sexta-feira, 24 de agosto de 2018

'The Big Bang Theory’ faz 10 anos; veja antes e depois do elenco.


‘The Big Bang Theory’ faz 10 anos; veja antes e depois do elenco
Na comemoração de uma década no ar, série ganhará um spin-off sobre a infância de Sheldon Cooper
Por Raquel Drehmer




(Divulgação/Divulgação)

Quando o primeiro episódio de ‘The Big Bang Theory’ foi ao ar, em 2007, o mundo ainda se recuperava do fim de ‘Friends’, três anos antes, e começava a se acostumar com o pessoal de ‘How I Met Your Mother’, que estreou em 2005. Parecia meio loucura imaginar que quatro cientistas nerds esquisitões e uma vizinha bonitona conseguiriam entrar nesse espaço cheio de gente nos padrões.

PUBLICIDADE

Loucura nada! Certos estavam os produtores que apostaram nos personagens, porque muita gente se sentiu identificada e a série foi um sucesso imediato. Sheldon, Leonard, Penny, Howard e Raj ganharam lugar próprio – nunca foram substitutos de nenhum personagem de série encerrada – e muitos prêmios desde então.



(Reprodução/Reprodução)

Prestes a encerrar a décima temporada, a CBS anunciou que TBBT terá pelo menos mais duas temporadas e um spin-off. ‘Young Sheldon’ focará na infância de Sheldon e terá narração de Jim Parsons, o Sheldon que conhecemos, como se ele estivesse lembrando de quando era criança. A estreia deve ser no mid season 2017/2018.

Enquanto isso, vamos ver como o elenco principal de TBBT era no começo e como está agora?

Sheldon Cooper (Jim Parsons)

De virjão que não entendia cantadas e só queria saber de fórmulas no quadro branco da sala do apartamento a parceiro que se preocupa com técnicas de sedução para impressionar Amy. O caminho foi longo, mas Sheldon hoje é muito mais humano do que nas primeiras temporadas. O visual, no entanto, não mudou nada. Que creme será que esse cara usa???



(Reprodução/Reprodução/MdeMulher)

Leonard Hofstadter (Johnny Galecki)

Para parecer menos esquisito para Penny, ele foi ficando mais descolado com o passar das temporadas – e sem perder a genialidade que lhe é natural. O guarda-roupa e os óculos continuam os mesmos, mas a personalidade… quanta diferença!



(Reprodução/Reprodução/MdeMulher)

Penny (Kaley Cuoco)

A garçonete insegura do começo mandou lembranças. Aos poucos, a personalidade de Penny foi se aprimorando e ela foi crescendo, tanto na presença quanto na profundidade da personagem. Girl power total! Ela também foi a que mais mudou o visual nesta década: teve cabelos lisos, encaracolados, médios, curtinhos, compridos de novo. Zero medo de ousar.



(Reprodução/Reprodução/MdeMulher)

Raj Koothrappali (Kunal Nayyar)

Lembra que, de tão puro, ele só conseguia falar com mulheres quando bebia? E que firmar um relacionamento era missão impossível para o indiano? Pois hoje ele sai por aí namorando várias ao mesmo tempo e quebrando corações. Suas ações têm um viés cômico, mas dá dó das moças que se envolvem com ele.



(Reprodução/Reprodução/MdeMulher)
Howard Wolowitz (Simon Helberg)

O garanhão nerd – risos – se emendou. As cantadas ruins ficaram no passado e agora ele é um respeitável pai de família ao lado de Bernadette. O cabelo tigelinha diminuiu um pouco, mas continua sendo sua marca registrada visual, ao lado de um figurino ao mesmo tempo estiloso e duvidoso.



(Reprodução/Reprodução/MdeMulher)

Bernadette Rostenkowski (Melissa Rauch)

Foi ela que entrou na terceira temporada da série para colocar Howard nos trilhos. Bernadette é outra personagem feminina que cresceu e ficou mais completa no decorrer dos anos. E agora que ela tem a responsabilidade de mãe, está definitivamente a mais adulta do núcleo central de TBBT. Até seu semblante ficou mais maduro.



