sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Para quem escreve ou fala de sí! 10 conselhos de Carlos Drummond de Andrade a um escritor iniciante...

Tive que kibar isso do Trabalho Sujo, que kibou do escritor e jornalista, Michel Laub. Então eu...

Quer escrever bem? Clique aqui...

10 conselhos de Carlos Drummond de Andrade a um escritor iniciante:






Drummond, seu danado...
1. Não acredite em originalidade, é claro. Mas não vá acreditar tampouco na banalidade, que é a originalidade de todo mundo.
2. Não fique baboso se lhe disserem que seu novo livro é melhor que o anterior. Quer dizer que o anterior não era bom. Mas se disserem que seu livro é pior que o anterior, pode ser que falem verdade.
6. Opinião duradoura é a que se mantém válida por três meses. Não exija maior coerência dos outros nem se sinta obrigado intelectualmente a tanto.
7. Procure não mentir, a não ser nos casos indicados pela polidez ou pela misericórdia. É arte que exige grande refinamento, e você será apanhado daqui a dez anos, se ficar famoso; se não ficar, não terá valido a pena.
8. Se sentir propensão para o gang literário, instale-se no seio de uma geração e ataque. Não há polícia para esse gênero de atividade. O castigo são os companheiros e depois o tédio.
9. Evite disputar prêmios literários. O pior que pode acontecer é você ganha-los, conferidos por juízes que o seu senso crítico jamais premiaria.
10. Leia muito e esqueça o mais que puder. Só escreva quando de todo não puder deixar de fazê-lo. E sempre se pode deixar.
a-literatura
Como escritor que me considero (se eu não me considerar, que há de fazer?), vejo essa singela lista como um poço de ideias e bons conselhos. Como pessoa, idem. Afinal, o danado aí em cima fala de sofrimento, vaidade, critério e amizade.
É, Drummond, contigo eu tô sempre aprendendo. Danado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário