quarta-feira, 30 de maio de 2018

Saiba e EVITE: As 10 praias mais perigosas do mundo.


As 10 praias mais perigosas do mundo
Poluição, tubarões e até lobos ameaçam seres humanos

Correntes marítimas, águas-vivas, lobos selvagens e poluição. Muitos são os perigos que ameaçam os seres humanos nas 10 praias mais perigosas do planeta, listadas pelo site The Huffington Post - mas curiosamente nenhum é o calor encontrado no lugar mais quente do mundo. Duas delas – quem diria – são brasileiras, cada uma por motivos bem diferentes, segundo a publicação. Confira!



1. Fraser Island, Austrália
O Dingo é uma espécie de lobo selvagem original da Ásia que, ao ser levado à Austrália, foi responsável pela extinção de uma série de espécies de animais locais. E a Fraser Island é território deles – tanto assim que são comuns os ataques aos seres humanos que se aventuram a circular por lá.



2. Hanakapiai Beach, Havaí, EUA
A tradução da placa, à direita, é: "Hanakapiai Beach. Cuidado! Não se aproxime da água. Correntes inesperadas mataram 68 visitantes". E aparentemente a contagem continua. Precisa dizer mais?



3. Praia de Boa Viagem, Recife
Os tubarões – claro – colocam a popular praia pernambucana no pódio das mais perigosas do planeta. Que o digam dezenas de surfistas que tentaram a sorte por lá e se deram (muito) mal.



4. Chowpatty Beach, Mumbai, Índia
O que coloca esta praia neste ranking é algo realmente inesperado – ela é letal por ser a mais poluída do mundo. Ninguém deveria se banhar aqui (alguém precisa avisar as gaivotas).



5. Litoral doTerritório do Norte, Austrália
Não é à toa que as praias desta região da costa australiana são vazias. Elas reúnem a maior população mundial de cubozoários, o mais mortífero dos tipos de água-viva que existem no planeta.



6. Praia de Copacabana, Rio de Janeiro
Assaltos, prostituição, tráfico de drogas e pequenos golpes colocam a mais conhecida praia brasileira na lista. Seu charme, porém, também é digno de fama.



7. Gansbaai Beach, África do Sul
Basta dizer que a bela praia sul-africana é conhecida como a Capital Mundial do Grande Tubarão Branco. Exemplares da espécie, aliás, podem ser vistos das areias ao longo de todo o ano.



8. Volusia County, Flórida, EUA
As praias de Volusia County, na costa leste da Flórida, muito provavelmente inspiraram o filme Tubarão (1975), de Steven Spielberg, dada a frequência com que seres humanos são atacados pelo temido peixe.



9. Kilauea Beach, Havaí, EUA
Um dos mais ativos vulcões do mundo, o Kilauea cospe sua fervilhante lava direto para as águas do mar, que, ali, superam os 43°C.



10. Playa Zipolite, México
A palavra zipolite, na língua indígena local, significa "praia dos mortos". O título vem bem a calhar: as ondas gigantescas e as fortes correntes ameaçam os banhistas durante todo o ano. Com um detalhe: ela é frequentada por naturistas.

ACABE COM SUAS DÚVIDAS. O Vale de Ossos Secos.



Ezequiel 37.1-10



-Introdução: Avivamento é voltar à vida. Por isso a visão da ressurreição dos ossos secos é uma ilustração de um verdadeiro avivamento. Toda vez que algo está morrendo em nós, precisamos de um avivamento para fazer reviver o que Deus nos dá. Deus é o dono da vida e somente Ele pode trazer o verdadeiro avivamento.

Resultado de imagem para ossos secos fotos

Sempre que Deus quer trazer um avivamento.


Resultado de imagem para ossos secos fotos

 Ele levanta um profeta (Amós 3.7), como Ezequiel que foi escolhido para ver e falar o que Deus lhe mostrava, profetizando a vida onde antes havia a morte. O grande avivalista João Wesley pedia a Deus ‘Senhor manda-nos o antigo avivamento sem seus defeitos; mas, se não for possível, manda-o de volta com todos os seus defeitos. Precisamos de um avivamento!’.
O que precisa reviver em sua vida?
Vamos refletir como profetizar o avivamento

1- O Vale do Profeta: v.1-3

A situação do lugar e dos ossos secos apresenta o diagnóstico da morte espiritual:
-SECURA: os ossos estavam sequíssimos, o que demonstra morte há muito tempo (v.2);
-SILÊNCIO: não havia vida ali, então tudo estava muito quieto;
-DUREZA: os ossos estavam muito endurecidos;
-INÉRCIA: nada se movia naquele lugar por causa da morte que imperava;
Estes sintomas de morte mostram a situação do vale onde estava o profeta. Se você está em meio à sequidão de pessoas frias emocionalmente, em meio à indiferença do silêncio, à dureza de corações que não se quebrantaram diante do Senhor e cercado da inércia porque nada acontece e as coisas não mudam, então você é um profeta no meio do vale de ossos secos.
Quando o Senhor perguntou a Ezequiel se os ossos poderiam reviver, o profeta disse sabiamente para Deus: “tu o sabes” (v.3). Como profetas, precisamos reconhecer que não sabemos de nada, mesmo que vejamos tudo errado.

Imagem relacionada

Qual é o seu vale de ossos secos?
Seja um profeta no seu vale!
ASSISTA:
2- O Profeta no Vale: v.4, 9 e 12
O profeta teve algumas atitudes importantes diante daquele vale:
-DEPENDÊNCIA: ser conduzido pelo Espírito (v.1)
-VISÃO: ver o que Deus mostra
-PERCEPÇÃO: ouvir a voz de Deus (v.3)
-PROFETIZAR: falar o que Deus manda (v.4, 9 e 12).
O profeta deve estar em total dependência de Deus e ser conduzido pelo Espírito em tudo o que faz, sabendo que a mão de Deus está sobre sua vida. Somente quem é profeta é que tem visão, porque quem está cego ou nas trevas não consegue ver. Então se você está vendo algo errado é porque você é alguém que tem visão de profeta.
Ezequiel recebeu três vezes a ordem de profetizar sobre aqueles ossos que representavam o povo de Israel. Muitas vezes Deus fala conosco e paramos por aí sendo que devemos continuar profetizando.
O que você tem visto?
Profetize o que Deus manda falar!
3- O poder da Profecia: v.7-10
Quando o profeta anunciava a palavra de Deus algumas coisas aconteciam:
-MOVIMENTO: o barulho dos ossos que se batiam ao se encontrar (v.7)
-FORÇA: nasciam tendões e ligamentos entre os ossos (v.6).
-REVESTIMENTO: nasceu carne e pele sobre os corpos levantados (v.8).
-VIDA: o Espírito de vida entrou nos corpos que foram ressuscitados (v.9).
Este processo mostra que o avivamento não acontece de uma vez. É preciso passar por cada uma destas etapas. Às vezes é doloroso quando as pessoas, ainda mortas, batem seus ossos umas nas outras. É preciso buscar consistência como ligamentos entre as pessoas. Também devemos ter paciência quando o povo ainda está na carne e sente na pele as vontades humanas. Mas quando o Espírito vem sobre seu povo, então se tornam um exército para Deus.
O que você tem profetizado?
Profetize e veja Deus operar!
Deus vai avivar você!


Imagem relacionada


-CONCLUSÃO:
Quando somos levados por Deus para o meio dos ‘vales de ossos secos’ nem sempre entendemos porque muitas vezes nós também estamos como estes ossos. Mas quando o Senhor nos levanta como profetas e nos faz ver e falar o que o Senhor quer então tudo se transforma pelo poder de Deus.

