sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Preciosidades, desta data maravilhosa Natal "Jesus Nasceu"!


Natal, Jesus nasceu, Gloria adeus por ter enviado seu único filho, Paz na terra aos homens de boa vontade.



O NATAL CRISTÃO

O natal para os cristãos

O Natal surge como o aniversário do nascimento de Jesus Cristo, Filho de Deus, o natal passou a existir em meados do século IV d.C. que se começou a festejar o nascimento do Senhor Jesus, a igreja católica fixou a data 25 de Dezembro, já que se desconhece a verdadeira data do Seu nascimento. 

Uma das explicações para a escolha do dia 25 de Dezembro como sendo o dia de Natal prende-se como fato de esta data coincidir com a Saturnália dos romanos e com as festas germânicas e célticas do Solstício de Inverno, sendo todas estas festividades pagãs, a igreja católica viu aqui uma oportunidade de cristianizar a data, colocando em segundo plano a sua conotação pagã. Algumas zonas optaram por festejar o acontecimento em 6 de Janeiro, contudo, gradualmente esta data foi sendo associada à chegada dos Reis Magos e não ao nascimento de Jesus Cristo. 

O Natal é, assim, dedicado pelos cristãos a Cristo, que é o verdadeiro Sol de Justiça (Mateus 17,2; Apocalipse 1,16), e transformou-se numa das festividades centrais da Igreja, equiparada desde cedo à Páscoa.

Apesar de ser uma festa cristã, o Natal, com o passar do tempo, converteu-se numa festa familiar com tradições pagãs, em parte germânicas e em parte romanas.

Sob influência franciscana, espalhou-se, a partir de 1233, o costume de, em toda a cristandade, se construírem presépios, já que estes reconstituíam a cena do nascimento de Jesus. A árvore de natal surge no século XVI, sendo enfeitada com luzes símbolo de Cristo, Luz do Mundo. Uma outra tradição de Natal é a troca de presentes, que são dados pelo Pai Natal ou pelo Menino Jesus, dependendo da tradição de cada país.

Apesar de todas estas tradições (o Natal já nem pareceria Natal se não as cumpríssemos), a verdade é que não nos podemos esquecer que o verdadeiro significado do Natal prende-se com o nascimento de Cristo, que veio ao Mundo com um único propósito: o de justificar os nossos pecados através da sua própria morte. Nesses tempos, sempre que alguém pecava e desejava obter o perdão divino, oferecia um cordeiro em forma de sacrifício. Então, Deus enviou Jesus Cristo que, como um cordeiro sem pecados, veio ao mundo para limpar os pecados de toda a Humanidade através da Sua morte, para que um dia possamos alcançar a vida eterna, por intermédio Dele, Cristo, Filho de Deus.

Assim, não se esqueçam de que o Natal não se resume a bonitas decorações e a presentes, pois a sua essência é o festejo do nascimento Daquele que deu a Sua vida por nós, Jesus Cristo. E todos os dias temos que agradecer a Deus por nos amar e enviar seu filho, por nós. (João cap 3:16)

Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o governo estará sobre os seus ombros, e o seu nome será: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Isaías 9:6 (Eu não enxergo nenhuma referência ao Papai Noel aqui…)



Origem do Natal
O "Feliz Natal" no mundo
Simbologia
O Ciclo Natalino
O Natal na Pintura

Origem do Natal

Universal, abrangente, calorosa ­ assim é a festa de Natal, que envolve a todos. Uma das mais coloridas celebrações da humanidade, é a maior festa da cristandade, da civilização surgida do cristianismo no Ocidente. Época em que toda a fantasia é permitida. Não há quem consiga ignorar a data por mais que conteste a importação norte-americana nos simbolismos: neve, Papai Noel vestido com roupa de lã e botas, castanhas, trenós, renas.
Até os antinatalinos acabam em concessões, um presentinho aqui, outro acolá. Uma estrelinha de belém na porta de casa, uma luzinha, um mimo para marcar a celebração da vida, que é o autêntico sentido da festa. Independente do consumismo, tão marcante, o Natal mantém símbolos sagrados do dom, do mistério e da gratuidade.
Na origem, as comemorações festivas do ciclo natalino vêm da distante Idade Média, quando a Igreja Católica introduziu o Natal em substituição a uma festa mais antiga do Império Romano, a festa do deus Mitra, que anunciava a volta do Sol em pleno inverno do Hemisfério Norte. A adoração a Mitra, divindade persa que se aliou ao sol para obter calor e luz em benefício das plantas, foi introduzida em Roma no último século antes de Cristo, tornando-se uma das religiões mais populares do Império.
A data conhecida pelos primeiros cristãos foi fixada pelo Papa Júlio 1º para o nascimento de Jesus Cristo como uma forma de atrair o interesse da população. Pouco a pouco o sentido cristão modelou e reinterpretou o Natal na forma e intenção. Conta a Bíblia que um anjo anunciou para Maria que ela daria a luz a Jesus, o filho de Deus. Na véspera do nascimento, o casal viajou de Nazaré para Belém, chegando na noite de Natal. Como não encontraram lugar para dormir, eles tiveram de ficar no estábulo de uma estalagem. E ali mesmo, entre bois e cabras, Jesus nasceu, sendo enrolado com panos e deitado em uma manjedoura.
Pastores que estavam próximos com seus rebanhos foram avisados por um anjo e visitaram o bebê. Três reis magos que viajavam há dias seguindo a estrela guia igualmente encontraram o lugar e ofereceram presentes ao menino: ouro, mirra e incenso. No retorno, espalharam a notícia de que havia nascido o filho de Deus.




O "Feliz Natal" no mundoPasse o mouse sobre os itens, sem clicar
Brasil: Feliz Natal
Bélgica: Zalige Kertfeest
Bulgária: Tchestito Rojdestvo Hristovo, Tchestita Koleda
Portugal: Boas Festas
Dinamarca: Glaedelig Jul
EUA: Merry Christmas
Inglaterra: Happy Christmas
Finlândia: Hauskaa Joulua
França: Joyeux Noel
Alemanha: Fröhliche Weihnachten
Grécia: Eftihismena Christougenna
Irlanda: Nodlig mhaith chugnat
Romênia: Sarbatori vesele
México: Feliz Navidad
Holanda: Hartelijke Kerstroeten
Polônia: Boze Narodzenie



Simbologia

Desde a sua origem, o Natal é carregado de magia. Gritos, cantigas, forma rudimentar do culto, um rito de cunho teatral, o drama litúrgico ou religioso medieval ganha modificações no decorrer dos séculos. Dos templos, a teatralização ganha praças, largos, ruas e vielas, carros ambulantes, autos sacramentais e natalinos. Os dignatários da Igreja promoviam espetáculos. Na evolução da história está a compreensão de todos os símbolos de Natal.

Árvore - Representa a vida renovada, o nascimento de Jesus. O pinheiro foi escolhido por suas folhas sempre verdes, cheias de vida. Essa tradição surgiu na Alemanha, no século 16. As famílias germânicas enfeitavam suas árvores com papel colorido, frutas e doces. Somente no século 19, com a vinda dos imigrantes à América, é que o costume espalhou-se pelo mundo.

Presentes - Simbolizam as ofertas dos três reis magos. Hábito anterior ao nascimento de Cristo. Os romanos celebrava a Saturnália em 17 de dezembro com troca de presentes. O Ano Novo romano tinha distribuição de mimos para crianças pobres.

Velas - Representam a boa vontade. No passado europeu, apareciam nas janelas, indicando que os moradores estavam receptivos.

Estrela - No topo do pinheiro, representa a esperança dos reis-magos em encontrar o filho de Deus. A estrela guia os orientou até o estábulo onde nasceu Jesus.

Cartões - Surgiram na Inglaterra em 1843, criados por John C. Horsley que o deu a Henry Cole, amigo que sugeriu fazer cartas rápidas para felicitar conjuntamente os familiares.

Comidas típicas - O simbolismo que o alimento tem na mesa vem das sociedades antigas que passavam fome e encontravam na carne, o mais importante prato, uma forma de reverenciar a Deus.

Presépio - Reproduz o nascimento de Jesus. O primeiro a armar um presépio foi São Francisco do Assis, em 1223. As ordens religiosas se incumbiram de divulgar o presépio, a aristocracia investiu em montagens grandiosas e o povo assumiu a tarefa de continuar com o ritual.

E para nós os Cristãos o principal, é que representa o começo de uma vida que pouco depois iria significar simplesmente a solução para que pudéssemos através "Dele" Jesus, O Cristo, alcançar a salvação das nossas almas, conseguindo assim a vida eterna.

Antes de Jesus vir ao mundo, o sacrifício para perdão dos pecados era feito com animais, ovelhas, bezerros, e quando se fazia a oferenda, cria-se que quando era aceita por Deus, nossos pecados seriam perdoados por ELE.

Esta aí o que vemos muito do engano que cometem muitos até hoje, oferecendo galinhas, e até seres humanos em sacrifício e esquecendo que Jesus cristo, o cordeiro imaculado, sem pecados, Filho do Deus vivo se fez de culpado, assumindo todo pecado do mundo para que na sua morte de Cruz nos justificasse diante do Deus Pai, e é o que ele faz até hoje, esta a direita de Deus e quando oramos ele intercede por nós junto ao Pai... Deus... o nosso senhor! (Único caminho entre Deus e o Homem)! Em 1 Timóteo 2.5 diz que só há um Deus e um mediador entre Deus e o homem, Jesus Cristo ...

Sem sua vinda, sem sua morte e ressurreição, nós todos estaríamos condenados pelo peso e ditames da lei, mas por amor a aqueles a quem Deus Criou, os homens, Deus enviou seu filho que nasceu da virgem Maria, para que no ato da sua morte na Cruz do Calvário, morresse por nossos pecados. Quem acreditasse, cresce e confessasse com sua boca que ele é o Filho de Deus, que foi enviado para morrer por nós, alcançaria a salvação, e teria depois da sua morte a VIDA ETERNA! Coisa pouco ensinada e pouco insistida nas igrejas, que em suas preferencias nas prioridades em agradar a todos, tem deixado de lado este fato de extrema importância para todos nós "A SALVAÇÃO DAS NOSSAS ALMAS! AVIDA ETERNA", focando assuntos que as vezes representam maior interesse por parte dos Fiéis.

Que este pequeno resumo, em poucas palavras possa te situar, fazer entender um pouco mais da importância de Jesus Cristo em nossas vidas, que só o fato da sua vinda, sua caminhada por entre nós com seus ensinamentos, os milagres, as curas, e no ápice foi o cordeiro imaculado, oferecido em sacrifício em nosso lugar.

Sua entrega na morte e depois ressuscitando, nos devolveu a liberdade nossa salvação porque venceu a morte, e o seu sacrifício o sangue derramado na Cruz foi o preço pago por ele para que nós alcançássemos a vitória, o perdão dos nossos pecados, que pela lei Os Dez Mandamentos, todos nos estaríamos condenados!

E agora alegremo-nos, unamo-nos, festejemos com um pouco mais de consciência junto dos nossos familiares, amigos, irmãos, bem mais conscientes, pois Jesus nasceu, e com ele as esperanças, de que a paz, a alegria devem fazer parte da nossa vida, principalmente a certeza de que Ele, Jesus, não veio em vão, mas sim para nos livrar dos laços do pecado e da morte...Que Deus Abençoe a todos nós neste natal!

João Eli

Cassab.


Nenhum comentário:

Postar um comentário