segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Um ensinamento para o resto de suas vidas Ore sem se importar com o julgamento alheio...Deus, Ele é o único que julgará como ser julgado...com precisão e justiça.

Ore sem se importar com o julgamento alheio...


A oração é uma prática espiritual que nos fortalece para enfrentarmos os desafios da vida cristã. Por ela Deus enche o coração de ousadia diante de um mundo perverso. Contudo, é preciso tomar alguns cuidados para não achar que o cumprimento do rito é suficiente para que as orações alcancem a favor divino.

Uma das formas pelas quais me fortaleço com as orações é pedindo a Deus sabedoria para agir. De uma forma maravilhosa na maioria das vezes sinto meu coração enchendo-se de graça. Por ela também tenho a chance de observar mais profundamente minhas motivações. É aí que está a essência da verdadeira oração.


Jesus quando falava no sermão do monte aos seus discípulos os exortou a não praticarem a oração como faziam os hipócritas (Mt. 5:5). Esses iam paras praças e entoavam longas orações para serem vistos pelos homens. Porém, as orações dos cristãos não deveriam ter como motivação a opinião alheia. Eles deveriam orar em secreto buscando apenas os olhos do Senhor.

No dia a dia corremos o risco de fazer nossas orações uma repetição de palavras eloquentes para que outros se agradem. Há quem goste de repetir em voz audível os atributos divinos para que outros conheçam o quanto ele sabe acerca de Deus; outros gostam de testemunhar de suas experiências em suas falas para que sua imagem seja espiritualizada ante a congregação. Isso caracteriza a oração que não serve para nada, exceto para revelar a cegueira do pedinte.

A oração é um meio de graça. Fazer dela um instrumento de vã glória é tomá-la como juízo. Jesus, inclusive, disse que os hipócritas já haviam recebido da devida recompensa (Mt. 6:5). Aqueles que estão preocupados com o julgamento que alguém irá fazer de suas orações dificilmente exercitará a espontaneidade de orar com fé a um Deus pessoal e presente.



Não há mais cerimônias para falar com Deus. Diz as Escrituras que o véu do templo foi rasgado (Mc. 15:37,38). Jesus nos possibilitou a presença de Deus. Não porque temos algo em nós mesmo que possa nos dar esse privilégio, mas pelo sangue de Cristo derramado na cruz. Ele nos levou de volta a harmonia com Deus. Sendo assim, podemos abrir nossos lábios na certeza de que Senhor está a nos ouvir e socorrer. 

Paulo ainda nos diz que o Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis (Rm. 8:26). Nem sempre nossas palavras são exatas para expressar os anseios profundos da alma. Diante disso, o Senhor Deus nos deu o seu Espirito para que as nossas petições pudessem chegar de forma digna diante do Pai.

Ponha por terra o cerimonialismo que te impede de fazer orações espontâneas. Faça-as apenas em nome de Jesus, pois é por meio da autoridade e mediação dele que Deus abre os tesouros dos céus para os seus filhos. Essas bênçãos estão disponíveis a todos que se achegam a Deus pela fé em seu Filho, Jesus.






Nenhum comentário:

Postar um comentário