terça-feira, 3 de julho de 2018

EXTREMA IMPORTÂNCIA " ÁGUA". A água não chega ao cérebro da maneira que pensávamos e isso pode ser uma revolução no conhecimento.





Afirma-se que esse transporte é feito por meio de um tecido extremamente fino chamado plexo coroide. No entanto, como exatamente a água permeia essa barreia ainda é um mistério. Mas, esse mistério foi resolvido, segundo um estudo publicado na revista Nature Communications.


Resultado de imagem para A água não chega ao cérebro da maneira fotos

Anteriormente assumia-se que um processo de osmose estivesse envolvido, que ocorre quando as moléculas penetram através de uma membrana semipermeável de um líquido em maior concentração para outro de menor, até atingir um ponto em que ambos os lados estão
Afirma-se que esse transporte é feito por meio de um tecido extremamente fino chamado plexo coroide. No entanto, como exatamente a água permeia essa barreia ainda é um mistério. Mas, esse mistério foi resolvido, segundo um estudo publicado na revista Nature Communications.
Anteriormente assumia-se que um processo de osmose estivesse envolvido, que ocorre quando as moléculas penetram através de uma membrana semipermeável de um líquido em maior concentração para outro de menor, até atingir um ponto em que ambos os lados estão.

Resultado de imagem para A água não chega ao cérebro da maneira fotos

Agora, pesquisadores da Universidade de Copenhague, na Dinamarca, mostraram que a maior parte da água que chega ao cérebro encontra seu caminho através da ajuda de algo que eles chamaram de cotransportador.


Os pesquisadores já suspeitavam que a osmose não era suficiente para sustentar as taxas necessárias de produção de fluídos. Assim, utilizando um modelo de camundongo com as condições necessárias para osmose em falta, inibiram vários transportadores.

Ao medir a produção dos fluidos eles descobriram que um transportador iônico desconhecido, nomeado como cotransportador NKCC1, era responsável por aproximadamente metade de toda a produção de fluídos, o que o tornariam o principal transportador de água do cérebro.

Entretanto, uma vez que o experimento foi realizado apenas em ratos, ele não traduz perfeitamente o que acontece em um dos órgãos mais complexos do corpo humano. Porém, os pesquisadores apontam que a membrana celular do plexo coroide em camundongos é estruturalmente semelhante à dos seres humanos – tornando os resultados extremamente emocionantes.

De acordo com a coautora do estudo, Nanna MacAulay, professora associada do Departamento de Neurociência, o mecanismo descoberto poderia funcionar como alvo para tratamentos médicos, recusando o fluxo de água para o cérebro e reduzindo a pressão intracraniana.

“Não existem tratamentos médicos eficazes para muitos distúrbios que envolvam o aumento da pressão intracraniana. E, na pior das hipóteses, o paciente pode sofrer danos permanentes e até morrer em decorrência do aumento da pressão. Portanto, esse mecanismo básico é uma descoberta importante para nós”, concluiu.

Resultado de imagem para A água não chega ao cérebro da maneira fotos

Os pesquisadores agora tentarão explorar o processo e descobrir como o fluxo de água pode ser controlado. Se bem-sucedidos, poderão abrir caminho para novos tratamentos para distúrbios que envolvam pressão intracraniana, como os provocados por derrame e hidrocefalia.
[ Foto: Reprodução / LibreShot ]


PARA QUEM PUDER, NÃO PERDER! Os EUA são o lar de todos os tipos de atrações dignas de foto, da Golden Gate Bridge (Ponte Golden Gate) à Estátua da Liberdade.



Mas existem alguns lugares no país que são tão estranhos quanto legais. De um local supostamente visitado por extraterrestres a um castelo construído inteiramente de coral, não há escassez de atrações únicas e incomuns para nos



1. Troll de Fremont
Espreitando abaixo de um viaduto no distrito de Fremont, Seattle, Washington, este troll tem sido uma presença mal-assombrada desde 1990. Foi construído por quatro artistas locais como parte de uma competição que promovia a renovação urbana. Com 5,5 metros de altura, o gigante barbudo segura uma escultura de um Beetle da Volkswagen em uma mão enquanto se apoia com a outra, dando-lhe a aparência de escalar do chão. O Troll de Fremont tornou-se uma parte amada do bairro, encantando os moradores e atraindo visitantes de todo o mundo.
O Troll de Fremont reside sob um viaduto de Seattle, Washington. Visite-o para uma foto memorável




2. Área 51

Você não pode assistir um episódio de Twilight Zone ou um filme de ficção científica sem ouvir uma menção da Área 51, o local de teste da Força Aérea dos EUA a 134 quilômetros ao norte de Las Vegas, Nevada. Leitores de ficção científica e teóricos da conspiração acreditam que a área abriga objetos voadores não identificados (UFOs) e outras provas de vida extraterrestre. Visto que ainda é uma área de governo secreta ativa, você não tem permissão para passear ou até mesmo estacionar perto das entradas da Área 51. Você pode desfrutar de postos de gasolinas temáticos de alienígenas, restaurantes e lojas de souvenir ao longo da Extraterrestrial Highway, (também conhecida como Nevada State Route 375)

Siga pela Extraterrestrial Highway nessa região misteriosa de Nevada, que dizem ter recebido visitantes do espaço

Miss Shari/Flickr

3. Carhenge

Nada é mais estranho do que Carhenge, uma réplica de Stonehenge na Inglaterra feita inteiramente de carros antigos, pintados no oeste de Nebraska. Localizado no meio da pradaria cerca de 250 quilômetros a nordeste de Cheyenne, Wyoming, Carhenge é verdadeiramente uma atração pouco conhecida. Em 1987, o artista Jim Reinders criou Carhenge a partir de 39 automóveis antigos como uma forma de estudar o projeto de Stonehenge e tentar determinar sua finalidade. Devido à sua popularidade, um centro de visitantes foi construído em 2006 para oferecer mais informações sobre este peculiar tesouro dos EUA.

Uma estranha atração em Nebraska ocidental, o Carhenge é uma réplica do famoso Stonehenge britânico, feito de carros antigos.


Samir Luther/Flickr

4. Racetrack do Parque Nacional do Vale da Morte

Estendendo-se ao longo da fronteira Califórnia-Nevada, o Parque Nacional do Vale da Morte é famoso pela sua paisagem de outro mundo, com dunas de areia e picos de montanha. Mas a parte mais peculiar da paisagem do parque deve ser o Racetrack. Localizado na parte do parque na Califórnia, este trecho do leito do lago seco parece quase como se fosse feito de telhas, a superfície geométrica perturbada somente por - espere - rochas que se movem. Embora ninguém tenha realmente visto as pedras se moverem, seus caminhos são claramente visíveis. Os cientistas acreditam que as rochas são impulsionadas pelo piso quente do deserto quando precipitação mínima congela e depois derrete no sol quente, fazendo com que as rochas (algumas delas pesando até 270 quilos) deslizem

As pedras que se movem na Racetrack no Parque Nacional do Vale da Morte deixam cientistas e visitantes perplexos há décadas



5. Coral Castle.

Flórida é o lar de muitas atrações populares e maravilhas únicas que têm atraído turistas por décadas. No entanto, nenhuma é tão excepcionalmente excêntrica quanto o Coral Castle. Localizado a cerca de 50 quilômetros a sudoeste de Miami, o castelo foi construído pelo imigrante letão Ed Leedskalnin usando quase 1.000 toneladas métricas de rocha de coral. A construção desta magnífica estrutura é motivo de um pouco de especulação pelos nativos da Flórida. Muitos acreditam que Leedskalnin usou habilidades sobrenaturais, pois ele construiu o castelo sozinho sem qualquer maquinaria. Agora no Registro Nacional de Lugares Históricos, o castelo é um museu aberto diariamente para visitas.

Muitos moradores da Flórida acreditam que o bizarro Castelo de Corais perto de Miami é um feito de força sobrehumana