(Reprodução/Reprodução/MdeMulher)

Amy Farrah Fowler (Mayim Bialik)

Quando ela apareceu no último episódio da terceira temporada para um blind date com Sheldon (armação de Howard e Raj), não havia dúvida de que tinha chegado para ficar. Primeiro porque Maylim é a Blossom que o mundo amou entre 1990 e 1995 (sim, uma série da pré-história da TV), segundo porque não poderia haver par melhor para o nerd-mor. Ela tem uns repentes de femme fatale com Sheldon, mas sempre retorna ao seu estado de gênia arrumadinha, comportada e um pouco fora de moda. Também não mudou nadinha nesses anos. Taí um casal conservado!



(Reprodução/Reprodução/MdeMulher)

Stuart Bloom (Kevin Sussman)

Dono da loja de HQs que surgiu na segunda temporada, ele parece ter a função de dar força aos relacionamentos dos protagonistas. O namoro de Penny e Leonard só engrenou depois de ela aceitar um encontro com ele; Sheldon só percebeu que não queria ver Amy com outros caras depois de ela ir ao cinema com Stuart. Não é à toa que Stuart tem hoje uma expressão amargurada…



(Reprodução/Reprodução/MdeMulher)

Emily Sweeney (Laura Spencer)

Chegou toda fofa e alegrinha na sétima temporada, para ser a namorada de Raj, e agora é uma mulher bem diferente. Pudera: ele vive trocando-a por outras e querendo que ela aceite isso. Aí fica difícil mesmo manter o sorrisinho.



(Reprodução/Reprodução/MdeMulher)

Mary Cooper (Laurie Metcalf)
Cadê aquela senhora supercareta das primeiras temporadas? Ninguém sabe, ninguém viu. A mãe de Sheldon foi ficando moderninha e agora não apenas aceita como comemora o fato de o filho morar com a namorada sem casar – nos primeiros anos da série, ela provavelmente diria que o casal vivia em pecado. Além disso, a mudança de visual deixou-lhe mais relax.


(Reprodução/Reprodução/MdeMulher)
Beverly Hofstadter (Christine Baranski)





Fóssil de tartaruga SEM CASCO, de 228 milhões de anos é encontrado na China


Nova espécie não possuía um casco, tinha 1,80 metro de comprimento e foi a primeira em toda a linha evolutiva das tartarugas a ter um bico sem dentes.



Reprodução/CNN
A nova espécie de tartaruga pode ajudar especialistas a desvendar os mistérios da evolução da classe

Pesquisadores na província de Guizhou, na China, encontraram um fóssil de 228 milhões de anos de uma tartaruga um tanto quanto diferente. Ela não possuía casco, mas foi a primeira espécie na evolução a ter um bico sem dentes.

De acordo com a CNN , a descoberta da tartaruga anciente foi anunciada em estudo publicado na revista Nature nesta quarta-feira (22). A nova espécie foi batizada de Eorhynchochelys sinesis e contém características muito específicas, como a presença de costelas que, curiosamente, não contribuíram para a formação de um casco nos animais da atualidade.

“A criatura tinha mais de 1,80 metro, um corpo com o estranho formato de um disco e uma longa cauda. Além disso, a parte anterior de suas mandíbulas evoluíram para um bico incomum”, explicou Olivier Rieppel, co-autor da pesquisa e paleontólogo do Museu Field de História Natural de Chicago, nos Estados Unidos. “Ela provavelmente vivia em águas rasas e procurava seu alimento na lama”.

A descoberta foi comemorada por muitos membros da comunidade científica, já que todo o processo evolutivo das tartarugas ainda é um grande quebra-cabeças a ser montado pelos especialistas.
As dificuldades para desvendar a evolução da tartaruga.



BBC
A evolução da tartaruga ainda é um quebra-cabeças a ser desvendado por cientistas, que se animaram com a descoberta

Segundo a CNN , o maior empecilho para compreender a 'linha do tempo' desta ordem de animais é a peculiaridade de seu processo evolutivo . Ela não pode ser comparada com a de outros seres, e cada detalhe precisa ser analisado com muito cuidado.

“Esse grande e impressionante fóssil é um achado muito animador, que nos dá outra peça no quebra-cabeças da evolução das tartarugas”, disse Nick Fraser, que também participou do estudo. “Ele mostra que sua evolução não foi linear, com uma acumulação contínua de características específicas, mas uma série de eventos muito mais complexa que só estamos começando a desvendar”.

A espécie chamada Pappochelys , por exemplo, habitou a Terra há 240 milhões de anos e já possuía uma estrutura óssea sobre seu abdômen, como um “proto-casco”, o que exemplifica essa falta de linearidade. Isso também aconteceu com o bico, que apareceu primeiro na Eorhynchochelys sinesis para, muitos anos depois, surgir junto de um casco em uma outra tartaruga .

Fonte: Último Segundo - iG @ https://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/2018-08-23/fossil-tartaruga-228-milhoes-de-anos.html


quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Antigamente, eu tirava satisfação. Hoje, eu tiro a pessoa da minha vida e sigo em paz.




Uma ou outra hora, iremos nos deparar com alguma fofoca que fizeram a nosso respeito, ou com alguma maldade que armaram contra nós. Nem todo mundo gostará da gente e existirão pessoas que, além de não gostar, tentarão nos colocar em maus lençóis.
Pessoas que invejam são perigosas, porque, em vez de se motivarem a conseguir aquilo que estão invejando, querem tirar do outro o que ele possui. Invejosos não se lançam para alcançar conquistas, mas são motivados pelo ódio, pela raiva, por conta de uma autoestima em frangalhos. Sentem-se inferiores e incapazes de sair do lugar, por isso ficam estagnados, tentando derrubar o outro.



Quando chega aos nossos ouvidos alguma mentira plantada por alguém a nosso respeito, nossa primeira reação é querer tirar satisfação com a pessoa, pois a raiva nos domina de imediato. A gente leva um tempão para firmar nossos valores, para conquistar o que temos, ou seja, dói saber que tem alguém querendo destruir aquilo. Dói ainda mais quando se trata de alguém próximo.
No entanto, tentar argumentar com pessoas desse nível é inútil, uma vez que elas usam de dissimulações e de maldade, ou seja, jamais conseguiremos nos rebaixar ao nível delas, tampouco merecemos prestar esse tipo de papel. Pessoas maldosas são baixas e desprovidas de escrúpulos, baseiam-se em mentiras para viver, coisa que foge completamente aos nossos princípios. Discutir com esse tipo de gente servirá apenas pra tirar a nossa paz.

Sejamos mais práticos: em vez de tirar satisfação, tiremos a pessoa de nossa vida. Dessa maneira, estaremos nos preservando, poupando nossa saúde física e mental, sem comprometer o bom andamento de nossa jornada, sem ter que parar o que é importante para perder tempo com gente babaca. Agindo assim, seremos mais felizes, com toda certeza.

DELÍCIA'S...PORQUE AS FIBRAS NOS FAZEM TÃO BEM.



Por: Eveline Miranda
Saúde e Beleza

Qual o grupo alimentar mais importante? Talvez seja difícil responder essa pergunta de primeira.



Porém você certamente já ouviu alguém falar que as fibras nos fazem bem e que é bom consumi-las em maior quantidade.

A fibra é boa para nós porque ela alimenta bactérias “boas".Elas estão nos legumes, verduras, grãos integrais, leguminosas e frutas. Alguns podem dizer que elas são superestimadas na dieta. Mas é inegável o seu valor e a sua importância para a sobrevivência humana.
Você quer saber o motivo das fibras fazerem tão bem e como é importante consumi-las? É sobre isso que falaremos neste artigo, então não deixe de conferir.
Mas o que é a fibra?




Trata-se de um carboidrato que não é digerido pelo organismo e que faz parte da constituição de alimentos que estão no nosso dia a dia.



Evite o "Colapso Interno da Pele"
Cadastre-se e assista esta apresentação vista por mais de 1 milhão de pessoas, onde Dr. Rafael Freitas explica por que não adianta tratar a pele somente na superfície, com cremes e hidratantes.

ASSISTIR AGORA!

Existe a fibra solúvel e a fibra insolúvel. A primeira se dissolve na água e é metabolizada pelas bactérias do intestino que nos fazem bem. Já a fibra insolúvel não é diluída na água.
Outra forma de classificar as fibras é apontar as que são fermentáveis e as que não são. Enfim, existem muitos tipos de fibras. E isso da mesma forma que existem vários tipos de gorduras, com diferentes funções no organismo.
A orientação da maior parte das organizações de saúde é que as mulheres consumam 25g de fibras diariamente e os homens 38g.
A fibra é boa para nós porque ela alimenta bactérias “boas”
O corpo humano é constituído em grande parte por bactérias. Vale dizer que temos mais bactérias do que células no nosso organismo. A proporção é de 10 a 1.
Elas estão na nossa pele, boca, nariz… mas principalmente no intestino. E especialmente no intestino grosso. Lá a conta é de 100 trilhões de bactérias, de mais de 500 espécies, formando a flora intestinal.
Talvez isso pareça ruim, motivo de preocupação, mas não é. A maior parte dessas bactérias fazem bem para o organismo e ajudam em funções que não somos capazes de cumprir sozinhos. Por exemplo, algumas ajudam no controle do peso, do açúcar no sangue, nos mecanismos cerebrais e até melhoram a imunidade .
Um dos motivos pelos quais as fibras nos fazem bem é que elas chegam inteiras no intestino. E, assim, ajudam a alimentar essas bactérias que são benéficas. Desse modo, elas seguem trabalhando para o nosso bem e assim todo mundo sai ganhando.


Resultado de imagem para Grãos fibras fotos

Com essa alimentação, a quantidade de bactérias benéficas cresce, o que é ótimo para a nossa saúde. Elas se tornam capazes de produzir ácidos graxos excelentes para o corpo. Alguns deles são o propionato e o butirato, que combatem distúrbios como síndrome do intestino irritável e colite ulcerativa .
As fibras também ajudam a emagrecer



As evidências a respeito da colaboração das fibras para que possamos perder peso ainda não bastante contraditórias. Algumas delas se ligam a água do intestino, e com isso se tornam capazes de retardar a absorção de nutrientes. Isso nos mantém saciados por mais tempo .
Estudos mostram que o consumo maior de fibras faz com que a gente seja capaz de reduzir automaticamente a ingestão de calorias . É claro que isso depende do tipo de fibra. Até porque algumas terão outros benefícios a oferecer .
As fibras ajudam a controlar o açúcar no sangue
As fibras ajudam a manter o nosso índice glicêmico baixo . O que isso quer dizer, na prática? Significa que, quando consumimos refeições que contém carboidrato, as fibras fazem com que os picos de açúcar no sangue sejam menores .
Se você consome carboidratos em excesso, não há dúvidas que as fibras possam ajudar a evitar que você acabe sofrendo picos glicêmicos. Agora, se você tem problemas com níveis altos de açúcar no sangue, que tal evitar o consumo desse grupo alimentar de uma vez?
A fibra também ajuda a combater o colesterol LDL



Algumas fibras podem controlar o colesterol no sangue, diminuindo os índices de colesterol “ruim”, o LDL. O efeito não é exatamente impressionante, mas não deixa de ter sua relevância .
Pesquisas mostraram que, quando você consome de 2 a 10g de fibra solúvel por dia, passa a ter uma queda no colesterol LDL de 1,7 mg/dl para 2,2 mg/dl.
Obviamente isso depende do tipo de fibra que está sendo consumido. Assim como no caso do efeito emagrecedor, não é toda fibra que ajuda a ter os níveis de colesterol LDL mais baixos .
Ainda não se sabe se essas alterações nos níveis de colesterol apresentadas a partir do consumo de fibras solúveis se perpetuam. Isso quer dizer que os estudos ainda não foram conclusivos sobre a potencialidade desses efeitos a longo prazo. Mas isso não deixa de ser um fator interessante e estimulante para que você consuma mais fibras (27).
O efeito da fibra na constipação
Quando consumidas constantemente, elas ajudam a reduzir a constipação, no caso daqueles que sofrem com esse problema.
O seu consumo é excelente nesse sentido justamente porque ela absorve água. Isso faz com que o volume das fezes aumente. E esse aumento causa maior movimentação no intestino e facilita sua liberação.
A maioria dos profissionais de saúde indica o consumo de fibras justamente com esse fim. Isso leva todo mundo a crer que quem come fibras não fica mais constipado. No entanto, pesquisas feitas nessa direção ainda são controversas.
Alguns estudos mostram que as fibras facilitam nossa vida, quando sofremos para eliminar as fezes. Porém outras apontam que um consumo reduzido desse grupo alimentar é o que ajuda no combate à constipação.
Análises feitas em 63 pessoas que sofriam com constipação crônica levaram os pesquisadores a crer que uma dieta livre do consumo de fibras melhorou o funcionamento do intestino dessas pessoas.
De acordo com estudos, a fibra solúvel é que ajuda na constipação. Já a fibra insolúvel não colaboraria nesse sentido, apesar de ter outras vantagens.
Enfim, a dica é consumir fibras para a constipação caso elas te ajudem de fato. Então não se sinta obrigado a comê-las só porque o senso comum diz que elas vão ajudar a resolver a constipação.
A fibra protege do câncer de cólon e de reto?



Um mito que persiste há anos é de que o consumo de fibras evita o câncer de cólon ou de reto .
Estudos mostraram que, de fato, um consumo maior de fibras está associado a diminuição desse câncer. Mas outras pesquisas não indicaram nenhuma ligação entre uma coisa e outra.
A fibra é superestimada, mas tem grandes benefícios
Não dá para negar que a fibra oferece muitos benefícios à saúde. E não é por acaso que tantos especialistas indicam seu consumo.
Os alimentos que contém muitas fibras normalmente são mais saudáveis. Isso acontece porque eles são naturais ou integrais, sendo menos processados.



A quantidade de fibras recomendada, como já apontamos anteriormente, vai até 38 g, no caso dos homens adultos. Não existem evidências que um consumo inferior de fibras vá fazer mal. Porém também é fácil consumi-las em demasia, uma vez que estão nas frutas, vegetais, legumes e outros.
Não dá para negar que esse grupo alimentar é superestimado. Mas isso se deve a um fato que não pode ser negado: as fibras fazem bem e colaboram para o bom funcionamento do organismo, melhorando a saúde e a qualidade de vida. Elas não são milagrosas, mas seu consumo segue valendo a pena.

terça-feira, 21 de agosto de 2018

Arqueólogos encontram cemitério de sociedade igualitária de 5 mil anos.




CÍRCULOS DE PEDRAS PODEM SER VISTOS NA PLATAFORMA CENTRAL DO CEMITÉRIO, NO QUÊNIA, ÁFRICA (FOTO: KATHERINE GRILLO)

Pesquisadores encontraram o maior e mais antigo cemitério monumental da África Oriental de que se tem notícia. O sítio arqueológico Lothagam Pilar do Norte foi construído há cinco mil anos pelos pastores primitivos que viviam em torno do Lago Turkana, na região do Quênia.

Acredita-se que a população da área tivesse uma sociedade igualitária, sem hierarquia social estratificada. O formato amplo do cemitério contradiz as narrativas sobre as primeiras comunidades complexas, que sugerem que uma estrutura social estratificada é necessária para permitir a construção de grandes edifícios públicos ou monumentos.

Estudiosos estimam que pelo menos 580 indivíduos foram enterrados lá. Homens, mulheres e crianças de diferentes idades – de bebês a idosos – foram colocados na mesma área, sem que nenhum sepultamento tivesse tratamento especial. Além disso, todos foram enterrados com ornamentos pessoais, e a distribuição dos objetos foi relativamente igual em todo o cemitério. Para os arqueólogos, esses fatores indicam uma sociedade igualitária sem estratificação.

"Esta descoberta desafia as ideias anteriores sobre monumentalidade", explicou Elizabeth Sawchuk, da Stony Brook University, nos Estados Unidos. "Sem outras evidências, Lothagam fornece um exemplo de monumentalidade que não está ligada ao surgimento da hierarquia, forçando-nos a considerar outras narrativas de mudança social."



Publicada na revista Proceedings of National Academy of Sciences, a pesquisa indica que o Lothagam foi construído e usado entre cerca de 4,3 e 5 mil anos atrás. Os primeiros pastores levantaram uma plataforma de aproximadamente 30 metros de diâmetro e escavaram uma grande cavidade no centro para enterrar os mortos.

Depois que a cavidade foi preenchida e coberta com pedras, foram colocados grandes pilares megalíticos, alguns de até um quilômetro de distância, no topo. Círculos de pedra e moledros (montículos de pedras) foram adicionados nas proximidades.

"O Lothagam é o local monumental mais antigo da África Oriental, construído pelos primeiros pastores da região", informou Hildebrand. "Essa descoberta nos faz reconsiderar como definimos a complexidade social e os tipos de motivos que levam grupos de pessoas a criar uma arquitetura pública". 


ESCULTURA DE BOVINO FEITA DE PEDRA PELOS ANTIGOS HABITANTES DO LAGO TURKANA, NA ÁFRICA (FOTO: KATHERINE GRILLO)

Segundo os arqueólogos, Lothagam foi erguido durante um período de mudanças. O pastorismo acabara de ser introduzido na Bacia de Turkana e os recém-chegados que levavam ovelhas, cabras e gado teriam encontrado diversos pescadores e caçadores que já viviam ao redor do lago.

Além disso, os recém-chegados e os habitantes locais enfrentaram uma situação ambiental difícil, uma vez que as chuvas anuais diminuíram e o Lago Turkana reduziu em até 50%. Os primeiros pastores podem ter construído o cemitério como um lugar de união, para manter as pessoas informadas e unidas sobre as mudanças econômicas e climáticas.

"Os monumentos podem ter servido como um lugar para as pessoas se reunirem, renovarem laços sociais e reforçarem a identidade da comunidade", afirmou Anneke Janzen, do Instituto Max Planck para a Ciência da História Humana, na Alemanha. "A troca de informações e a interação por meio de rituais compartilhados podem ter ajudado os pastores a navegar em uma paisagem física em rápida mudança".

Depois de vários séculos, a pastorícia ficou obsoleta e o nível do lago Turkana se estabilizou. Foi nessa época que o cemitério deixou de ser usado.

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

QUEIJO: VEJA ESTA DELÍCIA QUE TEM 3,3 MIL ANOS. "mumificado" pode ser o mais antigo do mundo já encontrado.

Alimento estava sólido, dentro de uma tumba egípcia, e pode conter bactéria de bovinos que causa doença nos humanos.





QUEIJO FOI ENCONTRADO DENTRO DE TUMBA DE AUTORIDADE EGÍPCIA (FOTO: COURTESY OF ENRICO GRECO, UNIVERSITY OF CATANIA, ITALY)

Pesquisadores encontraram o queijo mais antigo do mundo em Sacará, sítio arqueológico do Egito. O alimento estava em um grande depósito de potes de barro quebrados, dentro do túmulo de Ptahmes, que governou a cidade de Mênfis durante o reinado dos faraós Seti I eRamsés II. Acredita-se que a tumba tenha sido construída no século 13 a.C., o que faz com que ela e o queijo tenham cerca de 3,3 mil anos.


Arqueólogos da Universidade de Catania, na Itália, e d
a Universidade do Cairo, no Egito, tropeçaram no depósito durante uma escavação entre 2013 e 2014. Dentro de um dos recipientes, eles notaram uma massa esbranquiçada "solidificada". Além disso, eles encontraram um fragmento de tecido de lona – que provavelmente foi usado para preservar e cobrir o queijo. 

"A amostra atual representa o queijo sólido mais antigo até agora já descoberto", apontou o relatório da pesquisa, publicado na revista Analytical Chemistry. O estudo também indicou que o tecido sugere que o queijo era sólido quando foi enterrado ao lado de Ptahmes.



QUEIJO ERA UMA MISTURA DE LEITE DE VACA COM LEITE DE CABRA OU OVELHA (FOTO: COURTESY OF ENRICO GRECO, UNIVERSITY OF CATANIA, ITALY).

Para ter certeza disso, uma amostra do tecido foi dissolvida em uma solução que isola proteínas. A análise laboratorial revelou que o queijo continha cinco proteínas separadas encontradas no leite de Bovídeos (vacas, ovelhas, cabras e búfalos). Destas, duas eram de leite de vaca. Os pesquisadores concluíram que o produto era uma mistura de leite de vaca com leite de cabra ou ovelha.

Ainda segundo o teste, o queijo continha uma proteína associada à Brucella melitensis, bactéria que causa a doença Brucelose. A enfermidade é transmitida de bovinos para humanos por meio de leite não pasteurizado e carne contaminada. Os sintomas incluem febre intensa, náusea, vômitos e outros problemas gastrointestinais.

Se o queijo estiver realmente infectado com a bactéria Brucella, a descoberta se torna a "primeira evidência biomolecular direta da doença durante o período faraônico", conforme escreveram os pesquisadores. Mais estudos são necessários para dizer se a proteína veio realmente de um animal contaminado.