sexta-feira, 6 de março de 2015

10 incríveis habilidades dos animais que você não conhecia... Incríveis!

.

10 incríveis habilidades dos animais que você não conhecia




agua_viva_interna[1]


Nós podemos estar bem à frente dos outros animais em termos de inteligência, mas perdemos feio em algumas outras habilidades.
E o que pode ser mais importante do que inteligência? Bom, que tal bombardear seus adversários, se regenerar ou ser imortal? Essas e outras habilidades extraordinárias dos animais você confere na lista abaixo:

10 – Lesma Ninja das Colinas de Bornéu

01[1]
A espécie Ibycus rachelae até possui uma concha como um caramujo, mas não pode se retrair nela por ser menor que seu corpo. Ela foi descoberta em uma floresta montanhosa em Sabah, Malásia. Ela possui uma cauda três vezes maior que seu corpo, que fica enrolada em torno de si mesma. Uma outra habilidade curiosa dela é disparar “dardos do amor” feitos de carbonato de cálcio. Eles atingem parceiros em potencial e contêm hormônios que deixam o atingido “no clima”, aumentando as chances de reprodução.

9 – Gambá autoimunizante

02[1]
Esses gambás são conhecidos por saberem se fingir de mortos para escapar de predadores. Mas às vezes esta habilidade não é o suficiente. E é por isso que eles desenvolveram uma proteína chamada LTNF (Fator Letal Neutralizador de Toxina) que simplesmente deixa os animais imunes ao veneno de cobras, abelhas e escorpiões.
O funcionamento é muito simples: uma vez que o veneno é detectado pela proteína, ela logo trabalha para neutralizá-lo. E o mais incrível é que esta habilidade já foi comprovada mesmo no caso de um veneno oriundo de um animal com o qual esse tipo de gambá jamais teve contato. A LTNF já foi injetada em ratos e, aparentemente, produziu resultados bem sucedidos nos roedores.

8 – Protetor solar de “suor de sangue” do hipopótamo

03[1]
O hipopótamo é conhecido como uma criatura letal na África, mas há outras características que chamam mais a atenção neste grande mamífero, que vive nas regiões quentes do continente africano.
Para suportar o calor, eles ficam a maior parte do tempo submersos em lagos e rios, mas a água não os protegem da radiação solar. Por isso, eles secretam uma substância gelatinosa vermelho-sangue produzida por glândulas localizadas abaixo da pele.
O “suor de sangue” do hipopótamo é composto por dois componentes altamente ácidos que secam na presença do muco e absorvem a radiação solar em todo o espectro ultravioleta e visível, protegendo-os de queimaduras. Ainda, a secreção serve de antibiótico, protegendo os animais de infecções em caso de feridas abertas – um problema comum numa espécie em que brigas são parte da rotina.

7 – Cobra voadora

23_MHG_cienciavoa[1]
É exatamente o que você leu: algumas cobras podem voar – e causar ataques do coração em pessoas com fobias, sem dúvidas. Por isso, se você tem medo delas, melhor não viajar para algumas regiões florestais do Sudeste Asiático. Na verdade, elas não voam como pássaros. Elas apenas deixam o próprio corpo mais plano e dão saltos das copas das árvores para escapar rapidamente de predadores. A anatomia delas se desenvolveu tanto para este fim que elas conseguem se guiar até melhor que alguns animais planadores com membros.

6 – Formiga suicida

05[1]
Esta é uma habilidade que você provavelmente não vai querer ter – muito menos usar. Um tipo de formiga da Malásia e de Brunei desenvolveu uma técnica muito sofisticada de defesa em seus soldados. Elas secretam substâncias venenosas e grudentas em todo o seu corpo, produzidas por uma glândula na mandíbula. Quando ameaçadas, elas explodem e liberam a cola tóxica, que imobiliza os predadores o suficiente para que um contra-ataque de suas colegas sobreviventes dê conta dos invasores.

