quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Espetáculo, explosão de graça e beleza.. Orquídeas: principais espécies e segredos para cuidar das flores...

Espetáculo, explosão de graça e beleza..

Orquídeas: principais espécies e segredos para cuidar das flores...

Miniguia para os apaixonados por orquídea traz curiosidades e dicas para cultivo de diferentes espécies

Cattleya labiata

É a orquídea nativa brasileira mais popular e desejada. Seu apelido é “rainha do nordeste”.  “As flores nascem no verão e são grandes, perfumadas e coloridas nos tons de lilás, roxo, albas, semialbas ou azuladas”, explica o professor René Rocha, autor do livro ABC do Orquídofilo.
Foto: Solange Menezes

Cattleya walkeriana

É a queridinha dos colecionadores pela sua forma arredondada e plana e um delicioso perfume que lembra canela. Esse tipo vive bem em temperatura intermediária, de 10º a 18º graus. Plante-as em substrato de rápida drenagem
Foto: Solange Menezes

Cattleya intermédia

Outra brasileira que apresenta uma gama enorme de cores e efeitos, com flores médias e perfumadas em tons de lilás, roxo, rosa, albas, semialbas ou azuladas. Importante: elas requerem mais atenção, pois desidratam facilmente
Foto: Solange Menezes

Cattleya haw yuan angel

De fácil cultivo em vaso pequeno, essa orquídea dá até quatro flores por haste, com tamanho de 4 cm. Além disso, elas duram uma média de 25 dias, ou seja, são ótimo investimento para decorar a casa.

Cattleya Julio Conceição

É a primeira hibrida branca feita no Brasil e seu nome é uma homenagem ao criador do Jardim Botânico de Santos, Julio Conceição. Essa orquídea dá muitas flores e tem fácil cultivo em substrato bem arejado. Um charme!

Catlleya mossiae

Esse tipo de orquídea gosta de clima ameno e floreia na primavera e no inicio do verão. Possui flores com variedades rosadas, albas e azuladas. As flores maiores têm aroma que lembra o alho. Dica: deixar em ambiente com ventilação

Cattleya warneri

A primavera ganha um toque especial com esse tipo de orquídea. Suas flores são grandes, em diversos tons de lilás, rosa, roxo, albas e semialbas e azuladas.Ela gosta de clima ameno a quente e você pode cultivá-la emvaso com substrato de boa drenagem

Brassocattleya pastoral innocence

Este é um tipo híbrido de orquídea, criado em 1961, e muito apreciado até hoje. “É muito procurada para buquês de noivas por ter flores brancas e grandes”, explica Solange Menezes, presidente da Sociedade Orquidófila Cantareira (Socan)

Ryncholaeliocattleya alma kee

Sucesso de vendas desde sua criação, as flores dessa espécie são grandes e nascem duas vezes ao ano quando bem cultivada. A Tipmalee é a mais conhecida desse gênero

Laelia purpurata

Esse tipo de orquídea, conhecida popularmente como “princesa do sul”, exige frio para boa floração. “Ela gosta de vasos bem rasos e substrato de drenagem rápida. Evite transplantes e cortes de mudas”, aconselha René Rocha

Brassolaeliocattleya Chia Lin

Muito procurado em floriculturas e orquidários para decoração, “este híbrido atrai pela sua cor vermelha intensa e pelo tamanho das flores – chegam a 16 X 16 cm”, diz a presidente da Sociedade Orquidófila Cantareira, Solange Menezes

Bifrenaria harrissoniae

Esta espécie brasileira foge aos padrões tradicionais, por conta de suas pétalas diferenciadas, mas que encanta os apreciadores e torna-se logo objeto de desejo. É uma orquídea de coleção, portanto, é encontrada em orquidários e exposições. Impossível não se apaixonar

Laelia anceps

Para uma melhor florada, esse tipo de orquídea precisa de mais horas de sol no inverno. E vale a pena: as flores são lindas! Atenção com a rega: “É mais fácil matar sua orquídea por excesso de água do que por falta (de água). Regar duas vezes na semana é o suficiente para a saúde da sua planta”, ensina Denis de Nobrega Antoniassi, biólogo e orquidófilo

Miltônia ceo apple

Os híbridos de miltônia levam o nome popular de “amor perfeito das orquídeas” pela sua forma e desenhos. É um presente que sempre agrada. “É uma orquídea que gosta de mais umidade e requer a troca anual do substrato”, diz Solange Menezes

Miltônia spectabile moreliana

As variedades de miltônias são muito apreciadas, mas esta é especial por causa da cor rubra e do tamanho avantajado. “Essa planta precisa de 70% de sombra e não tolera raízes encharcadas. Melhores substratos são tocos e galhos de madeira”, ensina René Rocha

Miltoniopsis híbrido

Esse tipo de orquídea é mais tolerante ao calor. São flores lindas com muitas cores e desenhos variados. Uma graça! “Essa espécie só vegeta bem em climas amenos”, diz René Rocha

Stanhopea tigrina X wardii

Destinada para quem tem espaço em casa, essa orquídea encanta por suas flores em cachos grandes e muito perfumados. “Use cestas de arame ou cachepôs de madeira para plantá-las”, ensina Solange Menezes

Dendrobium nobilie

Essa orquídea é originária da Ásia, de fácil cultivo, e se adapta superbem ao clima brasileiro. A sua flor dura até 30 dias e tem até seis cores híbridas. “Deixe-a exposta no sol pleno por, no mínimo, três horas. As flores vão nascer lindas e saudáveis”, ensina o biólogo Denis de Nobrega Antoniassi

Dendrobium thyrsiflorum

Esta é outra orquídea de origem asiática que encanta com seus cachos densos de flores amarelas. Seu cultivo não é tão fácil, mas ela se adapta bem a lugares ensolarados e ventilados. Vale a pena o cuidado diário

Dendrobium loddigesii

“Esta é uma orquídea chinesa que se tornou popular devido seu fácil cultivo, crescimento rápido e flores franjadas”, conta Solange Menezes. Figura fácil em todas as exposições e orquidários, encanta por sua beleza

Dendrochillum cobbianum

Originária das Filipinas, este tipo de orquídea ficou conhecido como “corrente dourada” por ter cachos longos de microorquídeas amarelas. É uma graça e sempre chama atenção de apreciadores. Planta de fácil cultivo, com crescimento forte

Beallara marfitch

Essa plantinha conquistou espaço no mercado e hoje é apreciada por orquidófilos e público em geral. Mas exige cuidados: “As folhas são finas e claras, sujeitas a fungos que deixam pontos pretos. Proteja sua planta com o uso regular de um fungicida, pode ser óleo de neem (ou nim) – vendido em casas de jardinagem. A solução para uso é de 5 ml do óleo de neem por litro de água. Pulverizar no final da tarde, fora do horário do sol”, ensina Solange Menezes

Oncidium flexuosum

As orquídeas tipo Oncidiuns são popularmente conhecidas como “chuva de ouro”. Na decoração, as hastes florais são usadas em arranjos. Ficam lindas! Também podem ser plantados em vasos

Arundina bambusifolia

Muitas pessoas cultivam esta planta sem saber que se trata de uma orquídea.  A Arundina é muito usada como cerca-viva em canteiros de condomínios. É uma orquídea terrestre, que precisa de sol direto para florir

Drácula vampira

São conhecidas como “cara de macaco” e muito apreciadas por colecionadores. O preço desse tipo de orquídea ainda é alto, mas vale o investimento! É planta linda que exige lugares úmidos e sombreados

Rodriguezia venusta

Conhecida popularmente como “buquê de noiva”, esta flor brasileira é uma micro-orquídea muito apreciada pelos seus cachos de flores brancas. Como é de fácil cultivo e ocupa pouco espaço, tem venda garantida em floriculturas

Sophronitis cernua

As flores dessa micro-orquídea são pequenininhas – 2 X 2 cm – e alaranjadas. Têm vida curta, mas são bem charmosinhas! Ideal para quem deseja decorar espaços pequenos, como cantos e hall de entrada

Oncidium sharry baby

Híbrida que possui delicioso cheiro de baunilha, essa orquídea dá flores duas vezes ao ano: em fevereiro e em novembro. “Possui diversos nomes de cultivar como Chocolat e Sweet Fragrance”, explica René Rocha

Coelogyne flaccida

São orquídeas asiáticas, mas muito populares por aqui devido ao fácil cultivo e ao crescimento rápido. Esse tipo de planta apresenta muitos cachos florais brancos. O inconveniente é o cheiro forte que pode incomodar em ambientes pequenos

Vanda coerulea

Objetos de desejo de apreciadores de orquídeas, as Vandas roubam atenção com suas flores grandes e coloridas. Como esta espécie demora cerca de dez anos para florir, há cruzamentos para antecipar a florada e deixar o valor mais acessível

Coelogyne cristata

Orquídea de cultivo fácil, desde que em regiões com temperaturas amenas. As flores dessa planta nascem no inverno e no início da primavera. “Ela gosta de substratos velhos como pau apodrecendo. Cultive com o substrato úmido, mas sem encharcar”, ensina René Rocha

Ascocenda yip sum wah

Os híbridos de Vanda e Ascocenda conseguiram popularizar estas espécies asiáticas muito desejadas por colecionadores. Para garantir a saúde da sua orquídea, Solange Menezes recomenda plantá-las em vaso de barro com rega frequente de três vezes por semana e adubação semanal

Paphipedilum leeanum

Conhecido popularmente como “sapatinho”, este híbrido é uma das poucas orquídeas que podem ser plantadas na terra. Ela fica muito bem em jardineiras! “As folhas são muito propensas a fungos, por isso é importante pulverizar. Pode usar calda de fumo”, diz Solange Menezes

Paphiopedilum delenatii X chamberlaim

Esta espécie conquistou o gosto e o interesse popular. A partir daí, surgiram vários cruzamentos interessantes e com preços acessíveis. Este, por exemplo, resultou em flores no tom rosa, com textura fina e sedosa. Impossível resistir!