Resultado de imagem para ossos secos fotos

Muitas vezes ficamos preocupados com os outros, sendo que primeiramente precisamos nos preocupar conosco mesmos, pedindo ao Senhor que nos avive e nos faça ser profetas no meio dos vales. Se você quer ser profeta, saiba que Deus te colocará no meio de ossos secos para te usar para trazer a vida.
Você tem visto ossos secos?
Deus vai levantar um exército vivo!

terça-feira, 29 de maio de 2018

A PLANTA QUE EVITA A RETENÇÃO DE LÍQUIDO, AJUDA A PERDER PESO E COMBATE VARIZES.



A natureza nos fornece muitas alternativas naturais para tratar uma série de problemas de saúde.
Por isso, é de grande importância conhecer as propriedades medicinais das frutas, raízes e plantas.
Além do benefício da cura, a medicina natural também evita efeitos colaterais que destroem o corpo e geralmente apresenta soluções mais econômicas.
Nesta matéria, falaremos do poder de uma planta que pode chegar até seis metros de altura e que tem um cheiro forte.
Nós estamos falando da arruda.
Dela, extraímos um óleo essencial maravilhoso para o organismo.
Embora nem todo mundo suporte o sabor da arruda, ela tem propriedades antibacterianas que combatem: dermatite, fungo, pé de atleta e coceira que geralmente sentimos no meio dos dedos.
Tudo isso sem mencionar que promove o rejuvenescimento da pele.
E tem mais!
A arruda possui propriedades sedativas, capazes de relaxar o corpo e a mente em momentos de estresse e ansiedade.
Seu chá é ótimo para:
- Combater prisão de ventre
- Tratar má digestão
- Acabar com cólicas
- Aliviar dores no estômago
- Reduzir dores na cabeça

- Diminuir inchaço na barriga
- Relaxar
- Tratar amenorreia
- Melhorar a circulação nas pernas, ajudando a combater varizes
- Evitar a retenção de líquidos e acelerar a liberação de gordura, o que o torna uma bebida ideal para perda de peso
Para preparar o chá é muito simples:
INGREDIENTES
 
1 colher (chá) de arruda seca

1 xícara de água
MODO DE PREPARO
Adicione a xícara de água a uma panela e leve ao fogo médio.
Quando a água começar a ferver, adicione a colher de arruda seca e deixe no fogo durante 3 minutos.
Passado este tempo, desligue o fogo e tampe a panela para que o chá descanse por 5 minutos.
Depois é só coar e beber.
Não é recomendado tomar mais de três xícaras do chá por dia.
Além disso, se você é gestante, não beba a infusão.
A arruda pode ser muito forte para o bebê.
Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.







segunda-feira, 28 de maio de 2018

OVNIs e parapolítica no filme “Wavelength”


OVNIs e parapolítica no filme “Wavelength”
autor Wilson Roberto Vieira Ferreira


Um prato cheio de mistérios, OVNIs, coincidências e conspirações. “Wavelength” (1983) de Mike Gray (documentarista e ativista político) e produzido por um advogado não menos ativista é um daqueles filmes estranhamente esquecidos por críticos e cinéfilos. No momento atual em que autoridades vêm a público cobrar dos governos que o fenômeno OVNI seja assumido oficialmente, “Wavelength” é relembrado como um filme supostamente baseado em um caso real ocorrido em Hunter Liggett, sul da Califórnia. Principalmente após declaração de um físico que trabalhava em laboratório de pesquisas do governo dos EUA e uma testemunha do incidente que se diz surpreendido com a precisão da narrativa do filme: “Quem fez esse filme estava lá ou conheceu alguém que esteve lá”.
O filme “Wavelength” é um prato cheio para os teóricos da conspiração especializados nas conexões entre OVNIs e governos, a chamada “parapolítica”. Tanto pelo conteúdo da narrativa do filme e, principalmente, pelos eventos e coincidências que cercaram a sua produção que pesquisadores como Christopher Knowles qualificam como “sincromísticos”.
Esse sci-fi independente e de baixo orçamento foi esquecido pelo público e até mesmo pelos cinéfilos ao longo dos anos. Relembrar desse obscuro filme e dos eventos em torno dele é oportuno, principalmente depois que duas autoridades que ocuparam posições-chave em governos manifestaram a necessidade de ser assumido oficialmente a existência dos OVNIs: o ex-ministro de defesa do Canadá, Paul Heyller (acusou os EUA de “acobertamento”), e o ex-presidente russo Dmitry Medvedev que falou sobre “arquivos secretos oficiais sobre o assunto” em um rede de TV daquele país.

E, principalmente, após Henry Deacon (ex-físico que trabalhava em pesquisas com Alta Energia no Lawrence Livermore Laboratory das Forças Armadas dos EUA e atualmente trabalhando em Divisões Espaciais da Motorola GEG e consultor em projetos da Marinha dos EUA) afirmar em uma entrevista que o filme “Wavelength” teria sido baseado em um incidente real de queda de OVNI e aprisionamento de tripulantes do aparelho em laboratórios subterrâneos em um lugar chamado Hunter Liggett na Califórnia: “muitas das testemunhas morreram no Vietnã e outras foram assassinadas. Talvez eu seja a única testemunha do que aconteceu. O resto da história é um sci-fi dos anos 80 chamado “Wavelength”. Eu nunca tinha ouvido falar nele até vê-lo anos depois no Arizona. O filme descreve o incidente de forma clara e exata, incluindo a utilização de uma base abandonada no Sul da Califórnia. Quem fez esse filme estava lá ou conheceu alguém que esteve lá” (“Henry Deacon – All Interviews”, Project Camelot).


Mike Gray, diretor e autor do roteiro do filme, nega isso. Mas coincidências significativas de eventos que cercaram a produção do filme e mesmo muitos estranhos detalhes de locação do filme apontam, se não para um diretor esquivo, pelo menos para o exemplo de um filme sincromístico. Em outras palavras, “Wavelength” seria um daqueles filmes que concretizam por meio de som e imagens o zeitgeist ou “formas-pensamento” de um determinado momento ou época.
O filme
“Wavelength” pode ser considerado um sombrio e raivoso filme feito em estilo semidocumentário. Na época os críticos associaram-no à onda de filmes sobre seres alienígenas como “Contatos Imediatos” e “ET”. Porém, esse filme não apresenta o mesmo espírito otimista de “irmandade galática” desses filmes, talvez um reflexo de toda utopia new age hippie dos anos 1970 nesses filmes de Spielberg.
David Carradine faz um músico pop chamado Bobby que tenta retomar a sua carreira. Ele vive ao lado das famosas colinas de Hollywood e próximo ao que parece ser uma base militar abandonada.


Em um bar conhece Iris (Cherie Currie), vão para a casa de Bobby e passam a noite juntos. No meio da noite Iris é despertada por “pensamentos”ou vozes na sua cabeça. Ela parece ter poderes extra-sensoriais que os conduzem à base militar abandonada e, depois, para os arredores onde encontram um respiradouro no meio do mato que os conduzirá a uma complexa rede de túneis e laboratórios militares sob as colinas de Hollywood. Lá estão confinados três ETs submetidos a bizarras e agressivas experiências pelos cientistas. Na verdade Iris estava ouvindo seus pedidos de socorro e sentia suas dores.
Os aliens têm o aspecto de três crianças humanas com as cabeças raspadas, talvez uma estratégia do diretor em um orçamento apertado. Eles precisam desesperadamente sair do subterrâneo, pois são seres que se alimentam da luz do Sol. Sem isso, eles começam a sugar a energia de quem estiver por perto, fazendo morrer alguns cientistas da base. Os militares interpretam isso como uma doença por “contaminação radiativa” dos seres e decidem fugir e selar todas as saídas. Na confusão Bobby e Iris conseguem libertar os seres e fogem a tempo antes do fechamento do complexo subterrâneo.
Começa daí a fuga dos protagonistas com as Forças Armadas dos EUA no encalço.
Eventos sincromísticos