5 – Camarão pistola

camarao-pistola[1]
O camarão pistola não anda armado por aí, como o nome pode sugerir – ele nem precisa disso. Apesar de terem apenas de 3 a 5 cm de comprimento, quando necessário, eles fecham suas garras de maneira a produzir uma bolha que atordoa ou até mata sua presa. O barulho da bolha é tão alto (218 decibéis, bem mais que os 160 necessários para romper o tímpano humano) que foi ela a responsável pelo nome do crustáceo. As garras, se arrancadas, são substituídas pela garra menor, que cresce. Enquanto isso, a garra arrancada cresce de novo, mas, desta vez, como a garra menor.
A bolha tem ainda mais características fantásticas: quanto ela estoura, a pressão e a temperatura do vapor dentro dela aumentam, fazendo com que o gás dentro dela se dissipe rapidamente, produzindo o estampido e uma luz visível chamada “sonoluminescência”. É uma reação tão intensa que a temperatura dos vapores chega a 4.700 ºC – como comparação, a superfície do Sol é de 5.500 ºC.
4 – Besouro bombardeiro
besouro-bombardeiro-600x375[1]
Esses besouros guardam dois componentes químicos em seus corpos, que, quando o besouro é ameaçado, são forçados a passar por dois tubos separados até chegarem a uma espécie de ponto de mistura interno contendo água e enzimas catalíticas, que, juntos, causam uma reação química violenta, que consistem em um aumento da temperatura da água (chegando próximo ao ponto de evaporação) e no consequente lançamento da substância em direção ao perigo – dependendo do tamanho do predador, este pode até morrer. Em algumas espécies, a arma vem com uma possibilidade extra: girar e possibilitar disparos em direções de 250º.

3 – Polvo mímico

polvo-mimico[1]
Não é novidade que polvos mudem a coloração dos próprios corpos para se camuflarem no ambiente. Mas o polvo mímico leva este conceito a um novo patamar ao imitar criaturas diferentes.
De acordo com o predador que o ataca, o polvo escolhe um outro animal para imitar. Ao ser atacado por uma castanheta, por exemplo, ele se enterra na areia, deixando apenas dois tentáculos para fora, apontados em direções opostas, como se fossem cobras do mar. Outros polvos já foram observados imitando peixes-leão, peixes-chatos, águas-vivas, arraias, camarões-mantis e anêmonas do mar. No total, já se conhecem 15 espécies imitadas por eles.

2 – Axolote

axolote
O axolote é uma salamandra neotênica, ou seja, que não deixa sua forma de larva mesmo quando já é adulto. Apesar de viver na água, ele tem dois “pulmões” com os quais pode respirar na superfície ocasionalmente. E o mais incrível desta espécie é que ela pode se curar, como um super-herói.
Cada vez que ela é cortada ou mutilada, a coagulação acontece de imediato, e novas células já começam a surgir. Quando um membro é arrancado, as células da pele surgem no local do ferimento, e, então, novos tecidos chegam e logo o membro já está totalmente regenerado, com sangue, vasos, músculos, ossos e até nervos. E tudo isso em poucos meses. Até seus órgãos internos não vitais podem ser regenerados, incluindo partes do cérebro.
Como era de se esperar, o axolote é muito estudado em todo o mundo, para que um dia talvez possamos passar essa habilidade para nós.

1 – Água-viva imortal

10[1]
Turritopsis nutricula é um animal praticamente imortal. Ela pode voltar ao estágio de pólipo quando atinge a maturidade sexual, por meio da chamada transdiferenciação, que consiste em simplesmente transformar uma célula especializada em outra totalmente diferente.
Durante este processo, a medusa volta à forma de pólipo, absorvendo os próprios tentáculos e sino, e se fixa ao solo marítimo. É como se você voltasse a ser um bebê quando se tornasse adulto. Essencialmente, este processo é cíclico e esta água-viva pode mantê-lo eternamente, de modo que ela é a única criatura biologicamente imortal – embora elas ainda estejam sujeitas à ação de predadores, especialmente na fase de pólipo, na qual não podem se mover. Logo, dificilmente alguma água-viva realmente deixará de morrer.
jellyfish-8[1]

terça-feira, 3 de março de 2015

Como é o banheiro dos astronautas? Conheça em detalhes...



Como é o banheiro dos astronautas?



Como é o banheiro dos astronautas?

Você considera-se um curioso? Então, com certeza já deve ter se perguntado como é o WC dos astronautas.


Se eles ficam o tempo todo flutuando, como procedem diante de suas necessidades fisiológicas?


O banheiro de uma nave espacial assemelha-se ao comum apenas em alguns aspectos, tais como, o assento, janela com vista para a Terra e luz para ler. Mas a tecnologia faz a diferença em relação ao destino final dos dejetos, uma vez que os mesmos são apanhados por bolsas plásticas, localizadas no fundo do vaso sanitário. As bolsas funcionam como depósito, onde dejetos líquidos ou sólidos vão se acumulando, sendo compactados e ainda selados (para evitar a contaminação do ambiente).


Até agora só se falou sobre o trato dos dejetos. Porém, o mais curioso reside no fato de que, ao usar o WC, os astronautas precisam manter-se presos a correias, imobilizadores dos pés e cinto que os fixa sobre o assento. Só assim é possível deixar de flutuar e ficar na posição correta para a realização do procedimento desejado.

Antigos trajes espaciais dispunham de fraldas e bolsas para comportarem os dejetos, que, por sua vez, eram consideradas desconfortáveis e anti-higiênicas. Para a sorte dos astronautas, a tecnologia está evoluindo cada dia mais e permitindo que tarefas simples, como a ida ao banheiro, não seja um problema diante da incrível missão de pesquisar o espaço.
Por Líria Alves

A VIDA DE UM ASTRONAUTA NO ESPAÇO...Seus desafios...



Quase toda criança um dia sonhou em ser astronauta, afinal é uma das profissões mais legais do mundo, só que a vida no espaço não é nada fácil e o sonho de ser astronauta pode virar um pesadelo lá cima, pois são grandes os desafios que eles passam todos os dias:

COMIDA

food.600.1
A coisa nessa área já foi bem pior, mas hoje em dia a Estação Espacial Internacional conta com um cardápio enorme, com mais de 300 tipos de comida, até mesmo frutas são levadas de tempos em tempos. Mas tudo é mantido o maior tempo possível em plásticos a vácuo para durar mais.

ÁGUA

112515main_exp10_image_009hires
É aí que a coisa começa a ficar feia, pois uma pessoa gasta muita água por dia, por isso é impossível levar a quantidade necessária daqui, lá para cima. Assim ela precisa ser totalmente reciclada e no fim os astronautas tem que beber seu próprio mijo, clara que limpo, mas mesmo assim é meio estranho.

BANHO

hands5n-5-web
Com a falta de gravidade no espaço, fica meio complicado tomar banho, afinal lá a água não cai para baixo. Assim a limpeza do corpo tem que ser feita com uma toalha úmida, muitas vezes com álcool.

BANHEIRO

spacetoilet
Sem a gravidade, até as necessidades básica são complicadas. Para usar o vaso sanitário os astronautas precisam se amarrar para não saírem voando. Depois o receptor dos dejetos precisa ser como um aspirador de pó, para que toda aquela porcaria não saia voando por aí.

LIMPEZA

7_2
Como tu pode simplesmente sair voando, os astronautas precisam ser altamente organizados se quiserem manter o mínimo de higiene. Para isso todo lixo é instantemente guardado e a espaçonave é limpa com panos umedecidos com frequência.

ÁGUA E AR Preciosidades em risco...

ÁGUA E AR

gota-na-Agua_2294_1600x1200
Nosso planeta é um sistema fechado, por isso a água existente aqui não vai acabar. Só que nosso real problema se refere a água potável.
?
A quantidade de água por aqui é a mesma desde “sempre”, exceto por adições vindas de meteoros ou coisas do gênero. Isso nos dá a impressão de que ela é infinita e nunca vai acabar. E, na verdade, não vai mesmo, porém o ser humano só pode beber água limpa e sem sal, e é nesse ponto que temos o problema.
Todo mundo sabe que a maior parte da água existente na Terra é salgada. E a menor parte, que sobra para gente beber, está inacessível em lençóis subterrâneos ou congelada. Assim, resta apenas uma quantidade ínfima para uso humano, só que, cada dia mais, nós mesmo estragamos essas águas com produtos químicos, dejetos e lixo.
Outro problema existente é o ar. Para sustentar uma população desse tamanho, a humanidade, necessariamente, precisa usar tecnologias que, muitas vezes, são poluentes. Dessa maneira o ar, um dos ingredientes fundamentais da vida, acaba sendo prejudicado, da mesma maneira que a água.
No final das contas, nós poluímos, pois precisamos produzir para que todos sobrevivam, mas essa poluição gera dificuldades para a sobrevivência de todos, ou seja, a própria sobrevivência da humanidade gera problemas para a sobrevivência da humanidade.

POUCO PARA MUITOS

planeta-terra-agua
Quem olha para uma imagem da Terra vista do espaço, vê água para todos os lados e, apesar de não vermos, sabemos que existe muito ar por todos os cantos. Mas quando nós pegamos essas duas coisas e colocamos tudo junto para vermos sua real quantidade, a realidade é assustadora:
earth-water-air-3-1260x710
Essas duas bolinhas representam todo o ar e toda a água do planeta! E se olhar com atenção, verá mais duas bolinhas dentro da pequena bola de água. Essas duas “microbolas” representam a água potável que temos, sendo que a maiorzinha é o que está no subterrâneo, sobrando só a menor das menores para gente atualmente.
A verdade é que nosso bem mais precioso é limitado e seu limite diminui a cada dia.

segunda-feira, 2 de março de 2015

As torturas da Inquisição Fotos esclarecedoras...



As torturas da Inquisição


As torturas da Inquisição faziam parte do processo realizado contra os supostos hereges

Por Rainer Sousa
Entre as idades Média e Moderna, a Igreja estipulou a clara perseguição contra aqueles que representavam uma ameaça à hegemonia do cristianismo católico. Para cumprir tal missão, estipulou a criação do Tribunal da Santa Inquisição, que determinava membros da Igreja para investigarem os possíveis suspeitos do crime de heresia. Geralmente, a autoridade dos inquisidores era apoiada pelas tropas do governo e a realização de processos que determinavam a culpa do acusado.Muitas vezes, mesmo sem um conjunto de provas bem acabado, uma pessoa poderia ser acusada de transgredir o catolicismo e, com isso, obrigada a se apresentar a um tribunal. Geralmente, quando a confissão não era prontamente declarada, os condutores do processo estipulavam a prisão do acusado. Nesse momento, o possível herege era submetido a terríveis torturas que pretendiam facilitar a confissão de todos os crimes dos quais era acusado.
Para muitos daqueles que observam a prática das torturas ao longo da inquisição, parece bastante óbvio concluir que tal prática simplesmente manifestava o desmando e a crueldade dos clérigos envolvidos com esta instituição. Contudo, respeitando os limites impostos pelo tempo em que viveram os inquisidores, devemos ver que essas torturas também refletiam concepções teológicas que eram tomadas como verdade para aqueles que as empregavam.
O “potro” era uma das torturas mais conhecidas pelos porões da Santa Inquisição. Neste método, o réu era deitado em uma cama feita com ripas e tinha seus membros amarrados com cordas. Usando uma haste de metal ou madeira, a corda amarrada era enrolada até ferir o acusado. Por conta dos vergões e cicatrizes deixadas por esse tipo de tortura, os inquisidores realizavam-na algumas semanas antes da conclusão final do processo.

O mais temido instrumento de tortura era a roda. Nesse método, a vítima tinha seu corpo preso à parte externa de uma roda posicionada em baixo de um braseiro. O torturado ia sofrendo com o calor e as queimaduras que se formavam na medida em que a roda era deslocada na direção do fogo. Em algumas versões, o fogo era substituído por ferros pontiagudos que laceravam o acusado. Os inquisidores alemães e ingleses foram os que mais empregaram tal método de confissão.
No pêndulo, o acusado tinha as canelas e pulsos amarrados a cordas integradas a um sistema de roldanas. Depois disso, seu corpo era suspenso até certa altura, solto e bruscamente segurado. O impacto causado por esse movimento poderia destroncar a vítima e, em alguns casos, deixá-la aleijada. Em uma modalidade semelhante, chamada de polé, o inquirido era igualmente amarrado e tinha as extremidades de seu corpo violentamente esticadas.

Em uma última modalidade da série, podemos destacar a utilização da chamada “tortura d’água”. Neste aparelho de tortura, o acusado era amarrado de barriga para cima em uma mesa estreita ou cavalete. Sem poder esboçar a mínima reação, os inquisidores introduziam um funil na boca do torturado e despejavam vários litros de água goela abaixo. Algumas vezes, um pano encharcado era introduzido na garganta, causado a falta de ar.

De fato, os terrores presentes nesses métodos de confissão eram abomináveis e deixam muitas pessoas horrorizadas. Contudo, os valores e a cultura dessa época permitiam a observância da tortura como um meio de salvação daqueles que se desviavam dos dogmas. Não por acaso, muitas sessões eram acompanhadas por médicos que se certificavam de que a pessoa não faleceria com as penas empregadas.

Quem nunca ouviu dizer: encontrei minha alma gêmea! Saiba sua origem...

Mito da alma gêmea


(Mitologia)
Será que todo mundo tem uma alma gêmea? 
Quem nunca ouviu dizer: encontrei minha alma gêmea! 

O que significa isso? De onde saiu que nós, humanos, individuais, temos ou compartilhamos nossa alma com outro ser? Alma gêmea quer dizer que nasceram juntas?



Na verdade, o mito da alma gêmea foi criado por Platão que em seu livro O Banquete tenta definir o que é o amor. E nessa busca, muitos convidados de uma festa, cada um por vez, faz um elogio ao deus Eros (deus do amor).
No entanto, um dos momentos mais fascinantes do texto é quando toma a palavra o comediógrafo Aristófanes. Ele faz um discurso belo e que se imortalizou como a teoria da alma gêmea.
Aristófanes começa dizendo que no início dos tempos os homens eram seres completos, de duas cabeças, quatro pernas, quatro braços, o que permitia a eles um movimento circular muito rápido para se deslocarem. Porém, considerando-se seres tão bem desenvolvidos, os homens resolveram subir aos céus e lutar contra os deuses, destronando-os e ocupando seus lugares. Todavia, os deuses venceram a batalha e Zeus resolveu castigar os homens por sua rebeldia. Tomou na mão uma espada e cindiu todos os homens, dividindo-os ao meio. Zeus ainda pediu ao deus Apolo que cicatrizasse o ferimento (o umbigo) e virasse a face dos homens para o lado da fenda para que observassem o poder de Zeus. (Mitologia)
Dessa forma, os homens caíram na terra novamente e, desesperados, cada um saiu à procura da sua outra metade, sem a qual não viveriam. Tendo assumido a forma que nós temos hoje, os homens procuram sua outra metade, pois a saudade nada mais é do que o sentimento de que algo nos falta, algo que era nosso antes. Por isso, os homens vivem em sociedade, pois desenvolvem o trabalho para buscar, nessa relação amorosa, manter a sua sobrevivência. Dessa forma, o ser que antes era completo homem-homem gerou o casal homossexual masculino; o ser mulher-mulher, o casal homossexual feminino. E o andrógino (parte homem, parte mulher) gerou o casal heterossexual. E a força que une a todos é o que nos protege, já que Zeus prometeu cindir novamente os homens (ficaríamos com uma perna e um braço só!) se não cumpríssemos o que foi designado pela divindade.  (Mitologia)


Vale notar que Platão vai utilizar uma linguagem poética-imagética para poder refutar essa teoria, mas no fundo, a plasticidade do texto é que ficou na tradição como a obra mais bela que explica sobre o amor. Isso inspirou os movimentos românticos em todas as suas fases na modernidade.
Por João Francisco P. Cabral(Mitologia)

Colabora
dor Brasil Escola
(Mitologia)

Graduado em Filosofia pela Universidade Federal de Uberlândia - UFU
Mestrando em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP