segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Grande e importante revelação! Ron Paul admite que o ataque químico na Síria foi uma operação "Falsa bandeira"!

Questões reveladoras e animadoras!



Ron Paul admite que o ataque químico na Síria foi uma operação "Falsa bandeira"


Ron Paul admite que o ataque químico à população síria foi muito provavelmente uma operação "Falsa bandeira", isto é, foi um ataque efetuado pelos rebeldes pagos pelos próprios americanos, com seus aliados França, Israel e GB, para justificar uma guerra.

De fato, como salta aos olhos, seria absurdamente burro da parte do governo sírio fazer uma coisa dessas quando sabe que todos os satélites americanos estão lá à espera exatamente disso para justificar a próxima "libertação" da Síria, isto é, sua ruína total.

Parabéns ao libertário republicano. Prova que ainda há gente decente na política americana. Pouca, mas há. 


AINDA Explicando a "falsa bandeira"


Novamente um ataque com gás sob falsa bandeira




Inacreditavel.com

No fundo estou saturado em verificar cada uma das notícias sensacionalistas que a mídia nos apresenta diariamente, se elas fazem sentido ou não, ou se é novamente uma mentira ou ilusão. Nos últimos 12 meses já apareceu frequentemente a afirmação de que o exército sírio teria utilizada gás venenoso e toda vez a notícia se revelou como falsa. O mesmo acontece agora com este novo e horripilante alarde.


Mas é muito fácil saber do que se trata: é uma encenação e operação sob falsa bandeira dos terroristas na Síria, para provocar finalmente uma intervenção militar do ocidente contra o país. Isso nos leva à pergunta, quem leva vantagem aqui, quem se aproveita de um ataque com gás venenoso? A resposta já nos aponta quem se esconde atrás, ou seja, aqueles que jogaram no ar a afirmação, a assim chamada oposição síria. Mas vamos dar uma espiadela nos fatos.

A 15 de agosto, as mídias anunciaram que as pré-condições para a missão dos especialistas da ONU estavam concluídas. Os inspetores estariam prontos em Den Haag para partir para a Síria. Eles devem investigar, se o exército sírio chegou a utilizar armas químicas. A equipe é liderada pelo sueco Ake Sellström. Segundo informações da ONU, ela deve permanecer 14 dias no país. Os inspetores deverão investigar três locais onde armas químicas teriam sido provavelmente usadas, pois o governo e oposição se acusam mutuamente de um lado ter usado tais armas contra o outro.

Poucos dias depois, os inspetores da ONU chegaram a Damasco e o que aconteceu? Justamente diante de sua janela do hotel acontece um ataque com gás. Que coincidência. A notícia se espalhou pelo mundo, foguetes contendo gás venenoso caíram no alvorecer do dia 21 de agosto em diversos locais da capital Damasco. A oposição afirmou que foi um ataque do governo sírio e houveram 494 mortes devido aos bombardeios, 90% das vítimas teriam morrido por causa do gás. Durante o dia, o número de vítimas aumenta continuamente de hora em hora e o número final de mortos chegou a 1.300.


George Sabra, da Coalisão Nacional Síria, disse que este ataque proferiu um “golpe mortal” em todas as esperanças por uma solução política. “Desta vez o governo não queria intimidar as pessoas, mas sim exterminá-las”, disse ele em Istambul. Sabra acusou a comunidade internacional de cumplicidade. “A indecisão dos EUA está matando a gente. O silêncio de nossos amigos está matando a gente. O descaso da comunidade internacional está matando a gente.” 

Uau, não poderia funcionar melhor para a oposição. O mundo finalmente tem a prova de como Assad é mau e os inspetores da ONU são quase testemunhas do crime. Definitivamente agora a linha vermelha foi ultrapassada e Obama não tem mais motivos para delongas e pode ordenar um ataque contra a Síria. A negociação de paz marcada para 28 de agosto, em Genebra, pode ser esquecida. A oposição não quer participar, pois para ela somente conta uma solução armada.

Olá! O presidente Assad pode ser muita coisa, mas não é idiota. Se ele permite a entrada dos inspetores da ONU e sabe que eles estão lá, então certamente ele não iria ordenar um ataque com gás e muito menos em Damasco diante dos olhos da equipe de especialistas da ONU. Também não houve uma confirmação independente, de quem veio o ataque e o exército sírio rechaçou categoricamente o uso de gás venenoso na quarta-feira. Ele acusa a oposição de ter inventado a alegação e ter executado ela própria o ataque.

“Estas afirmações são completamente falsas e totalmente infundadas e parte da guerra suja da mídia de alguns países contra a Síria”, disse um porta-voz do exército sírio.

O ex-diplomata sueco Rolf Ekeus, que liderou a equipe de inspetores de armas da ONU no Iraque, em 1990, disse que este acontecimento, o horário e o local que foram noticiados, referentes à utilização de armas químicas – apenas três dias depois da chegada de uma equipe de especialistas da ONU em um hotel em Damasco, alguns quilômetros a leste e no início de sua missão – é uma surpresa. “Seria muito estranho, se o governo tivesse feito isso, no exato momento onde inspetores internacionais chegam ao país”, disse Ekeus. “Em todo caso isso não teria sido muito esperto”.

Taleb Ibrahim, um conhecido analista político sírio e sociólogo, concedeu uma entrevista à Voice of Russia no dia do ataque e disse:

“Nós ficamos muito surpresos hoje de manhã na Síria, ao ouvir a notícia sobre o ataque químico. Sky-News, al-Arabya, al-Jazeera e outras emissoras de televisão se atropelavam e cada uma tentava contar mais mortos que a concorrente. No início eram 60 mortos, então outra emissora anunciava várias centenas, a terceira nominou 500, então a primeira 600 e assim por diante. Isso já aconteceu antes. Sempre que especialistas internacionais vão até a Síria, acontece um ataque substancial das mídias. 

A pergunta é, o governo da síria é tão idiota para utilizar armas químicas justamente no instante que chegam os especialistas em armas químicas? Somente um tolo pode acreditar nisso tato. Toda vez, 24 horas antes da chegada dos especialistas da ONU, os militantes vestem uniformes do exército sírio e atacam civis em algum lugar. Eles ameaçam os civis diante das câmeras e posteriormente publicam na internet. Um truque, mas algumas pessoas acreditam. 

No que concerne as armas químicas, eu declarei em uma entrevista para Sky-News há um ano e meio, que segundo minhas informações as armas químicas da Líbia foram levadas até a Turquia. Eu exigi que ela tornasse pública essa notícia para que as armas não caíssem nas mãos dos terroristas. Seis meses depois, os militantes utilizaram armas químicas contra os civis sírios.” 

A 21 de agosto, apareceram então vídeos da oposição no Youtube que mostravam as supostas vítimas dos ataques. Estas imagens também apareceram no mundo todo e foram exibidas em diversas emissoras de TV. Cenas chocantes, uma série de cadáveres enrolados em lençóis brancos. Apenas uma coisa não se encaixa nos vídeos, pois alguns deles foram carregados no Youtube um dia antes do ataque. Eles levam a data de 20 de agosto!


Como isso é possível? Como que os vídeos das vítimas podem ser carregados no Youtube um dia antes e o ataque acontecer no dia seguinte?

Além disso, se o ataque com armas químicas aconteceu às 3:30do dia 21 de agosto, como é afirmado, seria impossível publicar tão rápido os outros vídeos. Se pensarmos que primeiramente os cadáveres devem ser reunidos em um local determinado, então enrolados nos lençóis e filmados. Então a gravação deve ser transferida para um PC e editada, para só então carregar no Youtube. Isso dura no mínimo um dia inteiro.


Aparentemente a trama toda foi preparada e encenada previamente. O mundo foi novamente ludibriado e iludido para que todos acreditem, o governo sírio lançou um ataque com gás. Isso é lógico. Se ambos os lados são cientes de que os países ocidentais estabelecem como critério para uma intervenção na Síria, o uso de armas químicas, então a oposição fará de tudo para que assim seja visto e o governo fará de tudo para evitar isso.

Se o governo não fornece tal pretexto, o que Assad sempre salientou, então deve-se providenciar uma pequena ajuda. Eles mesmos fazem o ataque, filmam as vítimas e gritam bem alto por ajuda. Quem lucra com tudo isso? Somente aqueles que querem a entrada das tropas da otan no país, o estabelecimento de uma zona de restrição aérea e uma guerra aérea. Especialmente quando se está diante da derrota e o exército sírio vai liberando vilarejo após vilarejo, limpando e reconquistando cidades após cidades dos bandos terroristas.

