terça-feira, 26 de novembro de 2013

Mercado Artístico de Israel....Em pleno deserto e com projetos de irrigação se consegue...E nós porque não?


Mercado Artístico de Israel...



O Mercado Público de Florianópolis passará por uma grande reforma. O novo mix irá atender os desejos dos freqüentadores por mais produtos típicos e regionais. Ficará com a cara da cidade. Será o mais completo e bonito do Brasil. Para valorizar ainda mais o seu espaço, não é preciso inventar, basta olhar o que é feito em alguns mercados do mundo como este de Israel de hortifrutigranjeiros.



Em pleno deserto e com um projeto de irrigação que tornaria as áreas secas do nordeste brasileiro uma floresta, tudo cresce com qualidade, como estes pimentões amarelos e os cebolões.



Misturando cebola roxa e amarela com pêssegos, batatas inglesas e doces, com abobrinhas, maçã verde e vermelha e alho e pimentões, a imaginação do consumidor já desenha o que irá preparar.



Estas prateleiras levam qualquer um ao delírio. Assim é fácil de criar pratos saudáveis e ricos em vitaminas.




O circulo feito com alcachofras, recheado com beterrabas, mini abóboras moranga, tomates, ameixas , batatas, vagem, ovos, alho, rabanetes, goiabas e pimentões, é acompanhado de figos, castanhas, milho, pêssegos, castanhas e conservas.



Ao centro, chama atenção o ovo de avestruz cercado pelos tradicionais. O cuidado com a iluminação é importante para dar mais vida ao que é oferecido. No alto, a variedade de abóboras e conservas, mostra como é cultivado o hábito de preservar alguns produtos para a entre safra.



Pelo tamanho das raízes observamos o cuidado na hora de retirar da terra as cenouras cultivadas no deserto e irrigadas uma por uma diretamente na raiz. Ao centro, cebolas brancas gigantes cercadas por tomates variados e pimentas.



Temperos e verduras plantadas para serem consumidas quando bem desejar e prateleiras com inclinações diferentes, fazem qualquer um que vá a este mercado ter consciência das dificuldades que enfrentam para tirar do deserto o seu sustento e ainda exportar para a Europa, alimentos, vinhos e flores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário