segunda-feira, 13 de julho de 2015

Comprove e veja...Isaías 53 é uma profecia da vinda do Messias?





O Evangelho Seg Isaías 53 é uma profecia da vinda do Messias?


Infelizmente, os rabinos modernos do Judaísmo acreditam que o “Servo Sofredor” de Isaías 53 talvez se refira a Israel, ou ao próprio Isaías, ou mesmo a Moisés ou outro dos profetas judeus. Mas Isaías 53 fala do Messias, é claro.
Mas por que Isaías “fez uma pausa” para falar do Messias no capítulo 53 de seu livro, sendo que ele estava falando de Israel? Será que Isaías 53 não é uma profecia da vinda do “Servo sofredor” de Deus que salvaria a humanidade e sim um relato de Israel, que seria seu próprio salvador? Mateus fez alusão equivocada a estes versos em seu Evangelho?
É claro que Isaías está profetizando a vinda de Jesus, o Salvador da humanidade, no capítulo 53 de seu livro. Aliás, como já havia feito antes: “Portanto o Senhor mesmo vos dará um sinal: eis que uma virgem conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome Emanuel.” (Isaías 7:14); “Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado, e o governo está sobre os seus ombros. E ele será chamado Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso, Pai Eterno, Príncipe da Paz. Ele estenderá o seu domínio, e haverá paz sem fim sobre o trono de Davi e sobre o seu reino, estabelecido e mantido com justiça e retidão desde agora e para sempre. O zelo do Senhor dos Exércitos fará isso.” (Isaías 9:6-7).
Então por que Isaías fez uma pausa para falar do Messias? Porque ele estava avisando que Israel teria seus pecados perdoados, pois Deus enviaria o Seu Servo ao mundo e Israel deveria alegrar-se com isso. É interessante notar também que, em Isaías 50:6, encontramos outra profecia sobre Jesus: “Ofereci as minhas costas aos que me feriam, e a minha face, aos que me arrancavam a barba; não escondi o rosto dos que me afrontavam e me cuspiam.”
Assim sendo, Mateus não fez “descontextualização” desses versos em seu Evangelho ao mencioná-los sendo cumpridos em Cristo.
Vejamos:
Isaías 53:5: “Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.”
“… Ele foi ferido por causa de nossas transgressões…”: Israel não foi ferido por causa da transgressão de outro senão dele mesmo.
“… O castigo que nos traz a paz estava sobre ele”: Se Israel fosse ferido por causa de alguém, quem seria esse alguém e qual a paz que trouxe sobre esse alguém?
Isaías 53:8: “Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; pela transgressão do meu povo ele foi atingido.”
“… E quem contará o tempo de sua vida? …”: Israel não foi destruído e nem o povo de Israel foi morto.
“… Pela transgressão do meu povo ele foi atingido.” Aí está uma das partes mais importantes. Mipesha ami (Israel) nega lamo – pela transgressão do meu povo (Israel) ele foi atingido.
Quem é o “meu povo” no texto? O “meu povo” é Israel.
Se por causa do pecado do “meu povo Israel” ele foi atingido, como pode então “ele” ser “Israel”? Se “ele” foi atingido por causa de “Israel”, então “ele” não é “Israel”.
Esse servo não é Israel e nem se trata de Isaías, pois nem Isaías morreu por causa de Israel, a sua morte não trouxe paz alguma e nem alguém foi sarado por sua morte.
Isaías 53:9: “E puseram a sua sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte; ainda que nunca cometeu injustiça, nem houve engano na sua boca.”
O texto é explicitamente compreensível. Está claro de que se trata de uma pessoa singular e não de um povo.
A profecia fala de uma pessoa que certamente saberíamos onde e como seria sepultada. O texto especifica que a pessoa a qual a profecia se refere seria sepultada com ímpios e com um rico na sua morte. Então aí já está descartada a possibilidade de o texto se referir ao povo de Israel, pois é evidente que se trata de uma única pessoa.
Quanto a Isaías, não é conhecido onde e nem como foi sepultado. Então quem poderia ser essa pessoa cujo sepultamento e o modo do sepultamento é notório a ponto de todos saberem?
Bem, deixemos que Mateus nos responda:
“E pusera a sua sepultura com os ímpios…” – Isaías 53:9: Mateus nos diz que Jesus foi crucificado entre dois ladrões, dois ímpios: “E foram crucificados com ele dois salteadores, um à direita, e outro à esquerda.” (Mateus 27:38)
“… e com o rico na sua morte…” – Isaías 53:9: Mateus nos diz que Jesus foi enterrado na sepultura de um homem rico, chamado José de Arimatéia, que também era seu discípulo: “E, vinda já a tarde, chegou um homem rico, de Arimatéia, por nome José, que também era discípulo de Jesus. Este foi ter com Pilatos, e pediu-lhe o corpo de Jesus. Então Pilatos mandou que o corpo lhe fosse dado. E José, tomando o corpo, envolveu-o num fino e limpo lençol, e o pôs no seu sepulcro novo, que havia aberto em rocha, e, rodando uma grande pedra para a porta do sepulcro, retirou-se.” (Mateus 27:57-60)
“… que nunca cometeu injustiça, nem houve engano na sua boca.”- Isaías 53:9: Todos os Evangelistas nos relatam a vida santa que Jesus levou. Mas Israel não era santa, embora devesse ser. Israel pecou muito. Em Romanos 9, 10 e 11, Paulo nos relata a queda de Israel, por sua falta de fé. Aliás, em toda a Carta aos Romanos Paulo falou disso: Da fidelidade de Deus, da incredulidade de Israel e da salvação dos pagãos (porque os pagãos creram no nome do Senhor Jesus Cristo, enquanto que o povo eleito não).
Ou seja, de fato, a profecia de Isaías 53 se refere, sim, a Jesus Cristo, o “Servo Sofredor” de Deus, e não a Israel ou a Isaías.
Publicado em BíbliaDeusIsaías 53Jesu CristoMessias | Marcado com ,

Para guardar e sempre lembrar...

E "Ele" Jesus Cristo veio! Né?



| Deixe um comentário

Nenhum comentário:

Postar um comentário