O primeiro detalhe surpreendente do filme é que a “base” militar abandonada das primeiras sequências do filme é real. Não é bem uma base, mas um estúdio cinematográfico secreto chamado Lookout Mountain localizado nas colinas de Hollywood e que funcionou entre 1947 e 1969. Sob o comando da Força Aérea produziu filmes secretos, por exemplo, sobre as experiências nucleares pelo Departamento de Defesa e Comissão de Energia Atômica. Recentemente o estúdio foi colocado à venda por seis milhões de dólares.
O diretor Mike Gray afirmou em entrevistas que morava nas proximidades das colinas de Hollywood e próximo a Lookout Mountain, onde conheceu o ator David Carradine. Ele apenas juntou tudo isso e surgiu o argumento do roteiro.
Mike Gray foi escritor e ativista político, conhecido pelos seus documentários e trabalhos de não-ficção. Formado em Engenharia Aeronáutica trabalhou para a “Aviation Age” e mais tarde com publicidade em Chicago. Mas começou a produzir documentários com forte teor político como o filme sobre o assassinato do membro do movimento “Panteras Negras” Fred Hampton, em 1968.
Em Hollywood experimentou um momento altamente sincromístico: escreveu o roteiro do conspiratório filme “Síndrome da China” (1979) que descreve um grave acidente em uma usina nuclear em Los Angeles. Duas semanas depois do lançamento do filme, ocorreu o acidente real na usina de Three Mile Island que lhe faria alcançar a notoriedade.


Mais tarde, em 1981, produziu o documentário para TV “The Rocket Pilots” onde usou suas conexões com a indústria aeroespacial para fazer dispendiosas tomadas na Base Aérea de Edwards. Com esse forte foco foi um passo para a realização de “Wavelength”, mas Gray insiste que o filme nada teve a ver com o incidente real com OVNI.
Gray dirigiu e escreveu um filme sobre aliens sério, raivoso e politicamente carregado. Um filme independente financiado por Maurice Rosenfield, um advogado conhecido por ações judiciais classistas.
Por isso muitos acreditam que na verdade o tema ETs e laboratórios subterrâneos foi nada mais do que uma alegoria. Na verdade Gray tratou de forma indireta sobre o infame MKUltra Project (que permaneceu oficialmente ativo de 1953 a 1973, mas muitos afirmam que suas experiências permanecem atualmente em igrejas evangélicas e seitas místicas), projeto secreto do governos dos EUA que envolveu pesquisas sobre métodos para manipular estados mentais e alterar funções cerebrais mediante administração de LSD, hipnose, privação sensorial, tortura, isolamento, abusos verbais e sexuais etc.
Uma sequência significativa no filme (veja fotos acima) é quando Iris para em frente em uma das paredes do laboratório subterrâneo onde vemos pequenos quadros contendo frases com códigos de conduta a serem aplicados pelos soldados. Para os pesquisadores em parapolítica, são algumas ideias do MKUltra a ser incutidos em soldados com técnicas de lavagem cerebral. Isso explicaria o porquê dos baixos índices de tentativas de fuga por soldados norte-americanos capturados: estariam condicionados psicologicamente a resistirem a qualquer forma de interrogatório ou situações de privação psicológica.
No final fica a questão: como enquadrar o filme “Wavelength”? É um filme sobre parapolítica sobre OVNIs? Um caso sincromístico? Ou um simples filme feito por ativistas políticos querendo denunciar os abusos cometidos pelos projetos secretos do governo norte-americano?
O fato é que depois desse filme Mike Gray passou a interessar-se pelo tema: produziu uma temporada para a adaptação à TV do filme “Starman” (1984) de John Carpenter e foi convidado a dirigir a segunda temporada de “Star Trek: The Next Generation”.



O filme nunca foi lançado em DVD. Abaixo um VHS-rip. As legendas (em inglês) podem ser encontradas clicando aqui.
Ficha Técnica

Título: Wavelength

Diretor: Mike Gray

Roteiro: Mike Gray

Elenco: Robert Carradine, Cherie Currie, Keena Wynn

Produção: The Rosenfield Company, Wavelength Film Company

Distribuição: Embassy Home Entertainment (1984)
  • Ano: 1983

  • País: EUA