sábado, 7 de setembro de 2013

Antigo orgulho hoje: Cia. Cinematográfica Vera Cruz - São Bernardo do Campo! Grande acervo na espera de recuperação!

Cia. Cinematográfica Vera Cruz - São Bernardo do Campo...


(Desculpem a qualidade da postagem.... Tentei o máximo ser fiel, quanto a originalidade dela)

Mais uma parte da Historia severamente comprometida!

Antigo orgulho, 'hoje': Cia. Cinematográfica Vera Cruz - São Bernardo do Campo! "ABANDONADO"... Grande acervo na espera de recuperação!

Retomada da produção nacional

Para recuperar a memória da Vera Cruz e revitalizar os estúdios da companhia a Secretaria de Estado da Cultura, em parceria com a Fundação Padre Anchieta e Prefeitura de São Bernardo do Campo, criaram o Projeto Nova Vera Cruz. O objetivo é transformar o espaço ocupado pelo estúdio no mais moderno complexo cinematográfico do País. 

Ainda em fase de planejamento, a iniciativa pretende criar um Núcleo de Formação Audiovisual, um acervo museográfico para exposição de filmes, documentos da época, fotos, cartazes, além de implantar uma incubadora de empresas da área audiovisual. Produções televisivas e publicitárias também poderão ser trabalhadas na nova estrutura do espaço Vera Cruz.

De acordo com a Prefeitura de São Bernardo do Campo, o valor estimado para a revitalização da Companhia Cinematográfica é de R$ 15,4 milhões. O município deve receber até 2013 R$ 9 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) das Cidades Históricas, do governo federal, para iniciar o projeto.
Vera1.jpg
Coluna Memória de 15-3-2004= SUBSÍDIOS À HISTÓRIA DA VERA CRUZ
  • Em 3 ou 4 de novembro de 1949, constituída a Cia. Cinematográfica Vera Cruz
  • , com estúdios em São Bernardo
1 949 = Em 4 de novembro, Criada por Franco Zampari e Francisco Matarazzo 
Sobrinho a Cia. Cinematográfica Vera Cruz, em São Bernardo. Durante sua 
existência, produziu 18 longas metragens e alguns documentários, entre os 
quais: Caiçara, Noite Vazia, Grande Sertão Veredas, Floradas na Serra. 
Dissolvida em 1 954, devido aos empréstimos que contraiu, a Cia. deixa o 
patrimônio, como parte do pagamento.
  • Filmografia da Cia. Vera Cruz - Pb.15/2/2004
  • 1949 = Fundação
  • 1950 = Lançamento do 1o. filme, Caiçara (drama), de Adolfo Celi, com Eliane 
  • Lage, Abílio Pereira de Almneida e Célia Biar.
  • 1951 = Terra é Sempre Terra (drama) de Tom Payne, com Marisa Prado, 
  • Abílio Pereira de Almeida e Ruth de Souza
  • 1951 = Ângela (drama) de Abílio Pereira de Almeida, com Elane Lage, Alberto
  •  Ruschel e Inezita Barroso
  • 1952 = Tico-Tico no Fubá (melodrama musical) de Adlfo Celi, biografia 
  • romanceada de Zequinha de Abreu, com Anselmo Duarte, Tônia Carrero e 
  • Ziembinsky
  • 1952 = Sai da Frente (com´pedia popular) de Abília Pereira de Almeida com 
  • Amácio Mazzaropi e Ludy Veloso
  • 1952 = Appassionata (drama) de Fernando de Barros, com Tônia Carrero, 
  • Anselmo Duarte e Ziembinsky
  • 1952 = Nadando em Dinheiro (comédia popular) de Abílio Pereira de 
  • Almeida e Carlos Thiré, com Amácio Mazzaropi, Ludy Veloso e Liana Duval
  • 1952 = Veneno ( suspense) de Giani Pons, com Anselmo Duarte e Leonora 
  • Amar
  • 1953 = O Cangaceiro(drama romântico), de Lima Barreto, premiado no 
  • Festival de Cannes, com Alberto Ruschel, Marisa Prado e Adoniran Barbosa
  • 1953 = Uma Pulga na Balança (comédia) de Luciano Salce, com Waldemar 
  • Way, Gilda Nery e Paulo Autran (
  • 1953 = Sinhá Moça (melodrama histórico abolicionista) de Tom Payne e 
  • Oswaldo Sampaio, premiado no Festival de Veneza, com Anselmo Duarte, 
  • Eliane Lage e Eugênio Kusnet
  • 1953 = Esquina da Ilusão (comédia de costumes) de Ruggero Jacobi, com 
  • Alberto Ruschel, Ilka Soares e Nicette Bruno
  • 1953 = A Família Lero-Lero (comédia de costumes)de Alberto Pieralisi, com 
  • Walter d' Avila, Marina Freire e Renato Consorte
  • 1953 = Candinho (comédia popular), de Abílio Pereira de almeida, com 
  • Amácio Mazzaropi e Marisa Prado
  • 1953 = Luz Apagada ( drama) de Carlos Thiré, com Mário Sérgio, Hermínio 
  • Sapalla e Maria Fernanda
  • 1954 = Na Senda do Crime (policial) de Flaminio Bollini Cerri, com Miro 
  • Cerri, Cleyde Yaconis e Vicente Leporace
  • 1954= È Proibido Beijar (comédia) de Ugo Lombardi, com Tônia Carrero, 
  • Mário Sérgio e Ziembinsky
  • 1954 = Floradas na Serra (melodrama) de Luciano Salce, com Cacilda Becker,
  •  Jardel Filho e John Herbert
  • 1954 = Falência

UMA PULGA NA BALANÇA - Em 15 de abril de 1953, a Cia lança o filme que deu a

 Gilda Nery o Prêmio Governador do Estado. Geraldo Faria Rodrigues, futuro 
vereador, vice-prefeito e prefeito de São Bernardo, atuou como assistente de 
produção.
Veracruzfalenciaum.jpgLajeum.jpg

Veracruz60um.jpgVeracruz60dois.jpg

Veracruz60tres.jpg
  • Em 15 de agosto de 1951, a Cia. Lança o filme “ Angela “.
  • Em 25 de junho de 1952, a Cia. lança o filme " Sai da Frente ", com Mazzaropi.

  • Em 10 de setembro de 1952 a Cia. Lança um novo longa metragem: 
  • Apassionata.
Em 22 de janeiro de 1935, José Gomes de Abreu, o Zequinha de Abreu, autor de 
Tico-Tico no Fubá, falece em São Paulo. Sua vida virou filme da Cia. 
Cinematográfica Vera Cruz, em São Bernardo.
  • Pb.Diário de 15/03/2004= Cia.Cinematográfica, sonho de uns idealistas e o 
  • vereador Lenildo de Freitas Magdalena, o mais antigo dos vereadores do 
  • Grande ABC na ativa.
Foi ele que apresentou projeto de tombamento dos antigos estúdios, em 1987, 
com muita objeção pois haviam interesses econômicos maiores daquele pedaço 
do Jd.do Mar. A LEI aprovado no legislativo foi vetada pelo Prefeito Aron 
Galante mas a Câmara derrubou o veto por unanimidade. Graças ao Gipem e do 
Prof. Ricardo Lewandowski , secretário de Assuntos Jurídicos. Este defendia o 
não tombamento, mas Valdenízio Petrolli em um artigo dizia: Secretário, tudo 
podemos aceitar, menos a não preservação da Vera Cruz. É a única coisa que 
queremos “. Louve-se ainda o empenho do Compahc - Conselho Municipal do 
patrimônio Histórico e cultural de São Bernardo do Campo
  • Pb.de 15/02/2004: Vera Cruz: luz no fim do túnel.
Surgem a possibilidade de produção de filmes no local e a promessa de um
 centro cultural até o fim do ano. Localizado na av.Lucas Nogueira Garcez: 
É um conjunto de 2 galpões usufruídos como estúdios nos anos 50 e mais 
recentem. Usados para a filmagem de “Carandiru” de Hector Babenco e 
Garotas do ABC de Carlos Reichnebach. Em 1o de março começa a pré-produção
 de Gênesis Code, filme ítalo-americano. Também continuam de pé as alas para 
a formação de técnicos de cinema e oficinas culturais.
  • Pb. De 28/02/2004: Vera Cruz: retomada é oficial. A asinatura do prefeito
  •  Willian Dib é o que faltava para o início dsas obras dos pavilhões. Será feito 
  • um contrato de locação do espaço para a Cash Entertainment, empresa
  •  localizada em SBC. E que representa no Brasil a
Scorpion Productions produtora norte americana que prevê hospedar no Vera 
Cruz pelo menos 9 longa-metragens em 2 anos.
Mário Sérgio e Ruth de Souza. É o 2o. longa metragem da Cia. Com estúdios em 
SBC.
  • 1 954-diário= Em 25 de janeiro de ... Cia Cinematográfica Vera Cruz lançava o
  •  filme “ O Candinho “, com Mazzaropi
    • É Proibido Beijar:
Em 2 de junho de 1954, lançado o longa-metragem È Proibido Beijar, produção 
da Cia. Cinematográfica Vera Cruz, com estúdios em São Bernardo. No elenco, 
Tônia Carrero e Mário Sérgio, que fizeram o par romântico.
1 954 – Em 27 de dezembro de .- Cia. Cinematográfica Vera Cruz, de S. Paulo, 
lança o documentário: S. Paulo em Festas, de 50 minutos, com desfile de 
fanfarras no Anhangabaú e a banda na concha acústica do Pacaembu.
1 961 – diário = Em 02 de junho de .... Lançado pela Vera Cruz o filme É proibido
 beijar com Tônia Carrero e Mário Sérgio.
1 963 - Em 20 de março de .- John HerbertEva WilmaMaria SchellPetit 
Arneau e outros artistas são recepcionados na Companhia Cinematográfica Vera
 Cruz, em São Bernardo.
Em 02/06/1964 o filme “ É proibido beijar “ é lançado pela Cia. Cinem. Vera Cruz,

 SBC. C/Tônia Carrero e Mário Sérgio fazendo o casal romântico. Elza Laranjeira 

e Os Modernistas cantam a música tema de Simonetti e Alfredo Borba.
  • Mem.10/11/07= Do arquivo, uma entrevista com o ator e diretor de cinema 
  • Anselmo Duarte.
Ele discorre sobre os bons tempos da Cia. Cinematográfica Vera Cruz, em SBC. 
Rádio Eldorado AM=700 –SP. Apresentação: Geraldo Nunes.
  • Mem.dia 14/06/09=NOS BASTIDORES DA VERA CRUZ, 60 ANOS DEPOIS...
O ano de 2009 assinala os 60 anos de criação da Cia., cujos estúdios sobrevivem 
no Jardim do Mar, em São Bernardo. Tempo de rememorar o que foi um dos 
episódios mais importantes na história da construção do cinema brasileiro. 
Em 6 décadas desde a criação da Vera Cruz, fotos clássicas dos 1os. Filmes 
ganharam ampla divulgação. Fotos de bastidores também têm ilustrado livros, 
revistas e publicações como a página Memória, aqui do Diário. O que fazemos 
hoje é iniciar a publicação de outras imagens dos bastidores da Vera Cruz feitas 
ou guardadas pelo contra-regra Manuel Monteiro.
Fotos como a publicada, do filme Nadando em Dinheiro, cujo astro principal foi 
Mazzaroppi. O filme foi lançado em 27 de outubro de 1952. Sua estréia alcançou
 38 cinemas de São Paulo e Região Metropolitana. Mazzaroppi não aparece na 
foto. Difícil identificar todos os peersonagens fotografados. Mas aqui está, em 1º.
 Plano, à esquerda, de camisa xadrez,Manuel Monteiro ao lado de outros colega
 da Vera Cruz que ficaram atrás das câmeras durante a rodagem do filme.
 Manuel Monteiro guardou esta e muitas outras fotos. Os originais estão em 
Campinas, na casa de Elisabete, filha de Manuel Monteiro e funcionária do 
Instituto Agrônomo local. Coube a seu primo, o advogado Marcelo Pedro 
Monteiro, com escritório em São Bernardo, reproduzir 40 fotos, cujo tratamento
 foi feito pelo fotógrafo Beltran Asêncio.
Memória pretende publicar todas as imagens, numa homenagem aos 60 anos da
 Vera Cruz e aos seus colaboradores, conhecidos e anônimos. Os Monteiros são 
de origem portuguesa. Vieram para a Vila Luzita, em Santo André, em 1943. 
Vários de seus descendentes residem ou atuam no Grande ABC até hoje.
  • Mem.dia 15 de junho de 2009 = OS MONTEIROS NA VERA CRUZ, AO LADO DE 
  • GERALDO FARIA:
Continuamos a folhear o álbum de Manuel Monteiro, contra-regra da 1ª. fase da 
Vera Cruz. Fundada em 1949, a Cia. Produziu seus 1os filmes até 1954, que foi 
sua fase áurea. Em companhia do advogado Marcelo Pedro Monteiro e do
 fotógrafo Beltran Asêncio, localizamos nas fotos um irmão de Manuel Monteiro,

