sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Imagem impressionante mostra mergulhador através dos "olhos" de um golfinho. Entenda!


golfinhos 
Por Bruno Rizzato
Imagens extraordinárias adquiridas por um sonar de um golfinho revelaram como este animal 'vê' um nadador humano utilizando a ecolocalização.


Cientistas produziram os contornos borrados de um homem submerso depois de gravar os sinais de sonar com um microfone subaquático e convertê-los em imagens. Um sofisticado processamento foi usado para transcrever a forma das ondas sonoras, quando elas são ‘impressas’ sobre a água, criando as imagens. Uma técnica semelhante foi utilizada há três anos para capturar a vista de ecolocalização de um golfinho, em relação a objetos submersos inanimados, indicando que os cetáceos realmente podem usar o sonar para enxergar.

A líder da equipe, Jack Kassewitz, do projeto Speak Dolphin, com sede nos EUA, que promove a comunicação entre os seres humanos e os golfinhos, disse: “Esta é a primeira vez que temos uma imagem capturada de um golfinho, de um homem submerso. Nós empregamos uma técnica similar em 2012 para capturar imagens de ecolocalização de um golfinho, avistando um vaso de flores e vários outros objetos de plástico submersos. Porém, a presente pesquisa confirmou este resultado e muito mais”.
 ecolocalizacao golfinhos
A pesquisa, conduzida com a ajuda de especialistas britânicos, aconteceu no Dolphin Discovery Centre, em Puerto Aventuras, México. O nadador subaquático, Jim McDonough, usava um cinto de lastro e exalou a maioria do ar de seus pulmões para superar sua flutuabilidade natural. A decisão foi tomada para não usar um aparelho de respiração que iria gerar bolhas, que poderiam afetar os resultados do experimento. O sinal de eco foi enviado por e-mail a um cientista britânico, que foi o inventor da pioneira nova tecnologia chamada Cyma Scope, que faz o som ficar ‘visível’.

"Quando eu recebi a gravação de Jack, ele tinha me dito apenas que poderia conter uma reflexão de ecolocalização do rosto de alguém. Eu notei o nome do arquivo, 'Jim', então eu assumi que a imagem, se existisse dentro do arquivo, seria a do rosto de um homem. Eu estava um pouco duvidoso que isto poderia ser alcançado porque a imagem que tinha realizado em 2012 era de simples objetos de plástico sem detalhes inerentes, ao passo que um rosto é uma forma altamente detalhada”, explicou, a princípio, o físico Dr. John Stuart Reid, que chefia a equipe Cyma Scope.

O princípio básico do instrumento Cyma Scope é a transcrição de periodicidades sônicas para periodicidades de ondas na água. Em outras palavras, a amostra de som é impressa sobre uma membrana de água. A capacidade do Cyma Scope de capturar as imagens dos golfinhos relaciona-se com as propriedades quase-holográficas do som e sua relação com a água. Repassando o vídeo quadro a quadro, vi algo totalmente inesperado. Era o esboço fraco de um homem”, completou ele.
 ecolocalizacao golfinhos 01
  
O processamento do computador foi aprimorado e a imagem foi digitalmente limpa, produzindo mais detalhes da ‘visão’, incluindo o cinturão de peso usado por McDonough. Os resultados sugerem que os golfinhos podem sentir mais do que a sombra de um objeto com sua ecolocalização, e são capazes de resolver características de superfície, segundo Kassewitz.

“O golfinho teve cerca de 50 milhões de anos para evoluir seu sentido de ecolocalização. Os biólogos marinhos estudaram a fisiologia dos cetáceos por apenas cerca de cinco décadas, e eu tenho trabalhado com John Stuart Reid por apenas cinco anos. Mesmo assim, o nosso recente sucesso deixou todos sem palavras. Nós agora achamos que é seguro especular que os golfinhos podem empregar uma ‘forma sono-pictórica’ de linguagem, partilhando imagens uns com os outros. Se isso se provar verdadeiro, um futuro emocionante está por vir para as comunicações interespécies”, concluiu o pesquisador
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário