sábado, 15 de novembro de 2014

Seis fatos que justificariam a existência das sereias...

Seis fatos que justificariam a existência das sereias

sereia-3-animal-planet[1]
Você já deve ter se perguntado se alguma criatura mítica ou fantástica existe de fato, ou se essas figuras são fruto da imaginação de algum louco ou artista. As sereias são seres descritos minuciosamente em relatos, livros e filmes, mas será que elas existem ou existiram em um passado remoto?

Isto aconteceu em um aquário natural...Muito interessante...

Suposta "Explicação" do video da sereia real no aquário (Mermaid Real Sighting)

Uma das teorias é a Hipótese do Macaco Aquático: ancestrais mais ou menos próximos dos humanos teriam adotado, durante um certo período, um estilo de vida semiaquático na costa africana, seja pela necessidade de buscar alimento na água ou de defender-se de predadores.
De qualquer modo, esse fato pode ter influenciado sua evolução, gerando uma subespécie anfíbia, enquanto outros hominídeos mantiveram uma existência puramente terrestre.
Embora tenha sido abandonada ao longo dos anos, ao menos três estudiosos – Max Westenhofer, ideólogo, Sir Alister Hardy, biólogo marinho, e Elaine Morgan, escritora feminista – se dedicaram a desenvolver essa teoria.
sereias-animal-planet[1]
Há múltiplas explicações que justificam a Hipótese do Macaco Aquático, entre elas:
1. O fato de sermos os únicos primatas que não tem o corpo totalmente recoberto por pelos, uma condição só existente em ambientes aquáticos ou subterrâneos.
2. Os humanos são os únicos mamíferos bípedes. Essa transformação não ocorreria facilmente na savana africana, onde evoluíram os primeiros homens. Já na água, o corpo humano tende a manter essa posição.
3. A respiração do ser humano é diferente da de outros mamíferos, já que temos a capacidade de controlá-la voluntariamente. Tal como os mamíferos marinhos, podemos inalar o ar necessário para mergulhar e depois voltar à superfície para respirar.
4. Assim como os mamíferos aquáticos, e ao contrário dos terrestres, os humanos possuem uma reserva de gordura que retêm durante todo o ano.
5. As lágrimas, a sudorese excessiva e a porção de pele que separa o polegar do dedo indicador sugerem antepassados aquáticos segundo os adeptos da teoria.
6. Por último, nossa facilidade de nadar, em comparação à falta de jeito de muitos mamíferos terrestres na água, sugere que evoluímos de seres aquáticos.
sereias-2-animal-planet[1]
Os detratores descartam a teoria enfatizando, por exemplo, que existem muitos mamíferos aquáticos totalmente peludos, como lontras e castores. Por outro lado, nenhum mamífero aquático é bípede, e o mais importante, em nenhum momento foram encontrados vestígios fósseis que comprovem a existência de “macacos aquáticos” ou sereias.
No entanto, nos últimos anos, diversas pesquisas sugerem a possibilidade de existirem criaturas aquáticas com uma linguagem tão complexa como a do ser humano, o que fez ressurgir a hipótese das sereias.
Segundo novos estudos, alguns hominídeos podem ter passado por uma adaptação evolutiva ao ambiente aquático, transformando as duas pernas em uma cauda que lhes permitisse nadar com mais facilidade.
E você, no que acredita? Será que as sereias existem mesmo?
[ATUALIZAÇÃO]
Veja a seguir dois documentários produzidos pelo Animal Planet sobre as sereias:

Grande parte da água da Terra é mais velha do que o Sol...

Grande parte da água da Terra é mais velha do que o Sol.

solar-system-water-2-2[1]




Grande parte da água da Terra e de outros lugares do si
istema solar provavelmente antecede o nascimento do Sol, aponta novo estudo.
A descoberta sugere que a água é comumente incorporada a planetas recém-formados, em toda a Via Láctea  e, além disso, essa é uma boa notícia para qualquer um que espera que a Terra não seja o único planeta a abrigar vida.
“A conclusão do nosso estudo é que o gelo interestelar notavelmente sobreviveu ao processo extremamente violento do nascimento de uma estrela, para então ser incorporado aos corpos planetários”, afirmou a principal autora do estudo, Ilse Cleeves, doutoranda em astronomia pela Universidade de Michigan. “Se a formação do nosso sol foi típica, gelo interestelar, incluindo água, provavelmente sobreviveu e foi um ingrediente comum durante a formação de todos os sistemas extra-solares”, acrescentou Cleeves. “Isto é particularmente interessante dado o número de sistemas planetários extra-solares, confirmados até o momento,  que também teve, durante a sua formação, abundante acesso à água, promotora da vida.”
Os astrônomos descobriram cerca de 2.000  exoplanetas  até agora, e muitos bilhões provavelmente existem nas profundezas do espaço sem serem detectados . Em média, cada estrela da Via Láctea acolhe pelo menos um planeta.
O conceito que mostra a seqüência temporal do gelo de água, a partir da nuvem molecular originária do Sol, viajando através dos estágios de formação de estrelas, e, eventualmente, sendo incorporado no sistema planetário em si.
O conceito que mostra a seqüência temporal do gelo de água, a partir da nuvem molecular originária do Sol, viajando através dos estágios de formação de estrelas, e, eventualmente, sendo incorporado no sistema planetário em si.

Água, água por toda parte.

O nosso sistema solar é abundante em água. Oceanos não apenas na superfície da Terra, mas também sob as crostas geladas da  lua Europa, de Júpiter,  e da lua Encélado, de Saturno. E o gelo também é encontrado na nossa lua, em cometas, nos pólos de Marte e até mesmo dentro de crateras sombreadas em Mercúrio, o planeta mais próximo do sol.
Cleeves e seus colegas queriam saber de onde toda essa água veio.
“Por que isso é importante? Se a água do início do sistema solar foi herdada, principalmente, do gelo do espaço interestelar, então é provável que  o gelo similar presente em outros locais, juntamente com a matéria orgânica prebiótica que ele contém, é abundante na maioria ou em todos os discos protoplanetários  ao redor de formações estelares”, disse o co-autor Conel Alexander, do Instituto Carnegie para a Ciência, em Washington, DC. “Mas se a água do sistema solar primitivo foi, em grande parte, o resultado de processamento químico local durante o nascimento do sol, então, é possível que a abundância de água varie consideravelmente na formação de sistemas planetários, o que, obviamente, tem implicações para o potencial do surgimento da vida em outros lugares “, acrescentou Alexander.

A água pesada e ‘normal’.

Nem toda a água é a H2O “padrão”. Algumas moléculas de água contêm deutério, um isótopo pesado do hidrogênio que contém um próton e um nêutron em seu núcleo (Isótopos são versões diferentes de um elemento cujos átomos têm o mesmo número de prótons, mas números diferentes de nêutrons. O isótopo de hidrogênio mais comum, conhecido como prótio, por exemplo, tem um próton mas nenhum nêutron.).
Porque eles têm massas diferentes, o deutério e o prótio se comportam de maneira diferente durante as reações químicas. Alguns ambientes são, portanto, mais propícios para a formação de água “pesada” – incluindo os lugares superfrios, como o espaço interestelar.
Os pesquisadores construíram modelos que simularam reações dentro de um disco protoplanetário, em um esforço para determinar se os processos durante os primeiros dias do  sistema solar  poderiam ter gerado as concentrações de água pesada observadas hoje nos oceanos da Terra, material de cometas e amostras de meteoritos.
A equipe colocou os níveis de deutério a zero no início das simulações, em seguida, assistiu para ver se gelo suficientemente enriquecido com deutério pode ser produzido dentro de 1 milhão de anos – uma vida padrão para discos de formação planetária.
A resposta foi não. Os resultados sugerem que de 30 a 50% da água dos oceanos da Terra e talvez de 60 a 100% da água dos cometas, originalmente formados no espaço interestelar, antecedem o nascimento do Sol. (Estas são as estimativas de alta qualidade geradas pelas simulações, as estimativas de baixa qualidade sugerem que pelo menos 7% da água dos oceanos e, pelo menos, 14% da água dos cometas antecede o sol.)
Embora essas descobertas, publicadas na revista Science, sejam sem dúvida de interesse para os astrobiólogos, elas também ressoaram para Cleeves em um nível pessoal, disse ela:
“Uma fração significativa da água da Terra é provável e incrivelmente antiga, tão antiga que antecede a própria Terra. Para mim, descobrir esses tipos de ligações diretas entre a nossa experiência diária e a galáxia em geral é fascinante e coloca uma perspectiva maravilhosa sobre o nosso lugar no universo.”

Clientes agora devem ter “escore” bom para conseguir empréstimos...



Clientes agora devem ter “escore” bom para conseguir empréstimos...








12 de Novembro de 2014 - 18:13


Redaçao
Já ouviu falar de “escore”? A prática consiste em investigar o histórico de crédito do consumidor (se já atrasou pagamento de contas ou ficou inadimplente, por exemplo), para que bancos ouo comércio decidam se aceitam ou não o risco de conceder o crédito pedido. A adoção de critérios mais seletivos no crediário tem objetivo de reduzir as perdas em calotes.

Como funciona o “escore”


Ter o “nome limpo”, e não estar relacionado entre os consumidores que estão com pagamentos atrasados nos bancos de dados dos serviços de proteção ao crédito, continua importante, mas não é tudo. O novo sistema para avaliação de crédito e risco do consumidor passa pelo levantamento do seu perfil, do histórico de pagamentos, suas referências comerciais e outros dados que são analisados e com eles se chega a uma pontuação, o “escore”. Quanto maior a pontuação, melhor a qualidade do crédito.













O score é uma referência que serve para a decisão da empresa em conceder ou não crédito e também para definir a taxa de juros da operação”, afirma o diretor do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC) de Rio Preto, Kelvin Kaiser. O método de avaliação segue um padrão, mas também adota particularidades que variam de estabelecimento para estabelecimento.


Legalidade do processo

Para Kaiser, o método é legal, mas poderia ser mais transparente ao informar o consumidor porque seu empréstimo é menor. E é nesse aspecto que o Cadastro Positivo, que acaba de ser regulamentado, pode ser benéfico.   

Cadastro Positivo

O governo publicou no Diário Oficial da União do mês passado a regulamentação da lei que criou o Cadastro Positivo, sistema que permite a bons pagadores tomarem empréstimos com juros mais baixos. A legislação é um esforço do governo para forçar a redução dos spreads, diferença entre os custos de captação dos bancos e a taxa cobrada dos clientes finais. A regulamentação entra em vigor a partir de janeiro do ano que vem.
O texto do decreto 7.829 regulamenta a formação dos bancos de dados de empresas de análise de crédito com informações dos consumidores bons pagadores. A empresa que quiser manter um banco de dados deverá ter patrimônio líquido mínimo de R$ 20 milhões. O prazo de permanência das informações nos bancos é de 15 anos.

Como funciona o processo de avaliação.

Em geral, o processo de avaliação começa com o pedido de informações nos serviços especializados, como SCPC, Equifax e Serasa. São levantados dados do histórico do consumidor como inadimplência, se costuma pagar as prestações em dia, se atrasa os pagamentos, se já pegou financiamento. 
Depois disso, a instituição ou loja em que o consumidor busca o empréstimo ou parcelamento da compra avalia o motivo do pedido desse crédito pelo consumidor. Em seguida, são avaliadas as informações que a empresa tem em seu próprio banco de dados, de sua relação com esse cliente.

E, quanto pior o histórico do consumidor, maior a dificuldade em obter crédito. Clientes que já tiveram o nome negativado enfrentam mais dificuldades para concretizar a operação. O atraso no pagamento dificulta, mas pode não ser tão grave dependendo das razões (se ficou desempregado, se faliu, por exemplo). Quanto tempo levou para quitar essa dívida também conta.





Frequência de compras também é avaliada

Mas não é só para quem não honrou seus compromissos que obter crédito pode ser difícil. Se o relacionamento com o mercado é baixo, isso também influencia. Por exemplo, o consumidor que faz poucas operações, que opta por guardar dinheiro em casa, que tem baixa movimentação financeira, tende a ter baixa pontuação. “A falta de informações também pesa. Muitas vezes a loja opta por liberar pouco dinheiro para conhecer esse cliente”, afirma.
Qual sua opinião sobre a medida? Deixe um comentário contando pra gente!

Fonte: Diário WEB
Tudo sobre:

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Sacarose, frutose e glicose, combinados com fibra, a banana dá uma instantânea e substancial elevação da energia.

019[1]
Entretanto, energia não é a única coisa que uma banana pode fornecer para nos ajudar a manter a saúde. Ela também ajuda a curar ou prevenir um grande número de doenças e condições, tornando-se uma obrigação adicioná-la à dieta diária.

Depressão

De acordo com uma recente pesquisa realizada pela MIND, entre pessoas que sofrem de depressão, muitas se sentiram melhor depois de comer uma banana. Isto porque a banana contém triptofano, um tipo de aminoácido que o corpo converte em serotonina, reconhecida por relaxar, melhorar o humor e, geralmente, fazem a pessoa se sentir mais feliz. Além disso, a vitamina B6 regula os níveis de glicose no sangue, o que pode afetar o seu humor.

Anemia

Fonte de ferro, as bananas estimulam a produção de hemoglobina no sangue e ajudam nos casos de anemia.

Pressão Arterial

Este fruto tropical é muito rico em potássio e tem reduzido teor de sódio, tornando-a perfeita para controlar a pressão arterial. Com isso, o FDA (Food and Drug Administration), órgão americano parecido com a ANVISA, acaba de permitir que seja informada, pelas indústrias agrícolas, a habilidade da fruta de reduzir o risco de pressão arterial e de acidente vascular cerebral.

Poder Cerebral

200 estudantes de uma escola de Twickenham (Inglaterra) tiveram ajuda nos exames deste ano comendo bananas no café da manhã, lanche e almoço em uma tentativa de elevar sua capacidade mental. A pesquisa mostrou que frutas com elevado teor de potássio podem ajudar na aprendizagem, fazendo os alunos ficarem mais atentos.

Prisão de Ventre

Por conta do seu elevado teor de fibra, incluir bananas na dieta pode ajudar a normalizar as funções intestinais, superando o problema de prisão de ventre, sem ter de recorrer a laxantes.

Ressaca

Uma das maneiras mais rápidas de curar uma ressaca é fazer uma vitamina de banana com leite e mel. A banana acalma o estômago e, com a ajuda do mel, eleva o baixo nível de açúcar, enquanto o leite acalma e hidrata todo o corpo.

Azia

Bananas têm efeito antiácido natural no organismo, por isso, quem sofre de azia deveria experimentar comer uma banana para aliviar as queimações incômodas.

Enjoo Matinal

As náuseas podem ser evitadas ao comer uma banana entre as refeições, pois ela ajuda a manter os níveis de açúcar elevados.

Picadas de Mosquitos

Antes de comprar um creme para picada de inseto, as pessoas podem tentar esfregar a área afetada com a parte interna da casca da banana. Muitas delas têm resultados excelentes com a redução do inchaço e da irritação.

Nervos

Bananas são ricas em vitamina B, que ajuda a acalmar o sistema nervoso. Estudos do Instituto de Psicologia na Áustria mostram que a pressão no trabalho leva à excessiva ingestão de fast-foods, chocolate e biscoitos. Olhando para 5.000 pacientes em hospitais, pesquisadores concluíram que os mais obesos eram os que trabalhavam em lugares com mais pressão. O relatório concluiu que, para evitar a ansiedade por comida, é necessário controlar os níveis de açúcar no sangue e comer alimentos ricos em carboidratos a cada duas horas, ajudando a manter esses níveis estáveis.

Úlceras

A banana é usada na dieta diária contra desordens intestinais, devido à sua textura macia e suavidade. Ela também neutraliza a acidez e reduz irritações, protegendo as paredes do estômago.

Controle da Temperatura

Muitas culturas veem a banana como fruta “refrescante”, podendo reduzir tanto a temperatura física como o temperamento emocional de mulheres grávidas. Na Tailândia, por exemplo, as grávidas comem bananas para os bebês nascerem com temperatura mais baixa.

Em resumo

A banana é um “remédio natural” para muitos males. Quando comparada a uma maçã, percebe-se que a banana tem quatro vezes mais proteína, duas vezes mais carboidratos, três vezes mais fósforo, cinco vezes mais vitamina A e ferro, além de maior quantidade de outras vitaminas e minerais. Também é rica em potássio e é um dos alimentos mais valiosos conhecidos, de modo que uma frase muito comum do dito popular pode ser verdadeira: “Uma banana por dia mantém o médico longe!”.



Praça da Liberdade: no tempo, que não faz muito tempo.....

Antonio Hellmeister de Oliveira...


Fotos da linha do tempo...







Praça da Liberdade: no tempo, que não faz muito tempo... 



“Uma árvore é o resultado de um processo evolutivo de pelo 

menos 600 milhões de anos. Nós, seres humanos, existimos na 
Terra há apenas 4 milhões. Somos nada. Temos que aprender 
com as árvores, elas podem ensinar muita coisa”.

Praça da Liberdade: no tempo, que não faz muito 

tempo...

Indo ao Forum...
Indo ao Forum, deparei com uma árvore sendo castigada por 
uma beleza singular, florada fora de tempo, um Flamboyant 
vermelho, o castigo da natureza é desafiar o homem que odeia 
coisas belas. Eis um bom motivo de se declarar: um por todos e 
todos por um ao mesmo tempo. Tempo de reunião pós aula, lá 
ainda têm os rostos marcados, e era lá que se combinávam, 
outros encontros: festas, banco do Jardim, GG, Excelsior e até a 
missa das 9:30 da Matriz de domingo. Dia e noite, noite e dia se 
misturavam em cores, sons e aromas. Sorrisos, sempre bem 
distribuídos a cada gesto por expressões de agradecimentos, 
não se falava dessa amizade ou daquela, via-se no rosto como 
eram felizes, e a cada dia chegava-se mais e mais amigos 
aumentando mais a rodinha. Pena que os bancos de madeira do 
nosso Jardim e aquelas árvores de “Flamboyant” na Praça, 
davam não só sombras sobre nós enquanto não tocasse o último 
sinal, fosse do Ribeiro ou do Puríssimo, não se arredava pé, esta 
nem tanto da ramagem mas das flores que nos envolviam. 




Lamento, alguém levou os bancos com as mensagens riscadas e 
dedicadas às meninas...
Lamento, alguém levou os bancos com as mensagens riscadas e 
dedicadas às meninas. Mais lamentável ainda, foram os 
Flamboyant abaixo, com os entalhes em corações e declarações 
estas dos apaixonados, que vez na ausência da amada, ainda do 
sinal da escola, que não soubesse por ele, mais romântico seria 
por outras, a contar o segredo gravado na natureza, que seria 
centenária se não fosse o próprio homem , na sua índole má, 
por que árvores e ainda artes?


Foram-se os símbolos dos jovens enamorados...
Foram-se os símbolos dos jovens enamorados, felizes por 
provas existenciais das loucuras, e cultura esta natural, 
espontânea por arquivo da natureza, declaração sem cópia, 
autentica, eterno de alguém em silêncio, não havia a presença 
da lua para compartilhar e ficar mais poético; o sol, naquele 
horário não era romântico, mas em compensação com os seus 
raios deu as cores que todos têm a beleza na memória, muito 
embora não mais existam aqueles detalhes que foram exclusivo 
para nós espectadores dessa "Ágora". Pois bem, a última a cair, 
comentava acima, passava eu na Praça e lá estava no chão, não 
era uma simples árvore, velha, carcomida por cupins. ali caída 
uma história tão jovem ainda e cheia de amor . 






Um monumento... me aproximei...
Um monumento... me aproximei, pois lembranças de épocas, 
ainda trago em minha memória - um amigo transferindo o seu 
coração naquele tronco, em detalhes com entalhe, um coração 
flechado não doído, pois sabia eu ser correspondido, e tão vivo 
ainda permanecia o entalhe e o escrito – Fran e Neia. Pena não 
estar com uma câmera para registrar e nem poder levar para 
guardar, apesar de estar reduzido a um toco, ainda era pesado 
demais. Notei em volta, todas o mesmo destino. Memorial seria, 
se não estivesse caída sem piedade por serra elétrica, cortadas 
em tocos por bruta homens e arremessadas na caçamba de um 
trator, cujo destino fornos e chaminés, esses fragmentos de 
amores liberados em fumaça e lá em cima os ventos entalham 
as nuvens. Essa arte pendurada no céu, eu sempre quis saber o 
mistério, mas a mente, nunca me deu a capacidade de saber 
demais.
Elas apenas avisam... Agora sei em parte o segredo das 
nuvens, e por quem choram!



  · Compartilhar · 4 de novembro