terça-feira, 30 de julho de 2013

A PARÁBOLA DO CREDOR INCOMPASSIVO (Mateus 18: 23-35) Aprenda a "Perdoar"Pode ser sua saída!

A PARÁBOLA DO CREDOR INCOMPASSIVO (Mateus 18: 23-35)

A PARÁBOLA DO CREDOR INCOMPASSIVO (Mateus 18: 23-35)

(Mateus 18: 23-35)
23  Por isso o reino dos céus pode comparar-se a um certo rei que quis fazer contas com os seus servos;
24  E, começando a fazer contas, foi-lhe apresentado um que lhe devia dez mil talentos;
25  E, não tendo ele com que pagar, o seu senhor mandou que ele, e sua mulher e seus filhos fossem vendidos, com tudo quanto tinha, para que a dívida se lhe pagasse.
26  Então aquele servo, prostrando-se, o reverenciava, dizendo: Senhor, sê generoso para comigo, e tudo te pagarei.

27  Então o senhor daquele servo, movido de íntima compaixão, soltou-o e perdoou-lhe a dívida.
28  Saindo, porém, aquele servo, encontrou um dos seus conservos, que lhe devia cem dinheiros, e, lançando mão dele, sufocava-o, dizendo: Paga-me o que me deves.
29  Então o seu companheiro, prostrando-se a seus pés, rogava-lhe, dizendo: Sê generoso para comigo, e tudo te pagarei.
30  Ele, porém, não quis, antes foi encerrá-lo na prisão, até que pagasse a dívida.
31  Vendo, pois, os seus conservos o que acontecia, contristaram-se muito, e foram declarar ao seu senhor tudo o que se passara.
32  Então o seu senhor, chamando-o à sua presença, disse-lhe: Servo malvado, perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste.


33  Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti?
34  E, indignado, o seu senhor o entregou aos atormentadores, até que pagasse tudo o que devia.
35  Assim vos fará, também, meu Pai celestial, se do coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas.

Jesus nessa parábola ensina que o perdão divino, embora seja concedido graciosamente ao pecador arrependido, é, também, ao mesmo tempo condicional, de conformidade com a disposição do individuo, de perdoar ao seu próximo. Por isso, uma pessoa pode ficar sem perdão divino por ter um coração cheio de amargura, que não perdoa ao próximo.  Os ressentimentos e animosidade contra o próximo são totalmente incompatíveis a verdadeira vida cristã. O não perdoar deve ser banido da vida daqueles que querem prosperidade, salvação, amar o próximo e Felicidade sem medidas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário