segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Perca até 12 quilos com limão fervido - você ficará impressionado(a) com o resultado!



A obesidade é um dos problemas de saúde mais comuns hoje em dia.

Muito se deve ao estilo de vida sedentário, incluindo os maus hábitos alimentares.

Infelizmente, nem todo mundo tem facilidade para perder peso.

Por isso toda ajuda é bem-vinda, concorda?










Nesta matéria, ensinaremos como eliminar algumas gordurinhas extras com limão.

Isso mesmo!

A fruta tem vitaminas e propriedades alcalinas poderosíssimas.

Para quem não sabe, o limão limpa nosso organismo como nenhum outro remédio natural pode fazer.

Além disso, ele acelera o metabolismo do corpo.

Outra vantagem é que o consumo de limão não causa efeitos colaterais e o tratamento é bem econômico.

Vamos à receita!



Imagem relacionada









INGREDIENTES


image: data:image/gif;base64,R0lGODlhAQABAIAAAAUEBAAAACwAAAAAAQABAAACAkQBADs=



5 limões

5 dentes de alho

1 pedaço de gengibre do tamanho de 2cm

1 litro de água mineral

MODO DE PREPARO

Corte os limões ao meio para extrair o suco.

Reserve o bagaço da fruta (descasque para ficar só com o bagaço).

Resultado de imagem para limão fervidos fotos

Feito isso, coloque o suco no liquidificador com os dentes de alho e gengibre descascados.

Bata até obter uma mistura homogênea.

Em seguida, encha uma panela grande com água e jogue o bagaço dos limões nela.

Deixe ferver.

Depois adicione a mistura de limão, gengibre e alho, fervendo por mais cinco minutos.

Por fim, coe e coloque a bebida num recipiente com tampa.

Beba duas ou três xícaras todas as manhãs até alcançar o resultado desejado.

Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.
Resultado de imagem para limão fervidos fotos




DE QUEBRA:

DIETA ZERA BARRIGA ➜ Como Perder Barriga em 1 Semana e Ficar Magra Para Sempre,


AINDA PARA MURCHAR A BARRIGA, SURPRIERDENTE:





domingo, 21 de janeiro de 2018

COMO CANCELAR SPAMS DE OPERADORAS DE CELULAR.

 SPAMS DE OPERADORAS DE CELULAR.



É bastante inconveniente aquele momento em que vamos verificar as notificações no nosso celular, apenas para descobrir que não é uma mensagem aguardada, uma ligação importante ou algo de real interesse. É, na verdade, uma mensagem publicitária. Quando enviado pela operadora, esse tipo de conteúdo pode ser especialmente irritante, mas existe uma maneira muito fácil de bloquear e se livrar do incômodo.
Segundo a Anatel, a prestadora não poderia sequer enviar essas mensagens sem o nosso consentimento. De qualquer maneira, seu site oficial informa que o cancelamento pode ser feito pelo consumidor a qualquer momento. A resolução que determina essa informação é de 2014 e pode ser acessada aqui.



Para cancelar o envio de mensagens publicitárias da operadora, é muito simples e rápido. Confira os passos a seguir:
1. Verifique o número correspondente à sua operadora. Cada uma delas terá um número para que o cancelamento seja efetuado. No caso da Claro, o número é “888”, o da operadora Oi é “55555”, já o da TIM é “4112”, e o da Vivo é “457”. No caso da Nextel, é necessário entrar em contato com o atendimento mesmo.



2. Em seguida, mande uma SMS com a palavra “Sair” para o número que você selecionou e, então, é só aguardar uma resposta. Fazendo o teste para o número da operadora TIM, a resposta veio instantaneamente. Fui informada, como consta na imagem, de que a partir deste momento não receberei mais mensagens publicitárias. O limite oficial é de 24h para o seu número ser eliminado da listagem.



3. Em caso de problemas para cancelar esse envio de mensagens spam, também é possível fazer uma reclamação formal no órgão responsável por regular as telecomunicações. Para isso, é necessário fazer o login do site da Anatel (clique aqui). Se não tiver dados para o login, é só clicar em "Ainda não sou cadastrado". Depois de acessar na plataforma, será possível fazer uma reclamação, pedir informações específicas, dar alguma sugestão ou até fazer uma denúncia.

O prazo de atender uma reclamação será de cinco dias úteis. As operadoras são obrigadas a responder, independentemente de qual for a resolução, lembrando que, caso a prestadora não respeite o seu desejo de não receber as mensagens, ela será multada.

TIRE SUAS DÚVIDAS, Febre amarela: sintomas, transmissão e prevenção.

Febre amarela: sintomas, transmissão e prevenção

Sintomas.
Resultado de imagem para febre amarela fotos

febre amarela é uma doença infecciosa grave, causada por vírus e transmitida por vetores. 
Resultado de imagem para febre amarela fotos

Geralmente, quem contrai este vírus não chega a apresentar sintomas ou os mesmos são muito fracos. As primeiras manifestações da doença são repentinas: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias. A forma mais grave da doença é rara e costuma aparecer após um breve período de bem-estar (até dois dias), quando podem ocorrer insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso. A maioria dos infectados se recupera bem e adquireimunização permanente contra a febre amarela.

mosquito-febre-amarelaTransmissão
febre amarela ocorre nas Américas do Sul e Central, além de em alguns países da África e é transmitida por mosquitos em áreas urbanas ou silvestres. Sua manifestação é idêntica em ambos os casos de transmissão, pois o vírus e a evolução clínica são os mesmos — a diferença está apenas nos transmissores. No ciclo silvestre, em áreas florestais, o vetor da febre amarela é principalmente o mosquito Haemagogus. Já no meio urbano, a transmissão se dá através do mosquito Aedes aegypti(o mesmo da dengue). A infecção acontece quando uma pessoa que nunca tenha contraído a febre amarela ou tomado a vacinacontra ela circula em áreas florestais e é picada por um mosquito infectado. Ao contrair a doença, a pessoa pode se tornar fonte de infecção para o Aedes aegypti no meio urbano. Além do homem, a infecção pelo vírus também pode acometer outros vertebrados. Os macacos podem desenvolver a febre amarela silvestre de forma inaparente, mas ter a quantidade de vírus suficiente para infectar mosquitos. Uma pessoa não transmite a doença diretamente para outra.

Prevenção
Como a transmissão urbana da febre amarela só é possível através da picada de mosquitos Aedes aegypti, a prevenção da doença deve ser feita evitando sua disseminação. Os mosquitos criam-se na água e proliferam-se dentro dos domicílios e suas adjacências. Qualquer recipiente como caixas d'água, latas e pneus contendo água limpa são ambientes ideais para que a fêmea do mosquito ponha seus ovos, de onde nascerão larvas que, após desenvolverem-se na água, se tornarão novos mosquitos. Portanto, deve-se evitar o acúmulo de água parada em recipientes destampados. Para eliminar o mosquito adulto, em caso de epidemia de dengue ou febre amarela, deve-se fazer a aplicação de inseticida através do "fumacê”. Além disso, devem ser tomadas medidas de proteção individual, como a vacinação contra a febre amarela, especialmente para aqueles que moram ou vão viajar para áreas com indícios da doença. Outras medidas preventivas são o uso de repelente de insetos, mosquiteiros e roupas que cubram todo o corpo. 
A população de e São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia receberá a dose fracionada da vacina de febre amarela. A meta é vacinar 95% de 19,7 milhões. O objetivo é evitar a circulação e expansão do vírus. A dose padrão da vacina continuará sendo administrada em alguns grupos conforme a tabela abaixo.

26196346 1872455779439696 359393120072037684 n
Prezados Associados,
Encaminhamos em anexo folder sobre a Febre Amarela, que tem grande possibilidade de ocorrência de transmissão da doença por conta das festas devido a chegada de muitos turistas, que poderão vir de regiões afetadas.
Contamos com seu apoio na divulgação do referido material junto aos vossos colaboradores.

Imagem relacionada






sábado, 20 de janeiro de 2018

NOVIDADES COM JÚPITER. Aprecie este “novo” e impressionante ângulo de Júpiter [foto]





Sempre que você pensa em Júpiter, o maior e mais impressionante planeta do nosso Sistema Solar, a primeira imagem que lhe vem à mente certamente é aquela que mostra “Grande Mancha Vermelha”, uma tempestade permanente que pode parecer inclusive um olho. Só que este não é o único visual impressionante do planeta. Como mostrou o internauta Gerald Eichstädt, os polos de Júpiter são ainda mais incríveis.

Essa imagem que você confere retrata o polo sul de Júpiter e foi feita pela sonda Juno, da NASA. O arquivo, que estava no arquivo público da missão, foi processado por Eichstädt e, em seguida, publicado pelo site da agência espacial norte americana.


Polo sul de Júpiter (confira em alta resolução)

Os polos de Júpiter têm uma coloração diferente do restante do planeta por conta da diferença de temperatura e da concentração de gases distinta. Isso gera esse azul intenso cheio de manchas claras, que faz o planeta parecer um gigantesco recife de corais no mar visto do alto.

A fotografia em questão foi capturada no dia 16 de dezembro de 2017, quando a sonda estava a 104 mil km de distância do planeta. Só entre a sonda e o planeta retratado, cabem oito Terras uma ao lado da outra. Júpiter em si tem um diâmetro 11 vezes maior que o do nosso planeta.






segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

10 ARMAS BIZARRAS QUE JÁ FORAM CONFISCADAS EM AEROPORTOS.

Você tentaria viajar de avião com uma faca no bolso? E uma granada? Parece meio óbvio que certos objetos são proibidos nos aeroportos, mas a fiscalização norte-americana já encontrou objetos que desafiam o bom-senso de qualquer ser humano.
Desde 2013, a TSA mantém uma conta no Instagram para divulgar aquilo de mais bizarros que a galera já tentou transportar em aviões nos Estados Unidos. Mais de 1 mil itens já foram divulgados na rede social, a grande maioria composta de objetos completamente insanos! Confira 10 dessas armas na relação abaixo:

1. Máscara de gás adornada com balas – Aeroporto Internacional de Miami (EUA)

2. Tampa de uma mina terrestre antitanques – Aeroporto Internacional de Astin-Bergstrom (EUA) 


3. Fivela de cinto no formato de pistola – Aeroporto Internacional de Los Angeles (EUA)

4. Vários tchacos – Aeroporto Internacional de Newark (EUA)

5. Machadinho – Aeroporto Internacional de Tampa (EUA)

6. Faca em formato de revólver – Aeroporto Metropolitano de Detroit

7. Foguete – Aeroporto Internacional de Raleigh-Durham (EUA)

8. Granada – Aeroporto do Condado de San Luis Obispo (EUA)

9. Fivela-faca – Aeroporto Metropolitano de Detroit (EUA)

10. Bat-bumerangues – Aeroporto de Charlottesville-Albemarle

*Publicado em 23/11/2016

VAI CAUSAR, sensacional ! Com tecnologia de carros autônomos, startup lança minimercado sobre rodas.





Um dos (poucos) pontos negativos de se fazer mercado via loja virtual é que só é possível avaliar verduras e outros items mais sensíveis quando eles chegam para retirada, o que pode gerar algum estresse dependendo do estado do produto. A solução criada pela Robomart — startup residente da região de Santa Clara, na Califórnia — não só resolve esse problema, como tem potencial para mudar os hábitos de consumo de muitas pessoas.


Com tecnologia de carros autônomos, startup lança minimercado sobre rodas.
A solução proposta pela companhia — que está com um estande na CES 2018 — consiste em criar uma minivan com funcionamento 100% autônomo, que andaria pela cidade e, a partir da solicitação de um usuário, iria até o ponto de encontro indicado por ele e disponibilizaria para venda os produtos armazenados em seus compartimentos. A Robomart faz parte do “Inception Program”, iniciativa desenvolvida pela NVIDIA que busca aplicar o potencial da inteligência artificial e deep learning em tarefas do dia a dia, então os trabalhos para que essa tecnologia chegue às ruas já estão bem avançados.



O veículo desenvolvido pela Robomart conta com tecnologias de ponta para a condução de carros autônomos, como diferentes sensores de movimento, câmeras e um software que auxilia esse tipo de veículo no planejamento de rotas e detecção de obstáculos. Em acordo com sua linha futurista, o carro autônomo funciona via energia elétrica, com capacidade para rodar mais de 120 quilômetros antes de necessitar de recarga.

A parte interna do veículo (responsável por armazenar os produtos) será customizada de acordo com o que ela estiver sendo transportado: áreas climatizadas e separadas para frutas, setores mais compactos para grãos e cereais, prateleiras mais curtas para enlatados etc.



Mão na roda para clientes e comerciantes

O processo para requisitar o serviço é bem parecido com o que fazemos para pedir um táxi ou motorista particular: a partir do app disponibilizado pela empresa, o usuário solicita e acompanha o trajeto do carro; ao chegar, ele conseguirá abrir a porta e selecionar os produtos que deseja. O veículo terá um sistema que identificará quais produtos foram removidos pelo cliente e fará a cobrança de valores diretamente do perfil dele.



Outro aspecto interessante desse serviço é que a Robomart fará a ponte entre os clientes e as lojas de conveniência da região: as lojas parceiras disponibilizarão os produtos e conseguirão acompanhar em tempo real quais foram vendidos, solicitar que o veículo volte para que a mercadoria seja reposta e, caso necessário, se comunicar com o cliente, caso ele tenha alguma dúvida sobre o produto.

E quando chega às ruas? O objetivo da companhia é iniciar o projeto-teste a partir de junho deste ano: todos os preparativos técnicos estão em fase final de ajuste, e a permissão de teste para rodar um veículo autônomo — uma licença que precisa ser emitida pelo Departamento de Veículos Motorizados da Califórnia — já foi solicitada. Em breve, quem mora próximo à baía de São Francisco terá acesso a uma tecnologia de última geração que ainda ajuda a conseguir um pé de alface fresquinho.




FIQUE POR DENTRO! Os 10 Final Fantasy mais vendidos do mundo!


Os 10 Final Fantasy mais vendidos do mundo!


E ai minha gente? Seguindo a premissa do Top 10 anterior hoje temos um sobre os 10 Final Fantasy mais vendidos do mundo! É ai? Querem saber quais foram os 10 títulos dessa franquia que mais venderam? Então clique ai em continuar lendo e se surpreenda com o 1º lugar!










domingo, 14 de janeiro de 2018

ATENÇÃO, IMPERDÍVEL,10 gadgets bizarros apresentados na CES 2018.




A CES já foi palco de lançamentos históricos como do videocassete (1970), do Pong (1975), do Nintendinho (1985), do Xbox (2001) e do disco de Blu-ray (2004), mas já faz alguns anos que nenhum grande anúncio é feito na maior feira de eletrônicos do mundo. Apesar disso, 2018 trouxe alguns produtos interessantes, como a TV enrolável da LG e ainda o primeiro celular com leitor de digitais sob a tela do mundo.

Como não poderia deixar de ser, porém, a edição deste ano também teve seus pontos de instabilidade, digamos assim — aqueles gadgets um tanto quanto bizarros ou que não fazem muito sentido. Confira alguns dos destaques da CES 2018 nesse aspecto (vale lembrar que a lista foi organizada de forma aleatória e não está em ordem crescente de bizarrice):
1. Kodak KashMiner

Pois é.

Bitcoins e criptomoedas estão na moda, então, por que não lançar uma máquina criada exclusivamente para minerar as badaladas moedas virtuais? A ideia de fato não parece muito interessante, mas o pessoal da Kodak não pensou muito nisso e apresentou a KashMiner durante a CES 2018. Ela custará US$ 3.400 mil (cerca de R$ 11 mil) e gera cerca de US$ 375 (R$ 1.200) em bitcoins por mês, garante a fabricante.
2. Lovebox


A Lovebox é uma caixinha de madeira com uma tela LCD dentro. Ela recebe mensagens de texto, exibe-as na telinha, e gira um simpático coraçãozinho na parte de fora para avisar o seu dono de que um novo recado acabou de chegar. Parece inútil... E, convenhamos, é inútil sim (e custa US$ 100, cerca de R$ 320). Os smartphones, com aplicativos de mensagens e redes sociais, estão aí exatamente para isso.
3. Elucidator

As espadas de plástico e movidas a pilha que emitem sons de duelos conforme são manuseadas evoluíram. A Elucidator, um dos produtos apresentados na CES 2018, é uma versão em tamanho real da espada manuseada por Kirito, personagem de Sword Art Online, e conta com 2 mil pontos de LED, também faz barulho e pode até mesmo ser ativada via comandos de voz.
4. Coravin Wine Preservation Opener

Definitivamente, um produto capaz de alterar o curso da humanidade.

Retirar a rolha de uma garrafa de vinho não é exatamente um grande mistério, especialmente se você tiver um saca-rolhas. Mas a Coravin apresentou um produto capaz de abrir o vinho sem remover a rolha e que traz até mesmo um sensor capaz de informar via Bluetooth quanto do produto ainda resta na garrafa. Uma ideia realmente indispensável especialmente se levado em conta o seu precinho: US$ 999 (cerca de R$ 3.200).
5. Kohler’s Numi

Banheiro inteligente para você ter menos trabalho.

Um banheiro conectado à internet é, talvez, tudo o que você precisa. Sabendo disso, a Kohler apresentou o Numi, um banheiro inteligente que, entre outras coisas, oferece um sistema de descarga por proximidade e é capaz de aquecer a tampa da privada para evitar alguns problemas em dias mais gelados. Tudo isso por US$ 5.625 (aproximadamente R$ 18.000).
6. Buddy

Um robô assistente parece uma boa ideia de fato (desta vez sem ironia) e o Buddy tenta ocupar este espaço. Ele funciona como um speaker inteligente convencional, mas traz duas pequenas diferenças: é capaz de caminhar pela casa junto de seu dono e também conta com um rosto virtual. O robô se conecta ao Google Assistente, então, é como se o Google Home pudesse perseguir você em sua residência.
7. Spartan Underwear

Tudo protegido.

Aquele medo de ter as suas partes íntimas atingidas por radiação emitida por telefones e sinais de internet sem fio pode ser sepultado graças à Spartan Underwear. A cueca apresentada durante a CES promete bloquear nada menos do que 99% de toda a radiação, garantindo a saúde (ao menos nesse sentido) da sua genitália.
8. Foreo UFO
Apesar do nome, o UFO, da Foreo, não tem nada a ver com alienígenas. O seu nome é um acrônimo para Ur Future Obsession (a sua futura obsessão, em tradução livre) e ele se trata de um aplicador de máscara facial inteligente. Ele pode se ligar ao smartphone, tem diferentes funções e promete realizar um tratamento de 20 minutos em apenas 90 segundos.
9. Qoobo

Se você quer um animal de estimação, mas acha que um bicho de verdade dá muito trabalho, o Qoobo foi feito para você. Outra pérola da CES 2018, ele se parece com uma almofada, mas é um gato-robô que ronrona, balança o rabo e se esfrega em você quando ganha carinho. Essa belezinha custa US$ 100 (algo em torno de R$ 320).
10. FoldiMate Easy Clipping

Dobrar roupas é um trabalho bastante chato, convenhamos, e é por isso que a FoldiMate Easy Clipping foi criada. Ela é uma máquina de dobrar roupas e basta que você posicione as peças da maneira correta dentro dela para que tudo saia dobrado no outra ponta. A máquina garante dobrar de 20 a 40 itens em dois a quatro minutos, o que é bastante significativo, e custa US$ 980 (cerca de R$ 3.100).

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

MORRER DE SAUDADES. Anos 70 Sucessos de Ouro.

POSTAGEM SUGERIDA POR UM GRANDE AMIGO, 
MAURÍLIO ZANATTA.


É fácil idealizar um tempo que já passou. E quanto mais longe, maior a viagem.
Com os anos 70 não poderia ser diferente.
Eu bem me lembro: já existiam bandidos (roubaram a minha Monark quando eu tinha 10 anos).
Nesta mesma época, levaram algumas joias da minha vó e um grupo armado invadiu a rua e atirou na casa do alemão Hantz.
Também havia acidentes de trânsito e atropelamentos. Meu amigo David, filho da dna. Vera da casa da esquina, foi jogado na calçada por um carro enquanto jogava futebol.
Claro, também existiam coisa boas e a principal delas era a liberdade para jogar bola no meio da rua ou dar a volta na quadra de bicicleta.
Censura e violência militar
Não dá para falar nos anos 70 no Brasil sem mencionar o controle que o governo militar impôs ao país.
A censura representou a marca da ditadura brasileira e alcançou o seu auge nos anos 70.
Enquanto nos final dos anos 60 algum tipo de crítica ainda era “tolerada”, nos 70 a censura alcançou o seu nível máximo de irracionalidade.
Para tentar enganar os censores, autores de peças de teatro, jornalistas, cantores, humoristas, cineastas foram obrigados a criar algumas estratégias.
Como o jornal O Estado de São Paulo (que apoiara o golpe de 1964), ao substituir as matérias cortadas por versos de Camões e receitas de bolo.
A censura chegou a um tal nível de paranoia que muitas informações eram descobertas através dos próprios censores, que emitiam notas às redações proibindo a publicação de notícias que nem os próprios jornalistas tinham conhecimento.
A morte do jornalista Wladimir Herzog  nas dependências do 2ª Exército, em São Paulo, em 1975, determinou o começo do fim do regime militar.
anos_70_censura
Censura brasileira: controle sem nenhum critério terminou virando piada
Governo militar vigiava tudo e todos
Governo militar definia o que era bom para o “povo” / Revista Veja / Janeiro de 1970
O Pasquim e o Louvre
Com uns 12 anos eu ia até a livraria du Louvre – que ficava ao lado da igreja São Sebastião –comprar o Pasquim. Confesso que a minha maior motivação era ver as mulheres peladas.
Mas depois passei a me interessar pelos textos e pelo material “subversivo” e debochado do Pasquim.
Criado pelo cartunista Jaguar e pelos jornalistas Tarso de Castro e Sérgio Cabral, O Pasquim foi concebido para ser um “jornalzinho” de Ipanema, mas acabou se tornando uma das mídias mais influentes dos anos 70.
Logo nas suas primeiras edições já vendia entre 20 a 30 mil exemplares, chegando a impressionantes 200 mil exemplares, distribuídos por todo o Brasil. Isso no meio dos anos 70.
Ficaram para a história do jornalismo brasileiro as entrevistas com Leila Diniz (a primeira) e Ibrahim Sued — quase todas em bares da zona sul do Rio de Janeiro, turbinadas com muito uísque e palavrões.
Ainda no ano de 1970 toda a redação do jornal foi presa. E nos anos seguintes, os extremistas, ainda mais à direita do regime, explodiram as bancas de jornais que vendiam impressos “alternativos de esquerda”.
O Pasquim não resistiu.
anos_70_o_pasquim
Uma das capas mais famosas: Todo paulista – que não gosta de mulher – é bicha
Monareta x Berlineta
Acredite, na década de 70 os pais “largavam” os seus filhos para brincar na rua.
Era um tempo de muito futebol (Brasil tri-campeão do mundo) e das bicicletas.
As mais cobiçadas eram a Monareta, da Monark, e a Berlineta, da Caloi.
A Monareta era a minha favorita, não só por ter um design mais moderno mas também por e não ter o problema da Berlineta, dobrável, que enferrujava e se partia em dois.
Da minha memória nunca vai sair o dia em que eu perdi a unha do dedão do meu pé direito ao tentar frear “na marra” a minha Monark numa descida de uma das ruas do bairro Petrópolis.
anos_70_monareta_e_berlineta2
Brasília x Chevette x Fiat 147
Eu era fanático por futebol— e por carros. Mais do que eu, só o Tony, irmão do David, que passava o dia mexendo no FNM/Alfa do pai dele.
O Tony tinha quase toda a coleção de 4 Rodas, umas duas pilhas enormes de revistas, que me deixavam fascinado.
Nos anos 70 a indústria de automóveis do Brasil deu um salto, principalmente através dos novos “carros compactos”  (leia-se Chevette, da GM; Brasília, da Volks e Fiat 147).
A Brasília tinha um apelo mais popular, ainda ligado à imagem de robustez do Fusca, enquanto a GM optou por um carro com um conceito um pouco mais “sofisticado”.
Lançado em junho de 1973, a Brasília vendeu 947 mil unidades (fonte: Volkswagem). Foi o primeiro carro, em larga escala, desenhado no país. Acabou em 1982, atropelado pelo Gol.
O Chevette chegou dois meses antes, em abril de 73. Era uma adaptação brasileira do Opel Kedett C, da GM alemã e vendeu cerca de 1,6 milhão de unidades (fonte: GM do Brasil).
O carrinho da Chevrolet foi produzido até 1993, quando saiu de linha para dar lugar ao primeiro Corsa.
O Fiat 147 apareceu um pouco depois, em 76. Era uma novidade no Brasil, até então dominado pela Ford, GM e Volkswagen.
Com uma forte campanha publicitária, o primeiro Fiat brasileiro vendia bem, até o consumidor descobrir que o carrinho tinha um câmbio simplesmente medonho.
Por muito pouco ele não acabou com a imagem do fabricante italiano no Brasil.
anos_70_brasilia_x_chevette
Corcel x Passat
Esses dois modelos também  fizeram história nos anos 70.
Quando meu pai comprou um Corcel quatro portas foi uma festa.
O Corcel (1968/1985), foi o primeiro carro médio da Ford e surgiu para ocupar um espaço na “nova classe média”, do “milagre econômico” do governo militar.
Já o Passat, da Volks (1973/1988), outro veículo médio, era um veículo muito mais moderno, voltado ao público jovem.
O Passat TS, “esportivo” era o sonho de quase todo o público masculino entre os 18 e os 30 anos.
anos_70_corcel_x_passat
Afiador de facas, casquinha e o sorveteiro
Muito antes das facas Ginzo 2000 e dos afiadores da Tramontina, existia um profissional que anunciava o seus serviços tocando uma gaitinha de boca.
Mesmo na década de 70, o afiador de facas já era uma figura meio deslocada no tempo. Afinal, a classe média já podia comprar uma dúzia das modernas facas de serrinha – que dispensavam a “afiação”.
Eu não tenho bem certeza da origem do vendedor de casquinhas, aquela massa enrolada, bem fininha, feita de água, farinha de trigo e açúcar.
Mas em quase todo o Brasil ele trazia um imenso cilindro preso ao ombro por uma tira de couro, batendo um ferro numa placa de madeira que trazia nas mãos para anunciar o produto.
Finalmente, o sorveteiro. Da Kibon, é óbvio. O som inconfundível da corneta era o terror de todos os pais, principalmente quando tocava antes da hora do almoço.
Os principais produtos eram o picolé de chocolate, o Chicabom, o Eskibon e o meu preferido: o copinho Carioca (meio chocolate/meio creme), que vinha com uma pazinha de madeira.
anos_70_afiador_de_facas_casquinha_sorveteiro
Moda esquisita
Espero que nunca mais volte o mal gosto estético dos anos 70.
Quem pode achar bonito a combinação entre uma calça boca de sino, uma camiseta curtinha, mostrando a barriga e sapatos imitando couro de jacaré? Num homem!
Nem vou falar dos coletes, dos sapatos de salto alto, paletós xadrez e das costeletas.