José Monteiro, que também trabalhou na Vera Cruz.
José Monteiro atuava como ajudante geral. Outro personagem descoberto foi o
 jovem Geraldo Faria Rodrigues, futuro vereador, vice-prefeito e prefeito de São 
Bernardo. Geraldo ingressou por concurso na Vera Cruz, numa disputa com
 outros 40 candidatos. Atuou como assistente de direção e aparece em várias
 imagens consideradas oficiais da companhia, já divulgadas, e está também no 
álbum de Manuel Monteiro.
  • HISTÓRIA ; A origem dos Monteiros da Vera Cruz está em Pombal, Portugal.
De lá veio para o Brasil Joaquim Monteiro, bem jovem, por volta de 1920 e 1921. 
De retorno a seu país, Joaquim casa-se com Joaquina Rodrigues e tem 3 
primeiros filhos: Manuel, José e Maria.
Em 1935, Joaquim vem ao Brasil pela 2ª. vez. Monta uma quitanda no Centro de 
Santos. Sua família permanece em Portugal e vem juntar-se a ele em 1940.
 Em 1941 nasce um filho brasileiro, Mário Monteiro, e em 1943 toda a família
 muda-se para a Vila Luzita, em Santo André. Numa chácara, dedicam-se à 
produção de verduras, legumes e leite.
Veracruzcinematres.jpg -Veracruzcinemaseis.jpg

Veracruzcinemacinco.jpg - Veracruzcinemaum.jpg

Veracruzcinemadois.jpg - Veracruzcinemasete.jpg
    • Mem.dia 16/06/09= CIA. CINEMÁTOGRÁFICA VERA CRUZ = ANO 60  : 
    • 1949 - 2009
Linda foto de Eliane Lage em cena de Caiçara, produção da Cia. Em 1950.
Não Custa lembrar que Floradas na Serra, de 1954, tinha como protagonistas 
Cacilda Becker e Jardel Filho ( Jardel Jercolis Filho ), sendo um dos últimos 
filmes dos estúdios de São Bernardo na sua 1ª. fase, encerrada naquele ano.
Na 2ª. foto que você publicou em 15 de junho em Memória, a última pessoa que 
aparece de pé, à direita, não seria o Jardel Filho ?. Tem jeito de ser o próprio. 
Se não for Jardel, quem seria ?. Nota da coluna: Realmente, Hermano, olhando 
novamente a foto parece mesmo ser ele. Repetimos a foto, chamando a atenção 
dos leitores. Alguém duvída que o personagem em círculo não seja o grande ator
 brasileiro. ? .
Os estúdios da Cia eram, com justiça, uma atração. Tive um amigo em São 
Caetano, João Semenof ( faleceu nprematuramente ), que quase todos os dias se
 vestia bem, como se para ir a uma festa, e dirigia-se à Vera Cruz. Ia tentar uma 
ponta, como extra, em um dos filmes eventualmente em produção no momento. 
Mas não foi descoberto pelo Alberto Cavalcanti ou pelo Adolfo Celi, diretores 
então em evidência nos estúdios do Jardim do Mar, local onde Cicilo Matarazzo 
antes criava galinhas (Será verdade ? ).
  • NOTA DA COLUNA:
De fato, Hermano, os Matarazzo tinham um projeto avícola para São Bernardo,
 antes da construção dos pavilhões do Vera Cruz. Há registros disso na
 Prefeitura de São Bernardo, de granjas modernamente construídas. Quanto à 
historio de João Semenof, ela demonstra com a Vera Cruz mexeu com a
 mocidade do então ABC em formação.
  • Coluna Memória de 04/11/2009= VERA CRUZ, ANO 60, E SEUS PIONEIROS
Constituída nova produtora de filmes em S. Paulo. O coquetel foi ontem, no 
Museu de Arte de S. Paulo “ conforme Correio Paulistano de 4/11/1949 “.
Há 60 anos, em 4 de novembro de 1949, sacramentava-se o surgimento da Cia. 
Cinematográfica Vera Cruz, cuja 1ª. fase --- 1949 a 1954 --- seria brilhante. 
Foram seus fundadores: Franco Zampari e Cecílio Matarazzo. Os detalhes são 
relembrados pelo prof. Antonio de Andrade, coordenador de Rádio e TV da 
Universidade Metodista - São Bernardo do Campo.
  • ATA E ESCRITURA, E UM TERRENO EM SÃO BERNARDO (Texto Antonio de
  •  Andrade ).
“ No dia 3 de novembro no Museu de Arte Moderna - São Paulo, que funcionava 
no imponente edifício dos Diários Associados, de Assis Chateabrind ( rua 7 de 
Abril, 230, Capital ), foi realizada solenidade (coquetel ) de assinatura da ata de
 constituição da Cia. Cinematográfica Vera Cruz e no dia 4 de novembro, lavrada
 a escritura pública no 10º. Tabelionato de S. Paulo.
O capital da sociedade era estimado em 7,5 milhões de cruzeiros. Incluía um 
terreno de propriedade de Francisco Matarazzo Sobrinho situado em S. 
Bernardo, com 30.077 m.2. O terreno era definido como “plano” firme e seco. 
Era servido de água e instalações elétricas, com 8 barracões e uma casa de 
moradia com vários cômodos. Possuía depósito e repartições de escritório, estas
 construções de padrão inferior. Este pode ser apontado como o registro de
 nascimento da Vera Cruz. Vários nomes se sobressaíram. Um deles, o de Geraldo
 Faria Rodrigues ( 1930 – 2005 ), anos depois prefeito de S. Bernardo. Geraldo
 teve papel relevante na Vera Cruz e teria muito a relatar. Um nome que fez 
história na Vera Cruz é o de Ruth de Souza, sempre esquecida, com 88 anos e no 
caso Vera Cruz a 1ª. atriz negra a desempenhar pepéis de destaque em
 produções nacionais.
Só ela e Grande Otelo tiveram essa oportunidade. A lindíssima Eliane Lage, que 
vive em Pirenópolis –Goiás – e que em 2005 publicou um maravilhoso livro de
 memórias: Ilhas, Veredas e Buritis, pela Editora Brasiliense
Temos ainda Anselmo Duarte, Tonia Carrero, Vanja Orico, o John Herbert, e a 
Eva Vilma, que fez ponta em Uma Pulga na Valança, a Ilka Soares, que foi
 casada com Anselmo Duarte, Nicete Bruno, Maria Fernanda, a cantora Inezita 
Barroso. Sem contar as centenas de atores, atrizes, técnicos, funcionários que 
povoaram a tal “ fábrica de sonhos “.
Em 20 de março de 1963, John Herbert, Eva Wailma, Maria Schell, Petit Arneau 
outros artistas são recepcionados pela Cia. e participam de almoço no
 Restaurante Binder, em São Bernardo. Beltran As^Çenbcio documentou a 
recepção.
Em 22 de março de 1983, Leilão dos antigos estúdios da Cia. está praticamente 
decidido. Desde 1975 suas instalações estão hipotecadas ao Banespa.
  • Em 24 de março de 1982, manchete do Diário: Fim melancólico: Companhia 
  • vai a leilão.Em 21 de abril de 1952, a Cia. lança o filme Tico-Tico no Fubá
  • baseado na obra do compositor Zequinha de Abreu
Em 27 de março de 1983, Anselmo Duarte, ator e produtor de cinema, lança a 
idéia do Instituto Popular de Artes, para salvar os antigos estúdios da Cia.
Alberto Cavalcante Faleceu em 24 de agosto de 1982,em Paris, cineasta que 
atuou na Cia. Cinematográfica Vera Cruz - São Bernardo do Campo

Nenhum comentário:

Postar um comentário