Cymbidium

Trata-se do gênero de orquídea que ficou muito popular e ganhou vários híbridos. São lindas plantas, de fácil cultivo em vaso, muito procuradas para decorar casas e eventos

Encyclia randii

A Encyclia randii é uma spécie brasileira tão cobiçada quanto à mexicana cordigera e ambas são plantas de fácil cultivo. O aspecto harmonioso dessa orquídea favorece a decoração de pequenos ambientes, como hall de entrada e lavabo. Um detalhe que fica um charme!

Maxillaria tenuefolia

O aroma forte de doce de coco das flores dessa orquídea mexicana conquista popularidade. É uma planta com flores vermelhas, facilmente encontrada em orquidários e exposições

Beallara tahoma glacier

Estes híbridos de longas hastes florais têm público fiel tanto entre os orquidófilos como simples apreciadores de orquídeas. “Esta espécie se destaca pelo tamanho das suas flores e comprimento das suas hastes. Algumas chegam a ser tão grandes que se quebram com o peso das flores”, explica Solange Menezes

Bullbophyllum rothschildianum

Este é um dos mais conhecidos e apreciados exemplares dessa espécie, por ter um formato diferente e uma cor densa. “Uma característica importante é a mobilidade do labelo: ele está sempre balançando para atrair o inseto polinizador”, diz Solange Menezes

Zygopetalum maxillare

É uma espécie brasileira que desperta interesse por ter flores com cores fortes. Apesar de fugir ao padrão comercial das tradicionais orquídeas, as flores são de tamanho e formato diferentes. É tão bonita e encantadora que ficou popular em floriculturas

Sophronitis coccínea

Esta mineirinha é muito desejada. Suas pequenas flores vermelhas e redondas encantam até mesmo quem não é amante de orquídeas. Como são de regiões serranas, requerem um ambiente mais úmido

Coelogyne pandurata

Esta variedade da espécie tem o labelo negro e caloso, dando um aspecto bem dramático às flores. Não e muito popular, mas sempre que é encontrada em um orquidário ou exposição, a Pandurata ganha apreciadores

Bulbophyllum Medusa

Exótica é a palavra que melhor define este gênero de orquídea. Impossível não ficar hipnotizada ao apreciá-la com seus “cabelos” longos e um delicioso perfume cítrico. Mas você provavelmente vai enontrá-la apenas em exposições

Masdevallia angel frost

Quer decorar pequenos ambientes com uma planta de arrancar suspiros? Invista nessa espécie. Ela tem touceiras pequenas e flores elegantes bem coloridas. Por conta da sua popularidade, existem diversos híbridos no mercado com preços mais em conta

Phalaenopsis amabilis

Conhecidas como “orquídeas borboletas”, a espécie Phalaenopsis é uma das mais vendidas no varejo porque suas flores duram até 90 dias. “Essas flores precisam de proteção ao sol pleno. Indicada para quem mora em apartamento”, diz Solange Menezes

Phalaenopsis lueddemanniana

Devido à popularidade das híbridas desse tipo de orquídea, muitos produtores colocaram no mercado tipos nativos, feitos a partir de cruzamentos, com preços mais acessíveis. Escolha já a sua!

Phalaenopsis dragon’s charme

As cores dessa orquídea parecem ser pintadas a mão. Você pode cultivar um híbrido daphalaenopsis, com facilidade, em salas e apartamentos. Deixe-a perto da janela para tomar o banho de sol da manhã

Phalaenopsis pink twilighl

Segredinho para esta variedade de orquídea: logo após a floração, quando as flores murcham e secam por completo, corte com tesoura de poda (esterilizada com fogo) no terceiro nó da haste. É comum brotar uma nova haste que vai fazer sua orquídea florar outra vez

Promenae xanthina

Tipo de orquídea brasileira de porte pequeno e pouca divulgação, ainda assim chama atenção em exposições e orquidários. “Essa plantinha precisa de vasos plásticos, com musgo e boa drenagem”, ensina Solange Menezes

Laelia alaori

Suas flores pequenas, arredondadas e de um rosado suave lembram flores de glacê que enfeitam bolos. “Ela gosta de mais umidade que outras espécies, portanto, não pode ficar com substrato seco por longos períodos”, alerta Solange Menezes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário