábio… Era fazedor de milagres… ensinava de tal maneira que os homens o escutavam com prazer… Era o Cristo, e quando Pilatos o condenou a ser crucificado, esses que o amavam não o abandonaram e ele lhes apareceu no terceiro dia…”.
Este é um relato escrito por um judeu que viveu a existência de Jesus Cristo!
3° Anais de Públio Cornélio Tácito

Anias de Públio Cornélio Tácito

Tácito era um convicto pagão romano (56 d.C. – 120 d.C.) e foi considerado um dos maiores historiadores da Antiguidade. Em seus Anais (parte XV), escreveu:
“… Nero infligiu as torturas mais refinadas a esses homens que sob o nome comum de cristãos, eram já marcados pela merecida das infâmias. O nome deles se originava de Cristo, que sob o reinado de Tibério, havia sofrido a pena de morte por um decreto do procurador Pôncio Pilatos…”.
4° Carta de PlínioCartas de PlínioPlínio, o Jovem (62 d.C. – 114 d.C.) foi um procônsul em Jerusalém e, ao escrever uma carta ao imperador Trajano, registrou práticas primitivas de adoração, incluindo o fato de que os cristãos adoravam Jesus como Deus e eram muito éticos, e inclui uma referência ao banquete do amor e a Santa Ceia. Ele relatou que:
“… maldizer Cristo, um verdadeiro Cristão não o fará jamais… cantam (os cristãos) hinos a Cristo, como a um Deus…”.
5° Obra Vitae Duodecim Caesarum (Os doze césares)Vitae-Duodecim-CaesarumO historiador romano Suetônio (70 d.C. – 130 d.C.) escreveu em um trecho do livro quinto da obra “Os doze césares”, mais precisamente no capítulo XXV, no qual evoca o imperador Tibério:
“… expulsou de Roma os judeus, que instigados por um tal Chrestus (Cristo), provocavam frequentes tumultos…”.
6° Urna de Tiago
Urna de Tiago
A primeira prova arqueológica da existência de Jesus Cristo é uma urna de calcário que era usada à época para depositar os ossos na cidade de Jerusalém. O ossuário data de aproximadamente 63 d.C. e nele está escrito: “Tiago, filho de José, irmão de Jesus”. Para estudiosos no assunto, o ossuário trata realmente de Tiago, o irmão do Senhor Jesus Cristo.
7° Pergaminhos Sagrados
Pergaminhos Sagrados
Outro grande achado da arqueologia e que trata sobre a existência de Jesus Cristo são os Pergaminhos do Mar Morto, que foram encontrados em Israel, na década de 1940. Os pergaminhos e papiros encontrados foram datados através da técnica de carbono-14, que confirmou que se trata da época de Jesus Cristo (150 a.C. – 70 d.C.). Nos pergaminhos é citado várias vezes um “Mestre da Justiça”, que seria Jesus Cristo.
8° Obra de Luciano de Samosata
Obra de Luciano de Samosata
Luciano de Samosata foi um escritor grego do segundo século que admite que Jesus foi adorado pelos cristãos, introduziu novos ensinamentos e foi por eles crucificado. Ele disse que os ensinamentos de Jesus incluíam a fraternidade entre os crentes, a importância da conversão e de negar outros deuses. Os Cristãos viviam de acordo com as leis de Jesus, criam que eram imortais, e se caracterizavam por desdenhar da morte, por devoção voluntária e renúncia a bens materiais.
9° Escritos Gnósticos
Escritos Gnosticos
O Evangelho da Verdade, O Apócrifo de João, O Evangelho de Tomé, O Tratado da Ressurreição, entre outros, são considerados escritos gnósticos e todos eles mencionam Jesus Cristo.
10° Mara Bar-Serapião
Mara Bar Serapiao
Mara Bar-Serapião foi um escritor sírio que ficou conhecido por ter fornecido uma das maiores referências não judaica e não cristã sobre a existência de Jesus Cristo, quando escreveu uma carta 40 anos depois da crucificação, onde encoraja seu filho a adquirir conhecimento. Nessa carta, ele confirma que Jesus era conhecido como um homem sábio e virtuoso, considerado por muitos como Rei de Israel, executado pelos judeus, e que continuou vivo nos ensinamentos de seus seguidores.

Fontes:

Nenhum comentário:

Postar um comentário