Agora alguns irão dizer que tudo isso não pode ser tão diabólico, assassinar pessoas com gás venenoso e jogar a culpa no governo. Ah, não? Quantos vídeos eu já mostrei aqui que exibem os mais terríveis massacres de civis por parte dos terroristas e como vítimas indefesas são fuziladas oudecapitadas. Esses assassinos sedentos de sangue são capazes de tudo! A maioria dos “rebeldes” não são sírios, mas sim jihadistas infiltrados do estrangeiros pagos como mercenários.

O porta-voz do ministério do exterior russo, Alexander Lukashevich, disse sobre o uso de gás venenoso, segundo suas fontes na Síria, tratar-se de foguetes manufaturados artesanalmente, que levam uma substância desconhecida. Eles foram disparados de uma área que está sob controle dos terroristas. “Isso aponta mais uma vez que nós estamos lidando com uma provocação planejada”, afirmou Lukashevich.

“É apoiado por fatos, que a ação criminosa aconteceu nas proximidades de Damasco, exatamente no período que uma missão de especialistas da ONU estava prestes a iniciar seus trabalhos para verificar as acusações de uso de armas químicas.” 

“As mídias regionais iniciaram, quase que a partir de um comando, a jogar a culpa no governo. Os foguetes feitos artesanalmente portando uma substância venenosa – semelhante aos foguetes utilizados pelos terroristas a 19 de março em Khan al-Assal – foram disparados na manhã de 21 de agosto de um local ocupado pelos terroristas.” 

“Tudo isso parece ser uma tentativa, custe o que custar, de criar o motivo para exigir a colocação do Conselho de Segurança ao lado da oposição, e com isso enterrar as chances das negociações de paz em Genebra”, acrescentou Lukashevich.

Este ataque criminoso auto-encenado pode ser usado agora pelos incitadores de guerra do ocidente como passe livre para a guerra contra a Síria. Neste contexto, uma especialista classifica a força comprobatória dos vídeos como inconclusivas. Paula Vanninen do Instituto Finlandês para Verificação da Convenção de Armas Químicas não está totalmente convencida, pois os auxiliares não portavam qualquer roupa protetora, disse ela. Mas para o ministro do exterior francês, Laurent Fabius, não existe qualquer dúvida e ele ameaça indiretamente com um ataque militar, caso a suspeita se confirme.

Segundo novas notícias, o exército sírio encontrou em um depósito que era utilizado pelos terroristas, em Jobar, nas proximidades de Damasco, substâncias químicas venenosas – incluindo cloro. Deve-se tratar de um laboratório para a fabricação de armas químicas. Sobre os tambores dos produtos químicos aparece “Made in the kingdom of saudi arabia". O exército reporta que os terroristas estavam disparando morteiros carregados com a substância química, sobre os arredores de Damasco.

Quer dizer que os rebeldes, apoiados financeiramente e militarmente pelo ocidente, eu me refiro à Frente Al-Nusra, assassina inúmeros civis com armas químicas em Damasco e a ONU bombardeia na sequência todo o país como punição. Totalmente lógico!



Poderá também gostar de:








Síria diz que Terroristas vão atacar Europa com Armas Químicas




O vice-chanceler sírio, Faisal Maqdad, disse nesta quarta-feira que Estados Unidos, Grã-Bretanha e França ajudaram"terroristas" a usar armas químicas na Síria, e que os mesmos grupos vão em breve atacar a Europa com essas armas.

Falando a repórteres do lado de fora do hotel Four Seasons em Damasco, Maqdad disse que apresentou provas aos inspetores de armas químicas da ONU de que "grupos terroristas armados" usaram gás sarin em todos os locais dos supostos ataques.

"Nós repetimos que grupos terroristas são aqueles que usaram (armas químicas) com a ajuda dos Estados Unidos, Reino Unido e França, e isso tem que parar", disse. "Isso significa que essas armas químicas serão usadas em breve pelos mesmos grupos contra o povo da Europa", acrescentou.

Fonte: Terra Notícias 




Nenhum comentário:

Postar um comentário