anos_70_moda
Pornochanchadas e sexo
Foi duro ser um pré adolescente nos primeiros anos da década de 1970 no Brasil militar.
O nu frontal era totalmente proibido. Seios? Só um. Não… eu escrevi certo… seios só eram permitidos se aparecesse apenas um “exemplar”.
O único meio de expressão na qual era admitido “algo mais” era o cinema.
Surgiu assim a pornochanchada, filmes soft, produzidos na “Boca do Lixo”, no centro de São Paulo.
anos_70_pornochanchadas
Música brega x MPB
O mercado da música era dividido basicamente entre a música brega (Odair José & cia), a MPB (Chico Buarque, Caetano, Gil & cia)  e as “românticas” (Roberto Carlos & cia).
Uma Vida Só, ou mais conhecida como “Pare de tomar a pílula”, cantada por Odair José, foi o símbolo dos anos 70.
Defendia o direito da mulher em não tomar a pípula, “por que ela não deixa nosso filho nascer”. Puxava o saco, ao mesmo tempo, dos militares e da ala conservadora da Igreja Católica.
Do outro lado, a MPB fazia o papel de crítica ao regime.
Assim, Angélica, de Chico Buarque, pode ser considerada o contra-ponto de Pare de tomar a pílula.
A música fala de Zuzu Angel, estilista carioca que teve o filho, Stuart Edgart Angel Jones, torturado e morto na Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro.
Stuart foi amarrado e arrastado por um jipe militar, com a boca no cano de descarga do veículo, no pátio interno do quartel.
Link para a apresentação de Odair José no programa Na Moral, apresentado por – Pedro Bial – na rede Globo – é claro!
Cigarros, um raro prazer!
Quem não fumava era bundão. Quem não experimentasse um bagulhinho (cigarro de maconha) era cagão.
Os 70 representam o auge da indústria tabagista e do consumo de cigarros no Brasil.
Era para gente que sabe o que quer (Minister), era o sucesso (Hollywood), um  lugar de aventura e liberdade (Marlboro).
A propaganda era liberada e, acredite, muitas vezes associada ao esporte! Tanto quanto hoje a cerveja é ligada ao futebol (outro absurdo).
Havia cigarros fininhos (More e Chanceler); cigarros com menta (Consul): longos (Charm); populares (Continental, Hollywood, Vila Rica); de baixos teores de nicotina e alcatrão (Galaxy).
Nada ficou tão marcado nesta época quanto o comercial dos cigarros Vila Rica, na qual o tri campeão de futebol Gérson aparecia dizendo: “gosto de levar vantagem em tudo, certo?” –  que ficou marcado como a “Lei de Gérson”, o brasileiro sem ética, que faz qualquer coisa para ter o que deseja. Uma crítica bem injusta, já que a frase pode ter outras interpretações também.
anos_70_cigarros





Resultado de imagem para fotos dos anos 70 no brasil