quarta-feira, 3 de junho de 2015

10 invenções que são muito mais antigas do que você pensa...

10 invenções que são muito mais antigas do que você pensa
Nós associamos itens com culturas ou eras porque isso ajuda nosso cérebro a categorizar informações. Nós escutamos a palavra “pirâmide”, e instantaneamente a associamos com o Antigo Egito, apesar das numerosas não-egípcias pirâmides pelo mundo. Muitas dessas associações são incorretas. Muitas das coisas que nós associamos fortemente com o mundo moderno são, na verdade, um pouco mais velhas.
confirachi

10. As batalhas de Rap

Rappers por volta de 1980 talvez tivessem maior parte de crédito por esse tipo de desempenho lírico, mas essa prática é muito mais antiga e vem da Escócia. Ela é chamada “flyting” e era praticada pelosmakaris (poetas escoceses), durante o século XV e XVI. Nesse contexto, dois poetas engajariam em uma troca de abusos verbais muitas vezes em um mesmo verso e o vencedor seria decidido pela plateia. O vencedor poderia desfrutar de um copo grande de cerveja e frequentemente não convidaria o perdedor para beber também.
Em certo ponto, o flyting era tão popular na Escócia que as letras obscenas e vulgareseram relevadas, embora elas não fossem permitidas em público. Normalmente tinham destaques em salas grandes, como salões de banquetes; mas os poetas mais qualificados engajavam oflyting nas cortes reais. O rei James IV era conhecido por ser um grande fã de flyting, bem como o rei James V.
10

9. As Dentaduras

A longa história da Dentadura não é particularmente uma surpresa. George Washington, por exemplo, era famoso por suas dentaduras (embora nenhuma delas fossem feitas de madeira, apesar do mito). Entretanto, a dentadura vem muito antes desse fato. Vem desde o tempo da civilização etrusca, de fato, localizada na Itália moderna entre os séculos XVIII e XIV A.C.
Muitas evidencias sugeriram que os Etruscos foram os primeiros a usarem dentes falsos, por volta de 700 A.D. Crânios antigos foram descobertos com bandas de ouro no seu interior e, em Marzabotto , um crânio foi encontrado com um dente artificial ainda ligado usando um fio de ouro.
9

8. Os Jornais

Para que uma publicação fosse classificada como um jornal, ela deveria publicar informações atuais cobrindo uma variedade de tópicos em intervalos regulares e ser razoavelmente acessível ao público. Alguns poderiam dizer que um jornal também tem de ser impresso, o que significa que eles não poderiam ter existido antes da imprensa. No entanto, se nós negligenciamos esse pequeno detalhe, podemos ver que os jornais vem de muito tempo atrás. Roma Antiga e China ambos tiveram boletins manuscritos apresentados ao público em uma base regular, detalhando os acontecimentos atuais e outros acontecimentos importantes.
Em Roma, ele era conhecido como Acta Diurna e é considerado o primeiro jornal diário, mesmo que nem sequer tenha sido escrito em papel (sendo esculpido em pedra ou metal). Primeiramente, ele só cobria processos judiciais e resultados de ensaios. Como sua popularidade cresceu, expandiu-se para incluir também política, campanhas militares, nascimentos, mortes e execuções.
Na China, as primeiras formas de jornais eram conhecidas como tipao (também Di Bao ). Eles foram publicados no formato de boletins imperiais durante a Dinastia Tang. Durante a era Kaiyuan, eles foram substituídos por KaiyuanZaBao, uma publicação oficial escrito à mão sobre seda e distribuída principalmente para funcionários imperiais.
8

7. As escovas de dente

Técnicas dentárias antigamente eram, naturalmente, muito mais primitivas. Na verdade, as primeiras “escovas” não eram nada mais do que varas com pontas desfiadas que eram esfregadas nos dentes. Enquanto estas não eram particularmente eficientes, elas pelo menos deram o usuário um hálito mais fresco. Tais “palitos de mastigar” foram encontrados na antiga China, Egito, e até mesmo Babilônia, datando de 3.000 A.C.Algo semelhante a uma escova de dentes moderna não apareceu até o século XV na China. Foi feita de osso ou bambu e tinha cerdas naturais feitos de os cabelos da garganta de um porco. Também nessa época, a China começou negociar com a Europa, de modo que o projeto foi levado para lá um pouco depois. No entanto, os europeus acharam as cerdas de porco bastante rígidas e preferiram substituí-las com suaves cabelos de cavalo. Embora a concepção da escova de dentes fosse atualizada de tempos em tempos, ela realmente não se se tornou a escova moderna que conhecemos hoje até o início do século 20, quando Wallace Carothers inventou o nylon para a DuPont. Até isso, os pelos dos animais se mantiveram sendo usado para as cerdas.
7

6. A Assistência Social

Na Roma Antiga houve bastantes programas em vigor para proporcionar aos seus cidadãos alimentos subsidiados.A princípio, isso não era uma obrigação, mas era muito comum quando o governo ou indivíduos ricos queria ganhar o público. Faziam doações de milho para as pessoas, conhecidas como frumentatio. Em 123 A.C, no entanto, uma tribuna com o nome de Caio Graco introduziu aLex frumentaria. Através desta lei, cada cidadão de Roma tinha direito a uma quantidade de trigo a cada mês disponível a um preço razoável (algo em torno de metade do preço de mercado). O qual era apenas disponível para pais de família, mas não se restringiu apenas aos pobres imperadores romanos. Roma também teve várias abordagens quando se tratava de lidar com os pobres. Não era incomum para imperadores daquela época, dar dinheiro para cada romanopra comemorar um determinado evento (geralmente uma vitória militar). Um imperador que instituiu novos programas de bem-estar foi Trajano. Enquanto ele aumentou o número de cidadãos que poderiam receber grão livre do Estado, ele também introduziu Alimenta, uma instituição com financiamento público que beneficiaram as crianças pobres.
6

5. Odômetro

O odômetro está presente na maioria dos veículos modernos, usados para controlar a distância de uma viagem. Existe desde os gregos antigos. Não há certeza de quem foi o seu inventor. Vitruviusmencionou um odômetro antigo em seu livro, e há quem acredite que o dispositivo tinha sido inventado anteriormente por Arquimedes. O conceito deste odômetro inicial foi baseado em torno de carros que têm um tamanho de roda-padrão. Uma roda teve que girar 400 vezes para completar uma milha romana. Quando uma revolução completa, a engrenagem lançava uma pedra em uma caixa. No fim da viagem, contavasse as pedras pra saber a determinada distância percorrida. Nós não temos nenhuma evidência absoluta de quando esse dispositivo foi construído. No entanto, durante suas viagens, Alexandre – o Grande, tinha especialistas chamados bematists que mediram as distâncias das rotas. Suas medidas foram mais tarde registradas por Plínio – o Velho, na sua Naturalis Historia, e eles são tão precisos em comparação com as medidas modernas que um dispositivo mecânico seria quase certamente empregado.
5

4. O Salto alto

Consideramos salto alto um acessório moderno usado exclusivamente por mulheres pra realçar sua beleza e criar a ilusão de pernas finas elongas. No entanto, tão popular como eles podem ser hoje, eles não são definitivamente tão modernos. Saltos altos datam um caminho de volta para o século IX, quando foram usados por homens. Taças de cerâmicas persasdesde mais de 1.000 anos atrás retratam homens usando sapatos de salto alto. Naquela época, os saltos tinha um propósito prático em vez de um propósito estético. Os homens em questão eram arqueiros, e os saltos altos lhes permitiam fixar os pés em estribos quando atiravam em cima de um cavalo. Os saltos permaneceram em uso durante séculos. Eventualmente, a cultura persa espalhou pela Europa. Até o século XVII, o salto alto tornou-se toda a raiva por lá também. Mais uma vez, os homens os usavam, mas desta vez, foi a aristocracia europeia, não os soldados. Os sapatos eram símbolos de status. Eles foram completamente impraticáveis – mais elevado osalto, melhor. Um guarda-roupa prático (e muitas vezes desconfortável) era constantemente utilizado pela elite europeia para significar privilégio. Os saltos também eram tingidos de vermelho porque esta cor tornava um item de luxo.
4

3. O Sismômetro

Um terremoto pode ser extremamente devastador. Mesmo que não podemos pará-lo, um instrumento para nos avisar de movimentos sísmicos pode revelar-se inestimável. Hoje em dia, temos acesso a esses instrumentos, que assim fizeram os antigos chineses. O polímata chinês Zhang Heng famoso tem primeiro sismógrafo do mundo para adicionar à sua impressionante lista de realizações do mesmo.A invenção conhecida como HoufengDidong Yi (“instrumento para investigar o vento a agitação da terra”) foi criado em 132 A.D. Mais tarde foi descrito na História da Dinastia Han, como um vaso de bronze gigante. Ele tinha oito pontos de contato sob a forma de serpentes de bronze com esferas na boca do lado de fora do vaso e uma coluna dentro, de bronze. Quando um terremoto se aproximava , a coluna se movia em uma determinada direção, e uma alavanca que fazia o dragão deixar a bola cair , revelando, assim, a direção do terremoto.
3

2. Os Patins

Até podemos associar a ascensão dos patins com a popularidade dos roller discos dos anos 60 e 70, mas essas invenções são muito mais antigas. O primeiro registro do que poderíamos chamar de um par de patins vem do século XVIII. Um inventor Belga, John Joseph Merlin, criou os patins em 1760. Eles eram patins de gelo com rodas ao invés de lâminas. Ele queria exibir suas criações de uma forma estilosa, e ele os utilizou em um baile de máscaras na cidade de Huys, Bélgica. Entretanto, conta-se que ele não pode parar, caindo numa alta velocidade sobre um espelho gigante.
O primeiro inventor a patentear um design de patins foi o francês M. Petitbled. Sua criação mais parecia sandálias de madeira com três rodas anexadas à sola. Como a invenção de Merlin, o problema com o patins dePetitbled é que era incrivelmente difícil de girar, parar ou fazer praticamente qualquer coisa diferente de ir pra frente. Até que James Leonard Plimpton inventou o precursor de patins modernos em 1863 onde o conceito realmente decolou. Seu projeto com dois pares de rodas foi o primeiro do seu tipo e foi muito mais seguro e mais fácil de usar. Plimpton, em seguida, mudou o escritório de seu negócio de móveis em uma pista de patinação e mais tarde fundou a associação New York Skating para promover o esporte.
2

1. O Chiclete

De uma forma ou de outra, o chiclete já existe há muito tempo, algo em torno de 5.000 anos, na verdade. O chiclete mais antigo conhecido foi descoberto em uma escavação na Finlândia, no período Neolítico. Foi um nódulo feito de casca de bétula, mas tinha marcas de dentes claros nele. Mesmo naquela época, a goma de mascar tinha um benefício médico. A casca de bétula contém fenóis com propriedades anti-sépticas, de modo que a goma de mascar foi provavelmente usada para tratar infecções. Através de séculos, muitas outras culturas antigas apreciaram os seus próprios tipos de goma. Os gregos fizeram goma de mascar a partir da resina da aroeira. Os nativos americanos mastigavam resina de abeto. No entanto, são os astecas, que ajudaram a lançar a moderna mania da goma de mascar. Eles mastigavam ochicle, uma goma natural derivada de várias espécies de árvores da América do Sul. Na década de 1860, o general mexicano Antonio López de Santa Anna trouxe o chicle para a América, para o inventor Thomas Adams, que quis usá-lo para a fabricação de borracha de pneus. Isto falhou, mas, em seguida, Adams pensou em usar chicle como o principal ingrediente para sua “Adams New York ChewingGum”. Foi um grande sucesso, e dois anos depois, Adams o produziu em larga escala. O chicle permaneceu o principal ingrediente da goma por 100 anos, até que foi substituído por borrachas sintéticas que eram mais baratas de fabricar.
1
Fonte: Listverse

Nenhum comentário:

Postar um comentário